Menu
2020-05-11T12:39:25-03:00
Estadão Conteúdo
A conta do vírus

UE prevê que PIB da zona do euro sofrerá tombo de 7,7% em 2020 com pandemia

Ainda que a expectativa seja de que todas as economias da zona do euro encolham este ano, as projeções destacam como a pandemia poderá impactar os países de forma distinta

6 de maio de 2020
8:39 - atualizado às 12:39
Zona do Euro, União Europeia
Bandeira da União Europeia - Imagem: shutterstock

O Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro sofrerá uma acentuada contração de 7,7% este ano, em função do violento impacto do novo coronavírus, previu a Comissão Europeia, alertando que a pandemia pode aprofundar divisões internas no bloco e ameaçar sua estabilidade.

Em relatório de projeções divulgado nesta quarta-feira, o braço executivo da União Europeia prevê que a economia da zona do euro deverá crescer 6,3% em 2021. Em fevereiro, a Comissão previa expansão econômica do bloco de 1,2% tanto em 2020 quanto no próximo ano.

A Comissão ressalta, no entanto, que um eventual novo salto no número de infecções por covid-19 na zona do euro pode reduzir o PIB local em mais três pontos porcentuais.

No documento, a Comissão também reduziu fortemente suas previsões de inflação ao consumidor do bloco para 2020, de 1,3% a 0,2%, e para 2021, de 1,4% a 1,1%. A meta do Banco Central Europeu (BCE) é buscar uma taxa ligeiramente inferior a 2%.

Ainda que a expectativa seja de que todas as economias da zona do euro encolham este ano, as projeções destacam como a pandemia poderá impactar a região de forma distinta, com países como Grécia, Espanha e Itália sofrendo contrações próximas de 10% em 2020 e com forte avanço do desemprego, em especial no território espanhol.

A Comissão prevê que, até o fim do ano, sete economias da zona do euro terão relação dívida/PIB superior a 100%, com a da Grécia em quase 200% e a do Itália saltando de 135% para 159%.

A exemplo do que vem fazendo o BCE, a Comissão também alertou que um eventual fracasso da zona do euro em lançar uma resposta fiscal conjunta, em reação ao coronavírus, poderá causar danos permanentes.

A Comissão apontou ainda que há riscos negativos "extraordinariamente grandes" relacionados a uma pandemia mais longa do que se esperava, o que forçaria países da região a manter medidas de bloqueio por mais tempo. Fonte: Dow Jones Newswires.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

3º trimestre

Tesla: 5 números do balanço que surpreendeu o mercado

2020 tem sido um ano e tanto para as ações da montadora, que acumula uma alta superior a 420% e que pode fechar o seu primeiro ano no azul

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

2020 é o novo ‘ano dos IPOs’?

Se um viajante do tempo contasse à Julia de março ou abril que, bem antes do fim do ano, as bolsas americanas já teriam se recuperado e ultrapassado os patamares anteriores à crise, o Ibovespa já teria retornado ao patamar dos 100 mil pontos e que 2020 seria um grande ano de aberturas de capital […]

no zero a zero

Ibovespa zera ganhos no fim com queda em NY em meio à incerteza sobre estímulos

Dólar também encerra dia no zero a zero, demonstrando cautela dos investidores sobre pacote de ajuda à economia dos Estados Unidos, e juros futuros sobem com temor fiscal. Após pregão, saiu a notícia de que autoridades americanas estão mais próximas de um acordo

Dia de euforia

Bitcoin quebra recorde em reais e supera a marca dos R$ 70 mil

A moeda também rompeu a máxima do ano em dólar, cotada a mais de US$ 12 mil

Recorde

Arrecadação tem melhor resultado mensal em 6 anos

O resultado representa um aumento real (descontada a inflação) de 1,97% na comparação com o mesmo mês de 2019

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies