Menu
2020-08-25T09:15:11-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
preços em foco

Prévia da inflação de agosto fica em 0,23%, puxada pelo preço dos combustíveis

Preços dos combustíveis subiram 2,31% e pressionaram a prévia da inflação; resultado veio em linha com as expectativas do mercado

25 de agosto de 2020
9:08 - atualizado às 9:15
gasolina carro combustível
Imagem: Shutterstock

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) avançou 0,23% em agosto, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados nesta terça-feira (25). Resultado em linha com a estimativa de 0,23% do mercado.

Os preços dos combustíveis subiram 2,31% e pressionaram a prévia da inflação, de acordo com o IBGE. O maior impacto individual positivo (0,12 ponto percentual) veio da gasolina, com alta de 2,63%, enquanto o óleo diesel (3,58%) e o gás veicular (0,47%) também avançaram. Etanol apresentou queda de 0,28%.

Com alta de 0,75%, Transportes foi o grupo que exerceu o maior impacto sobre o índice de agosto (0,15 ponto percentual), diz o instituto. Embora tenha havido desaceleração em relação a julho (1,11%), quando também foi o grupo que mais pressionou a inflação.

Por outro lado, o grupo Educação freou um aumento ainda maior nos preços. Com a suspensão das aulas presenciais por conta da pandemia de Covid-19, várias instituições de ensino concederam descontos nas mensalidades, que foram contabilizados no IPCA-15 de agosto.

O grupo registrou deflação de 3,27%, com a contribuição negativa mais intensa, de -0,21 ponto percentual.

Os preços dos cursos regulares recuaram 4,01%. A maior queda foi observada na pré-escola (-7,30%), seguida pelos cursos de pós-graduação (-5,83%), de educação de jovens e adultos (-4,74%) e de ensino superior (-3,91%).

Quarto mês de alta

Ainda conforme o IBGE, artigos de residência, como eletrodomésticos e equipamentos, subiram pelo quarto mês consecutivo, registrando alta de 0,88%.

Preços de itens de mobiliário (-0,14%) seguem em queda, apesar da redução ter sido menor que a observada em julho (-0,91%). Também tiveram alta os preços dos produtos e serviços de Comunicação (0,86%) e Alimentação e bebidas (0,34%).

Com alta nas carnes (3,06%), leite longa vida (4,36%) e frutas (2,47%), os alimentos para consumo no domicílio subiram 0,61%. Outros produtos importantes na cesta das famílias, como o arroz (2,22%) e o pão francês (0,99%), também subiram. Mas deu para economizar nos preços do tomate (-4,20%), da cebola (-8,04%), do alho (-8,15%) e da batata-inglesa (-17,16%).

Devido aos reajustes tarifários, a energia elétrica sentiu elevação de 1,61%, pressionando o grupo Habitação (0,57%). As contas de luz subiram em Belém, São Paulo, Fortaleza, Salvador, Recife, Belo Horizonte e Porto Alegre. As únicas áreas onde os preços da energia elétrica recuaram foram Curitiba (-2,59%) e Brasília (-0,36%), ambas devido às reduções nas alíquotas de PIS/Cofins.

Em relação aos índices regionais, todas as regiões pesquisadas apresentaram variação positiva em agosto. O maior índice foi verificado na região metropolitana de Belo Horizonte (0,37%), especialmente por conta das altas nos preços das carnes (7,01%) e da gasolina (3,56%).

Já a menor variação foi registrada em Brasília (0,08%), onde pesaram principalmente as quedas nos preços de alguns itens alimentícios.

Os preços foram coletados entre 15 de julho e 13 de agosto de 2020 (referência) e comparados com aqueles vigentes de 16 de junho a 14 de julho de 2020 (base).

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

medida anticrise

Governo vai prorrogar novamente corte de jornada e salário

Programa foi anunciado em abril como medida para evitar um aumento ainda maior do desemprego diante da pandemia do novo coronavírus

defesas na corte

STF julga ação sobre venda de refinarias da Petrobras; veja o que já foi dito

Corte analisa um pedido de autoria do Senado Federal que alega que o governo federal estaria desmembrando a empresa para vender ativos; julgamento acontece nesta quinta

atenção, acionista

Hypera paga R$ 185,4 milhões em juros sobre capital próprio

Segundo a empresa, serão de R$0,29290 por ação ordinária, com retenção de imposto de renda na fonte; veja condições

PANDEMIA NO PAÍS

Brasil registra 1.031 mortes por coronavírus nas últimas 24 horas

O último registro acima de mil mortes pela covid-19 havia ocorrido em 15 de setembro

privatizações

‘Paulo Guedes está desequilibrado’, diz Maia após acusação

Ministro falou que há boatos de que o deputado fez um acordo com a esquerda para não pautar as privatizações

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements