Menu
2020-06-05T16:01:38-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Dono da Warner Music

Len Blavatnik: o bilionário que apostou na indústria fonográfica e se tornou um dos homens mais ricos do mundo

Com o bem-sucedido IPO da Warner Music, na Nasdaq, Blavatnik, que apostou na empresa quando a indústria fonográfica desmoronava, saltou quase 20 posições na lista dos mais ricos do mundo

5 de junho de 2020
16:01
O bilionário Len Blavatnik
Imagem: Mark Neyman / Government Press Office (Israel)

Você lembra de como era o mundo em 2011? Dilma Rousseff estava na presidência, a franquia Harry Potter chegava ao fim nos cinemas (sendo o filme mais assistido do ano) e a indústria musical patinava com a queda expressiva m nas vendas de álbuns e um prejuízo homérico com a pirataria que dominava o mundo digital.

Com o mercado fonográfico aos pedaços, um investimento na indústria provavelmente não seria a primeira escolha de muita gente. Nadando contra a maré,o bilionário Len Blavatnik decidiu arriscar e, nesta semana, mostrou que o negócio valeu a pena - Blavatnik passou a figurar entre os 30 mais ricos do mundo, de acordo com a Bloomberg.

O maior IPO de 2020

Entrar na lista dos 30 mais ricos do mundo não foi o evento mais importante na vida do bilionário Len Blavatnik nesta semana.

O magnata comprou a Warner Music Group por US$ 3,3 bilhões em 2011, justamente em um momento que ninguém apostava muito na indústria. As coisas mudaram - principalmente no que diz respeito ao consumo digital de música - e a levou a ser a protagonista da maior oferta pública de ações (IPO, na sigla em inglês) de 2020 na bolsa americana.

Com um dia de atraso devido aos protestos que tomaram conta dos Estados Unidos, a Warner Music estreou na Nasdaq na última quarta-feira (05). A empresa movimentou US$1,93 bilhão e terminou o primeiro dia de negociações com uma forte alta de 20,48%, a US$ 30,12.

Na oferta, a ação da companhia foi precificada a US$ 25, o que, após o primeiro dia positivo de negociações, elevou o valor de mercado da Warner Music para US$ 15,6 bilhões. A abertura de capital da gravadora - que ao lado da Universal Music e Sony Music é uma das maiores do mundo -, é uma grande reviravolta para o setor.

Depois de anos difíceis com a queda da venda de álbuns e a pirataria descontrolada, a indústria encontrou a sua chance de virada com a popularização das plataformas de streamings como Spotify, Deezer e Apple Music. Agora, as companhias voltam a crescer e o setor parece mais aquecido do que nunca.

Subindo na lista

Len Blavatnik, dono da Acess Industries - empresa com participação majoritária na Warner Music -, fez mais do que só quintuplicar o valor de mercado da empresa que tem estrelas como Lizzo, Ed Sheeran, Bruno Mars e David Bowie em seu catálogo. Ele foi o grande beneficiado do IPO .

Na oferta desta semana, as empresas de Blavatnik venderam 77 milhões de ações, das quais nenhum centavo foi diretamente para a gravadora. O patrimônio do empresário de 62 anos passou de US$ 7,5 bilhões para US$ 31,2 bilhões, pulando quase 20 posições no ranking de homens mais ricos do mundo.

Antes da tacada certeira na compra da Warner Music lá em 2011, Blavatnik fez fortuna comprando campos de petróleo após a queda da União Soviética. A companhia de Len já foi dona da Basell Polyolefins e da BASF e hoje detém cerca de 14% da LyondellBasell.

O bilionário também é reconhecido pelo seu papel de filantropo. O estimado é que Blavatnik já tenha doado mais de US$ 500 milhões para instituições de ensino. Pela sua atuação, recebeu o título de cavaleiro do império britânico em 2017.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

vai demorar um pouco

Anfavea prevê que mercado de veículos voltará ao ritmo pré-pandemia em 2025

Previsão foi feita nesta segunda-feira. Projeção da Anfavea para 2020 é de retração de 40% nas vendas

tributação progressiva

Proposta de reforma tributária retira benefícios para IRPJ e IRPF, diz secretário da Receita

Secretário da Receita Federal, José Tostes disse que a proposta de reforma tributária do governo federal passará por retirar benefícios e incentivos no Imposto de Renda

Por um punhado de ações

The good, the bad and the ugly: Ibovespa sobe forte, mesmo sem novidades no radar

O Ibovespa subiu mais de 2%, foi às máximas em quatro meses e se aproximou dos 100 mil pontos. Entenda o enredo desse western spaghetti

vice da república

Recuperação da economia depende de avanço nas reformas, diz Mourão

Em live do Banco Credit Suisse Brasil, Mourão também justificou a aproximação do governo com o grupo de cerca de 200 deputados que compõem os partidos do centro

parada desde maio de 2019

Com dívidas de R$ 2,7 bi, Avianca Brasil entra com pedido de falência

Com dívidas que somam R$ 2,7 bilhões, a companhia aérea estava sem operar desde maio do ano passado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements