Menu
2020-05-01T20:15:04-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
efeitos da crise

FHC e Lula dividem palanque virtual em 1º de Maio das centrais

É a primeira vez que petista e tucano dividem o mesmo palanque – ainda que virtual– desde 1989

1 de maio de 2020
20:12 - atualizado às 20:15
lula
Imagem: Reprodução

A transmissão ao vivo feita pelas centrais sindicais por conta do Dia do Trabalho reuniu os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

É a primeira vez que os FHC e Lula dividem o mesmo palanque – ainda que virtual– desde 1989. Na ocasião, o tucano apoiou o petista contra Fernando Collor de Mello no segundo turno das eleições presidenciais.

Também participaram os presidentes do PT, Gleisi Hoffmann, e do PDT, Carlos Lupi, além do pedetista Ciro Gomes, candidato do partido nas eleições presidenciais de 2018. A ex-presidente Dilma Rousseff e o candidato petista de 2018 Fernando Haddad também participaram.

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, a ex-ministra e líder da Rede Sustentabilidade, Marina Silva, além de deputados e líderes religiosos também participaram.

O que disse FHC

O ex-presidente FHC disse que o 1º de maio deste ano é simbólico por conta da pandemia do novo coronavírus, e que o momento é de união. Ele também chamou a atenção para as rápidas mudanças na economia e no mundo do trabalho que a covid-19 tem provocado.

O tucano disse que a unificação de diferentes centrais e vertentes políticas em um único evento é importante. "As condições são ruins, mas precisamos partir delas."

O ex-presidente afirmou que, apesar de vírus não ser uma novidade, a amplitude da covid-19 é um fato novo, o que torna mais desafiador enfrentar a pandemia. FHC disse que, nesse momento, é importante manter a democracia e a liberdade. O tucano não fez menções ao governo do presidente Jair Bolsonaro.

O que disse Lula

O ex-presidente Lula disse que a pandemia do coronavírus deixou o capitalismo "nu", e que o sistema econômico está morto. Lula disse ainda que após a pandemia, um "novo mundo" deve surgir.

"A tragédia do coronavírus expôs à luz do sol uma verdade inquestionável: o que sustenta o capitalismo não é o capital, somos nós, os trabalhadores", disse Lula. Para o ex-presidente, a pandemia revela que os brasileiros são generosos, tolerantes e solidários.

Lula faz uma breve menção ao presidente da República, Jair Bolsonaro, ao dizer que tragédias como a da covid-19 revelam "o verdadeiro caráter" das coisas e das pessoas. "Não me refiro apenas ao deboche do presidente da República com a memória de mais de 5 mil brasileiros mortos pelo covid", diz.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Tesouro Nacional

Ajuste fiscal passa por reformas que aumentam produtividade, diz Bruno Funchal

O secretário participou na manhã desta segunda-feira do 10º Congresso Internacional de Contabilidade, Custos e Qualidade do Gasto no Setor Público.

Melhor para o bolso

Aneel aprova queda de 6,4% em revisão tarifária extraordinária da Roraima Energia

Novas tarifas vigoram a partir de 1º de novembro. A empresa atende a 175 mil unidades consumidoras no Estado

apesar da crise...

Mercado de startups do Brasil caminha para ter melhor ano da história em 2020

O número de aportes realizados em novatas também já tem recorde histórico de 322 cheques, superando o melhor ano do setor com folga – em 2017, foram 263 investimentos

altas expectativas

Casa Branca: Negociações por novo pacote fiscal desaceleraram, mas não terminaram

Kudlow argumentou que, embora republicanos e democratas estejam mais perto de um acordo, ainda há divergências importantes.

O que esperar dos números

JBS, BRF ou Marfrig, quem vai apresentar o melhor resultado no 3º trimestre?

Com a proximidade das datas de divulgações, os analistas do setor de Alimentos do Credit Suisse aproveitaram para revisar as projeções para três das principais empresas do setor

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies