Menu
2020-02-12T18:07:35-03:00
Estadão Conteúdo
Otimismo no ar

Setor de mineração prevê investir US$ 32,5 bilhões até 2024

Valores apresentados representam uma alta diante dos US$ 27,5 bilhões estimados para o período 2019-2023

12 de fevereiro de 2020
18:07
Vale minério mineração
Imagem: Shutterstock

O Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram) estima que os investimentos do setor mineral para o período 2020-2024 some US$ 32,5 bilhões, contra US$ 27,5 bilhões estimados para o período 2019-2023. De acordo com Wilson Brumer, presidente do conselho diretor do instituto, isso indica uma recuperação do setor mineral nos próximos anos.

Além de investimentos em projetos haverá outros US$ 2,3 bi bilhões investidos pela indústria da mineração em descomissionamento, descaracterização de barragens a montante e outras providências relacionadas à segurança de estruturas de barragens.

A entidade que representa as mineradoras do País destacou que em minerais não metálicos, projetos de infraestrutura, habitação e saneamento do Programa de Parcerias de Investimento (PPI) vão alimentar o crescimento da produção e consumo de agregados para construção como areia, brita e cascalho.

Só os projetos do PPI para mineração deverão injetar R$ 270 milhões na economia: R$ 255 milhões em investimentos e R$ 15 milhões em outorgas.

Brumer avalia que movimentos do governo e da Agência Nacional de Mineração (ANM), como a política de expandir a atividade minerária legalizada e a aprovação automática de requerimentos de pesquisa caso não haja resposta em 120 dias, devem levar a um salto na pesquisa mineral a partir de 2020. Em 2019, houve 7.210 alvarás de pesquisa liberados pela ANM, contra 9.295 em 2018.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Pedido ao presidente

Instituto Aço Brasil pede a Bolsonaro para não reduzir tarifa de importação

Na visão do presidente executivo da entidade, Marco Polo de Mello Lopes, não há cenário de excepcionalidade que justifique tal medida

Insights Assimétricos

Preparado para a Super Quarta? O que você precisa saber antes das decisões do Fed e do Copom sobre juros

Um ajuste dos juros, mantendo-os ainda abaixo do neutro (entre 5,5% e 6,5%), seria salutar. Uma alta para além disso, contudo, poderá comprometer a retomada brasileira

Caçadores de tendências

Itaú Asset lança mais 3 ETFs com foco em inovação nas áreas de saúde, tecnologia e consumo dos millennials

Gestora do Itaú agora aposta em índices de empresas globais ligadas a tendências de consumo que estão mudando a sociedade

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

As ações das novas petroleiras valem a pena?

Nos recentes movimentos de rotação de carteiras nos mercados, temos nos deparado com a dicotomia Velha Economia (empresas de segmentos tradicionais) e Nova Economia (empresas ligadas à tecnologia e novas formas de consumo). Dentro do que se convencionou chamar de Velha Economia, temos visto o destaque das empresas de commodities, justamente o forte do Brasil. […]

Problemas no paraíso

Cesp, Engie, AES Brasil e mais: seca reduz brilho de ações do setor de geração hídrica

Com menos água, as empresas geram menos em hidrelétricas, mas não ficam livres de cumprir os contratos de fornecimento de energia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies