Menu
2020-01-06T17:00:58-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
DE OLHO NA COMMODITY

Ouro atinge a maior cotação desde abril de 2013

Seguindo o movimento internacional de busca por proteção, os contratos de ouro à vista negociados na B3 também apresentavam alta na tarde desta segunda-feira

6 de janeiro de 2020
16:40 - atualizado às 17:00
ouro barras
Barras de ouro - Imagem: Shutterstock

Diante do acirramento das tensões entre Estados Unidos e Irã e declarações acaloradas de Donald Trump, o ouro voltou a chamar a atenção dos investidores. A razão é uma só: ele é considerado porto seguro de quem investe quando o cenário externo parece mais incerto.

Na tarde desta segunda-feira (6), o Exchange Traded Fund (ETF) referenciado em preços de ouro que é negociado em Nova York, o SPDR Gold Trust (GLD), atingiu a sua maior cotação desde abril de 2013. Essa é uma das formas de analisar a valorização da commodity no mercado.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Por volta das 15h15 (horário de Brasília), o GLD subia 1,02%, cotado em US$ 147,38. A última vez que o ETF da commodity ultrapassou a barreira dos US$ 147 foi em 11 de abril de 2013 quando o ativo fechou o pregão em US$ 151,05.

Apenas para se ter uma ideia, antes do ataque que ocorreu na última quinta-feira (2) e que matou um dos homens mais poderosos do Irã, o general Qassem Soleimani, a cota do ETF encerrou o pregão em US$ 143,95.

Seguindo o movimento internacional de busca por proteção, os contratos de ouro à vista negociados na B3 também apresentavam alta na tarde desta segunda-feira.

Por volta do mesmo horário, o contrato maior de 250g que é negociado com o código OZ1D mostrava valorização de 1,10%, cotado em R$ 211,09.

Já o contrato menor de 10g (código OZ2D) estava sendo negociado na B3 a R$ 212,10, o que representa uma alta de 2,39%.

Entenda melhor o investimento em ouro

Além de funcionar como salvaguarda quando o dinheiro fica curto, o ouro é o refúgio de alguns investidores em momentos de incertezas.

Quem investe na commodity busca, antes de mais nada, proteção para o seu patrimônio.

Para entender melhor como funciona a formação do preço do ouro e como ele costuma se beneficiar em momentos de incerteza, o investidor deve olhar para três variáveis.

Em primeiro lugar está a taxa de juros norte-americana. Isso porque quanto maior a taxa de juros dos EUA, menos atrativo é investimento na commodity.

A razão é que a moeda americana ganha valor e fica mais interessante investir nos Estados Unidos do que buscar ativos de maior risco em outros mercados, como os emergentes, por exemplo.

O segundo ponto está ligado ao dólar. Se a moeda americana se valorizar frente a outras cestas de moedas como o real, os preços das commodities tendem a cair. Mas, se o dólar perder fôlego, as commodities, como ouro e petróleo, costumam ganhar força.

Na sequência, está a demanda direta. Nesse caso, o destaque vai para China e Índia, que são grandes compradores diretos de joias. Logo, quanto maior for o crescimento de ambos os países, maior será a demanda por esse tipo de mercadoria.

Estados Unidos vs. China

Além da questão da própria oferta e demanda do ativo, outro fator que ajudou a commodity a apresentar forte valorização em 2019 foi a intensificação da guerra comercial entre Estados Unidos e China.

No ápice do conflito, a cotação do principal ETF lastreado em ouro chegou a bater a casa dos US$ 146,66, em 4 de setembro de 2019.

Mas depois de idas e vindas no estabelecimento de um acordo entre os dois países, o ouro perdeu um pouco da força. A commodity fechou o último pregão do ano passado cotada em US$ 142,90, de olho na informação de que a fase 1 do acordo entre Estados Unidos e China seria assinada em janeiro deste ano.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

PENSATA DE DOMINGO

Nunca é tarde para entrar na bolsa. Será?

Hoje quero falar sobre a visão que eu e o Rodolfo compartilhamos para o ano de 2020. E, claro, o que você deve fazer com seus investimentos para chegar à aposentadoria precoce.

CORONAVÍRUS

Xi Jinping alerta para a ‘grave situação’ criada pela disseminação ‘acelerada’ do novo coronavírus

Até agora, as autoridades disseram que a doença já infectou mais de 1.300 pessoas e matou 41. Mas a Comissão Nacional de Saúde anunciou que 237 pacientes estão em condições graves

ECONOMIA

‘Recessão profunda torna retomada lenta’, diz economista do Insper

“Um ponto a se considerar é que, somando com os resultados de 2018, já são quase 1,2 milhão de empregos desde a crise. O mercado de trabalho demorou para responder, porque a recessão foi muito profunda, mas está respondendo”, falou Sergio Fripo

AINDA SOBRE A 'CAIXA-PRETA'

TCU dá 20 dias para BNDES explicar auditoria milionária da ‘caixa-preta’

Após um ano e dez meses focado em oito operações com as empresas JBS, Bertin, Eldorado Brasil Celulose, a auditoria não apontou nenhuma irregularidade

DE OLHO NA VALE

Vale paga multas ao governo mineiro, mas questiona cobranças do Ibama

De acordo com dados da Semad, foram aplicados até o momento 11 autos de infração em decorrência do rompimento da barragem no dia 25 de janeiro de 2019

OLHO NAS STARTUPS

Volume de aportes em startups do País cresce 80% e atinge US$ 2,7 bi em 2019

O número de aportes, por sua vez, cresceu 8,3% na comparação com 2018, mas não bateu recordes – em 2017, foram 263 investimentos no País, mas com valor individual menor, totalizando US$ 905 milhões

ACORDOS

Bolsonaro assina 15 acordos com a Índia e fala que comércio poderá superar US$ 50 bilhões até 2022

O principal acordo assinado é o de cooperação e facilitação de investimentos (ACFI), segundo o jornal Folha de S.Paulo

MAIS LIDAS DO SEU DINHEIRO

MAIS LIDAS: O sonho da aposentadoria rápida

Caro leitor, O que te assusta mais: o coronavírus ou a fila do INSS? Não tenho dúvidas de que a nova doença foi o assunto da semana no mundo todo, mas o desejo de se aposentar rápido – e sem depender do governo – foi o que bombou aqui no Seu Dinheiro.  O projeto Aposente-se aos […]

DE OLHO NA TECNOLOGIA

Toyota investe US$ 394 milhões em companhia de táxi aéreo elétrico, Joby Aviation

Parecida a um drone, a aeronave tem capacidade para quatro passageiros mais o piloto, possui seis hélices, um alcance de 150 milhas (aproximadamente 240 km) e pode voar até 200 milhas por hora (cerca de 320 km/h)

POLÍTICA

Em Davos, Doria se ‘afasta’ de Bolsonaro

Nesses 12 meses de intervalo, o clima entre os dois não apenas esfriou como houve troca de farpas tendo como pano de fundo o cenário político de 2022

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements