Menu
2020-01-06T17:00:58-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
DE OLHO NA COMMODITY

Ouro atinge a maior cotação desde abril de 2013

Seguindo o movimento internacional de busca por proteção, os contratos de ouro à vista negociados na B3 também apresentavam alta na tarde desta segunda-feira

6 de janeiro de 2020
16:40 - atualizado às 17:00
ouro barras
Barras de ouro - Imagem: Shutterstock

Diante do acirramento das tensões entre Estados Unidos e Irã e declarações acaloradas de Donald Trump, o ouro voltou a chamar a atenção dos investidores. A razão é uma só: ele é considerado porto seguro de quem investe quando o cenário externo parece mais incerto.

Na tarde desta segunda-feira (6), o Exchange Traded Fund (ETF) referenciado em preços de ouro que é negociado em Nova York, o SPDR Gold Trust (GLD), atingiu a sua maior cotação desde abril de 2013. Essa é uma das formas de analisar a valorização da commodity no mercado.

Por volta das 15h15 (horário de Brasília), o GLD subia 1,02%, cotado em US$ 147,38. A última vez que o ETF da commodity ultrapassou a barreira dos US$ 147 foi em 11 de abril de 2013 quando o ativo fechou o pregão em US$ 151,05.

Apenas para se ter uma ideia, antes do ataque que ocorreu na última quinta-feira (2) e que matou um dos homens mais poderosos do Irã, o general Qassem Soleimani, a cota do ETF encerrou o pregão em US$ 143,95.

Seguindo o movimento internacional de busca por proteção, os contratos de ouro à vista negociados na B3 também apresentavam alta na tarde desta segunda-feira.

Por volta do mesmo horário, o contrato maior de 250g que é negociado com o código OZ1D mostrava valorização de 1,10%, cotado em R$ 211,09.

Já o contrato menor de 10g (código OZ2D) estava sendo negociado na B3 a R$ 212,10, o que representa uma alta de 2,39%.

Entenda melhor o investimento em ouro

Além de funcionar como salvaguarda quando o dinheiro fica curto, o ouro é o refúgio de alguns investidores em momentos de incertezas.

Quem investe na commodity busca, antes de mais nada, proteção para o seu patrimônio.

Para entender melhor como funciona a formação do preço do ouro e como ele costuma se beneficiar em momentos de incerteza, o investidor deve olhar para três variáveis.

Em primeiro lugar está a taxa de juros norte-americana. Isso porque quanto maior a taxa de juros dos EUA, menos atrativo é investimento na commodity.

A razão é que a moeda americana ganha valor e fica mais interessante investir nos Estados Unidos do que buscar ativos de maior risco em outros mercados, como os emergentes, por exemplo.

O segundo ponto está ligado ao dólar. Se a moeda americana se valorizar frente a outras cestas de moedas como o real, os preços das commodities tendem a cair. Mas, se o dólar perder fôlego, as commodities, como ouro e petróleo, costumam ganhar força.

Na sequência, está a demanda direta. Nesse caso, o destaque vai para China e Índia, que são grandes compradores diretos de joias. Logo, quanto maior for o crescimento de ambos os países, maior será a demanda por esse tipo de mercadoria.

Estados Unidos vs. China

Além da questão da própria oferta e demanda do ativo, outro fator que ajudou a commodity a apresentar forte valorização em 2019 foi a intensificação da guerra comercial entre Estados Unidos e China.

No ápice do conflito, a cotação do principal ETF lastreado em ouro chegou a bater a casa dos US$ 146,66, em 4 de setembro de 2019.

Mas depois de idas e vindas no estabelecimento de um acordo entre os dois países, o ouro perdeu um pouco da força. A commodity fechou o último pregão do ano passado cotada em US$ 142,90, de olho na informação de que a fase 1 do acordo entre Estados Unidos e China seria assinada em janeiro deste ano.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

DRAGÃO COM FOME

Comida pressiona inflação até o fim do ano, dizem analistas

Dólar em alta, oferta escassa por causa da entressafra e o auxílio emergencial estão provocando o aumento dos preços

CCR: Alerj recomenda retomar concessão de rodovia, mas governo é contra

Assembleia quer retomada da rodovia para reduzir tarifas, consideradas altas devido a irregularidades no contrato de concessão

TRETA

Maia e Alcolumbre criticam Salles após atrito com Ramos

Presidente da Câmara diz que ministro do Meio Ambiente resolveu destruir o próprio governo

SE PROTEJA

Títulos de renda fixa atrelados ao IPCA viram opção

Alta da inflação em outubro faz investidores e gestores avaliarem novas formas de proteção de patrimônio

SELEÇÃO DE NOTÍCIAS

BDR, bitcoin, shopping: o melhor do Seu Dinheiro na semana

O fim de semana chegou com uma notícia bastante esperada pelos investidores: a volta do Ibovespa ao patamar de 100 mil pontos. O principal índice da B3 foi impulsionado esta semana por dois acontecimentos. O primeiro deles foi o alívio das preocupações em torno do risco fiscal brasileiro, com políticos e governo demonstrando compromisso com a manutenção do teto de gastos. Outro tema foi a esperança de aprovação de um pacote de estímulos […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies