Menu
2020-09-18T13:56:41-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Trump vs. TikTok

TikTok na bolsa de Nova York? ByteDance estuda oferta de ações para ‘driblar’ Donald Trump

Fontes ouvidas pela CNBC informaram que a companhia chinesa estuda realizar uma oferta inicial de ações na bolsa americana, já que o movimento cumpriria os critérios impostos pelo governo americano e a ByteDance deixaria de ser o acionista majoritário do app

18 de setembro de 2020
13:35 - atualizado às 13:56
Trump TikTok
Imagem: Shutterstock

Nos últimos meses, a indisposição do governo americano com a China tem se traduzido em esforços para minimizar a atuação da ByteDance, dona do popular aplicativo de vídeos TikTok, nos Estados Unidos. A empresa chinesa tem pouco tempo para se adequar às novs exigências feitas por Trump ou suas operações deixaram de existir em solo americano.

O governo dos Estados Unidos alega que o aplicativo que é febre entre a geração Z representa um risco de segurança nacional para o país, já que supostamente repassaria os dados dos usuários para o Partido Comunista da China. Enquanti isso, a companhia chinesa tenta encontrar uma forma de driblar Trump.

A primeira opção dada pelo governo americano para que a companhia continue atuando no país é a venda das suas operações para uma empresa americana até o dia 12 de novembro. Caso isso não ocorra, o app será banido. A disputa pelos ativos da ByteDance estavam concentradas entre a gigante Microsoft e a Oracle, mas a primeira já informou que teve sua proposta rejeitada. Trump e seus secretários estudam a aprovação de um acordo entre a companhia chinesa e a Oracle.

A ByteDance já tentou contornar a separação entre os dois países ao armazenar dados fora da China e contratar nomes americanos para gerir o aplicativo. Mas não foi suficiente.

Agora a empresa busca outras saídas. Segundo fontes ouvidas pelo canal americano CNBC, a companhia chinesa estuda realizar uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) na bolsa americana, já que o movimento cumpriria os critérios impostos pelo governo americano e a ByteDance deixaria de ser o acionista majoritário do aplicativo.

A expectativa é que caso a operação se concretize, o IPO do TikTok pode se tornar a maior oferta inicial de ações de uma empresa de tecnologia dos útimos anos, com a companhia avaliada em cerca de US$ 50 bilhões. Uma nova diretoria seria formada, com rumores apontando que o CEO do Walmart, Doug McMillion, teria lugar garantido no conselho.

Além da contagem regressiva para o banimento do TikTok em solo americano, o WeChat é outro aplicativo de origem chinesa que corre riscos. A empresa tem até o dia 20 de setembro para se desfazer de sua operação americana ou será completamente banido, com operadoras de internet proibidas de permitir seu funcionamento.

*Com informações da Business Insider

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

seu dinheiro na sua noite

Fidelidade em baixa com a pandemia

Não, não estou falando da fidelidade entre casais. Até porque, por mais que a convivência excessiva em família na quarentena tenha abalado alguns casamentos, o momento não anda muito propício às puladas de cerca. Estou falando do setor de fidelidade, que abarca as empresas de programas de pontos e milhagem, sobretudo aqueles ligados às companhias […]

Empresa ligada à Vale

Justiça aprova pedido de Recuperação Judicial da Samarco

RJ não terá impacto nas atividades operacionais da mineradora, nem nas ações de reparação e compensação pela tragédia de Mariana

FECHAMENTO

Ibovespa ignora tensão em Brasília e NY no vermelho e avança 1%; dólar também sobe

Enquanto as blue chips garantiram o bom desempenho do Ibovespa, o dólar avançou 0,84%, pressionado pelo noticiário em Brasília

Exaltou integração

Presidente do Banco Central não enxerga competição entre bancos e fintechs

Segundo Campos Neto, a integração entre as mídias sociais e o sistema financeiro é maior inovação que existe no momento

Menos pontos e milhas

Setor de empresas de fidelidade encolhe quase 30% em 2020

O segmento de fidelidade movimentou R$ 5,3 bilhões em 2020, segundo a Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies