Menu
2020-03-04T13:19:30-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Bye, Bye, Casa Branca

Bilionário Michael Bloomberg desiste de campanha e anuncia apoio a Joe Biden

Bloomberg disse que está saindo da corrida à Casa Branca pela mesma razão que entrou: derrotar Donald Trump

4 de março de 2020
13:19
shutterstock_1616793151
Imagem: Shutterstock

Michael Bloomberg, executivo bilionário e dono do grupo de mídia que leva seu nome, desistiu oficialmente de concorrer à presidência dos Estados Unidos, segundo comunicado no site oficial de sua campanha. Bloomberg também anunciou apoio a Joe Biden, ex-vice-presidente do governo Barack Obama, na disputa contra o atual presidente norte-americano, Donald Trump.

"Conheço Joe há muito tempo. Sei da sua decência, sua honestidade e seu compromisso com questões que são muito importantes para o nosso país — incluindo segurança de armas, saúde, mudança climática e bons empregos", disse Bloomberg, no comunicado divulgado nesta quarta-feira.

Bloomberg disse que está saindo da corrida à Casa Branca pela mesma razão que entrou: derrotar Trump. "É claro para mim que continuar [na disputa] faria a conquista desse objetivo mais difícil", disse ele.

Nono homem mais rico do mundo, Bloomberg agradeceu norte-americanos que nele votaram e também à dedicação de sua equipe. Em campanha há 3 meses, ele tinha conseguido apoio de 44 delegados de estado, bem atrás dos líderes Biden (399) e Sanders (322).

O resultado da chamada "Super Terça", que teve prévias democratas em 14 estados, ajuda o mercado a respirar um pouco nesta quarta-feira. Biden, visto como candidato mais amigável ao mercado, assumiu a liderança na disputa contra Sanders pela nomeação do partido. O Ibovespa opera em leve alta, de 0,1%, por volta das 13:00. Confira nossa cobertura completa de mercados.

Do cafézinho ao bilhão

Nascido em Massachusetts em 14 de fevereiro de 1942, em uma família de classe média, Bloomberg estudou engenharia mecânica na Universidade Johns Hopkins. Seus estudos foram pagos com crédito universitário viabilizados pelo trabalho de Bloomberg como atendente em um estacionamento.

Depois de se formar, fez MBA na Universidade de Harvard e foi contratado por um banco de investimentos de Wall Street, o Salomon Brothers, em 1966. Lá, subiu a escada corporativa rapidamente, virando sócio.

Quando a Salomon foi vendida, em 1981, foi demitido e usou os US$ 10 milhões que havia recebido na rescisão contratual para investir em negócio próprio — a futura Bloomberg LP. A empresa, uma das maiores de comunicação do mundo, é mais conhecida por oferecer conteúdo e ferramentas para o mercado financeiro.

Quando começou, a companhia se chamava Innovative Market Systems e funcionava em um escritório de uma sala. Rebatizada com seu sobrenome, hoje tem cerca de 20 mil funcionários em 120 países e receita anual de US$ 10 bilhões. O império é praticamente todo dele. Ou melhor: exatamente 88% da companhia.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

socorro ao setor

Ajuda para aéreas será próxima grande medida nos EUA, diz secretário do Tesouro

Steven Mnuchin comentou com otimismo o novo pacote de estímulos lançado nesta manhã em conjunto com o Federal Reserve

entrevista

‘Talvez as grandes empresas tenham de pagar mais tributos’, diz presidente do Bradesco

Octavio de Lazari vê a economia encolhendo até 4% neste ano, pior até que a estimativa do próprio banco, de queda de 1%, e diz que o impacto fiscal terá de ser resolvido a partir de 2021

entrevista

‘Sem liquidez, empresas vão começar a quebrar’, diz presidente da GM na América do Sul

Para Carlos Zarlenga, única saída, diz, é BNDES liberar linhas de curto prazo ou o governo assumir a garantia para empréstimos dos bancos privados

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quinta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

emergência

Auxílio emergencial já pago soma R$ 1,5 bilhão, diz Caixa

Segundo informações do banco, o benefício já foi creditado na conta poupança de 2.150.497 clientes da Caixa, e outros 436.078 lançamentos serão realizados pelo Banco do Brasil ainda nesta quinta

180 dias para pagar

Caixa vai dar carência de seis meses para pagamento de financiamento imobiliário

Opção estará disponível a partir de segunda-feira para a compra de imóveis novos por qualquer linha de crédito; financiamentos em andamento já podiam optar por uma pausa de 90 dias nas prestações

agenda de brasília

Câmara adia votação de projeto de socorro a Estados para dia 13

Além de suspender o pagamento de parcelas de dívidas com a União e bancos, o projeto permite aos governadores tomar crédito novo no limite de até 8% de suas receitas

crise chegando

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA chegam a 6,61 milhões

Total ficou bem acima da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, de 5 milhões de solicitações

diante da crise

BC autoriza emissão de letra de crédito imobiliário (LCI) por cooperativas

Segundo BC, medida tem potencial para impactar positivamente o setor imobiliário, propiciando condições para aumentar a concorrência e a oferta de produtos e de serviços no sistema financeiro

anticrise

BC libera R$ 3,2 bi em requerimento de capital no crédito para PME

Regra abrange as empresas com receita bruta anual entre R$ 15 milhões e R$ 300 milhões

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements