Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-08-11T18:20:34-03:00
Larissa Vitória
A bolsa tá com tudo

B3 recebe 500 mil novos investidores no 1º semestre; número de contas de pessoas físicas já se aproxima dos 4 milhões

Vale lembrar que o número de investidores individuais, porém, é bem menor, embora o ritmo de crescimento seja semelhante

11 de agosto de 2021
17:12 - atualizado às 18:20
B3
Imagem: Shutterstock

Menos de um ano após alcançar a marca de três milhões de contas abertas de investidores, a B3, bolsa de valores brasileira, se prepara para celebrar mais um marco histórico. 

Uma análise da base de dados da operadora da bolsa mostrou que o número de contas de pessoas físicas na B3 saltou 43% no primeiro semestre de 2021 - na comparação com o mesmo período do ano passado - para 3,8 milhões.

Se o ritmo de crescimento for mantido, a instituição deve atingir a marca de quatro milhões de contas em menos de três meses. 

Vale lembrar que o número de investidores individuais, porém, é bem menor, embora o crescimento seja semelhante. O número de CPFs cadastrados na empresa encerrou junho em 3,2 milhões.

“Ficamos algumas décadas esperando por esse movimento extraordinário que está acontecendo”, destaca Felipe Paiva, diretor de Relacionamento e Pessoa Física da B3. Os dados reforçam a afirmação do executivo: a B3 levou oito anos para sair dos 500 mil e chegar a seu primeiro milhão de CPFs.

Entre os estreantes da bolsa, também chama atenção a queda na faixa etária dos investidores. Até 2017, a B3 era dominada por pessoas entre 40 e 59 anos, mas depois disso, a faixa dos 25 aos 39 anos passou a ser a média de idade predominante entre as pessoas físicas.

Conheça 5 investimentos para não pagar imposto e 3 ações que podem se valorizar nos próximos meses e inscreva-se no canal do Seu Dinheiro no Youtube para mais vídeos sobre finanças:

Quanto investem as pessoas físicas da B3?

Além da aceleração no ritmo de chegada de novos investidores, outra mudança importante também é notada nos valores de entrada de cada um deles. O custo médio do primeiro investimento das pessoas físicas chegou a R$ 352 em junho deste ano, o menor valor na história.

Fonte: B3

Além disso, cerca de 42% dos 104 mil estreantes na bolsa no mês investiram menos de R$ 200. “Esse mito de que é preciso muito dinheiro para investir na bolsa caiu por terra”, celebra Paiva.

E não só o primeiro aporte caiu, mas também o saldo médio de cada um dos investidores. O indicador, que chegou a R$ 21 mil em 2017, permanece em R$ 10 mil desde o primeiro semestre de 2020.

Em quais produtos eles investem?

Apesar de ser mais conhecida pelas ações de empresas brasileiras, na B3 também estão disponíveis fundos de investimentos, ETFs, BDRs e outros produtos para investidores de diversos perfis.

Segundo o estudo, a procura dos investidores pessoas físicas por outras classes de ativos também aumentou. Veja a seguir os principais produtos e seus percentuais de crescimento no primeiro semestre:

  • Ações à vista (38%);
  • Fundos imobiliários (56%);
  • ETFs (104%);
  • BDRs não patrocinados (2.982%);

Como resultado, também avançou o número de investidores com carteiras mais diversificadas, ou seja, compostas por tipos diferentes de investimentos.

Fonte: B3

Para o diretor da bolsa, o crescimento, especialmente dos ETFs e BDRs, indica que os investidores estão chegando à bolsa mais preparados para apostar em produtos que exigem um conhecimento e cuidado maior.

“Com mais opções de diversificação na carteira é possível se planejar para atravessar as oscilações do mercado rumo a novas fontes de rendimento”, salienta.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

MERCADOS HOJE

Evergrande injeta temor no mercado global e bolsas têm dia de fortes perdas; Ibovespa fecha no menor nível desde novembro

Temor de que os problemas da incorporadora chinesa gerem uma reação em cadeia no mercado global afundou as bolsas nesta segunda-feira (20)

Ruído político

Congresso não participou de debate sobre aumento no IOF, revela presidente da Câmara

Arthur Lira também declarou que quer avançar com a reforma administrativa e uma solução para a questão dos precatórios ainda nesta semana

Na onda do minério

Mercado Livre (MELI34) ultrapassa Vale (VALE3) e se torna a empresa mais valiosa da América Latina

A gigante de comércio eletrônico argentina conquistou o posto após a mineradora brasileira perder R$ 43,6 bilhões em valor de mercado na última semana

Vídeos

Investir em IPOs vale a pena? Saiba as causas dessa febre do mercado

O ano de 2021 está mostrando a força do setor dos IPOs. São diversas empresas que abriram seu capital e fizeram sua oferta primária. Matheus Spiess, analista da Empiricus, explica neste vídeo sobre este cenário. Confira

desaceleração a caminho

Renda fixa: Por que a Evergrande derruba o Ibovespa, mas alivia o mercado de juros

Desempenho é oposto ao que se poderia esperar quando há pânico no mercado, diz especialista; contratos DIs para janeiro de 2022 caem de 7,09% para 7,08%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies