Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-09-23T12:29:40-03:00
Estadão Conteúdo
Investimentos estrangeiros

Investimento direto no país (IDP) soma US$ 1,430 bilhão em agosto, diz BC

No acumulado dos 12 meses até agosto deste ano, o saldo de investimento estrangeiro ficou em US$ 54,461 bilhões, o que representa 3,51% do Produto Interno Bruto (PIB)

23 de setembro de 2020
12:29
Moeda Nacional, Real, Dinheiro, notas de real
Imagem ilustrativa - Imagem: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

Em um ambiente de incertezas sobre o futuro do Brasil, na esteira da pandemia do novo coronavírus, os Investimentos Diretos no País (IDP) somaram US$ 1,430 bilhão em agosto, informou nesta quarta-feira o Banco Central.

No acumulado do ano até agosto, o ingresso de investimentos estrangeiros destinados ao setor produtivo somou US$ 26,957 bilhões. A estimativa do BC para este ano é de IDP de US$ 55,0 bilhões. Este valor será atualizado amanhã por meio do Relatório Trimestral de Inflação (RTI).

No acumulado dos 12 meses até agosto deste ano, o saldo de investimento estrangeiro ficou em US$ 54,461 bilhões, o que representa 3,51% do Produto Interno Bruto (PIB).

Remessa de lucros

A remessa de lucros e dividendos de companhias instaladas no Brasil para suas matrizes foi de US$ 276 milhões em agosto, informou o Banco Central. A saída líquida representa um volume inferior aos US$ 3,339 bilhões que foram enviados em igual mês do ano passado, já descontados os ingressos.

No acumulado do ano até agosto, a saída líquida de recursos via remessa de lucros e dividendos alcançou US$ 13,470 bilhões. A expectativa do BC é de que a remessa de lucros e dividendos de 2020 some US$ 13,2 bilhões. Esta projeção, no entanto, será atualizada amanhã por meio do Relatório Trimestral de Inflação.

O BC informou também que as despesas com juros externos somaram US$ 925 milhões em agosto, ante US$ 1,364 bilhão em igual mês do ano passado. No acumulado do ano até agosto, essas despesas alcançaram US$ 15,079 bilhões.

Viagens internacionais

A conta de viagens internacionais registrou déficit de apenas US$ 123 milhões em agosto. O valor reflete a diferença entre o que os brasileiros gastaram lá fora e o que os estrangeiros desembolsaram no Brasil no período. Em agosto de 2019, o déficit nessa conta foi de US$ 842 milhões.

Na prática, com o dólar mais elevado e a restrição de voos em vários países com a pandemia, os gastos líquidos dos brasileiros no exterior despencaram 85,39% em agosto deste ano. Vale lembrar que a pandemia do novo coronavírus ganhou corpo a partir de março, quando se intensificaram as restrições de deslocamento entre países.

O desempenho da conta de viagens internacionais no mês passado foi determinado por despesas de brasileiros no exterior, que somaram US$ 270 milhões - queda de 79,37% em relação a agosto de 2019. Já o gasto dos estrangeiros em viagem ao Brasil ficou em US$ 146 milhões no mês passado, o que representa um recuo de 31,20%.

No ano até agosto, o saldo líquido da conta de viagens ficou negativo em US$ 1,892 bilhão.

Taxa de rolagem

O Banco Central também informou que a taxa de rolagem de empréstimos de médio e longo prazos captados no exterior ficou em 35% em agosto. Esse patamar significa que não houve captação de valor em quantidade suficiente para rolar compromissos das empresas no período. O resultado ficou bem abaixo do verificado em agosto do ano passado, quando a taxa havia sido de 254%.

De acordo com os números apresentados hoje pelo BC, a taxa de rolagem dos títulos de longo prazo ficou em 10% em agosto. Em igual mês de 2019, havia sido de 168%. Já os empréstimos diretos atingiram 38% no mês passado, ante 256% de agosto do ano anterior.

No ano até agosto, a taxa de rolagem total ficou em 80%. Os títulos de longo prazo tiveram taxa de 60% e os empréstimos diretos, de 88% no período. O BC estima taxa de rolagem de 100,0% para 2020.

Investimento em ações

O investimento estrangeiro em ações brasileiras ficou positivo em US$ 354 milhões em agosto. Em igual mês do ano passado, o resultado havia sido negativo em US$ 3,486 bilhões. No acumulado do ano até agosto, o saldo ficou negativo em US$ 17,165 bilhões.

Já o investimento líquido em fundos de investimentos no Brasil ficou negativo em US$ 57 milhões em agosto. No mesmo mês do ano passado, ele havia sido positivo em US$ 23 milhões. No acumulado do ano até agosto, os aportes nos fundos somam US$ 187 milhões.

O saldo de investimento estrangeiro em títulos de renda fixa negociados no País ficou positivo em US$ 2,045 bilhões em agosto. No mesmo mês do ano passado, havia ficado negativo em US$ 3,130 bilhões. No ano, o saldo em renda fixa ficou negativo em US$ 8,794 bilhões.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

DUPLO DOWNGRADE

UBS rebaixa Vale de ‘compra’ para ‘venda’ e corta preço-alvo do ADR

Banco suíço considera que distribuição de dividendos pela mineradora brasileira torna-se muito menos atraente com a cotação do minério de ferro abaixo de US$ 100 por tonelada

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro abre em queda com susto de aumento de imposto e exterior negativo; dólar também recua

A medida pegou os investidores de surpresa e o vencimento de opções em Nova York coloca o exterior sob pressão

O melhor do seu dinheiro

Uma ação para lucrar com a crise hídrica, Bolsonaro eleva IOF, dividendos da Vale e outras notícias do dia

Não é de hoje que o Brasil sofre com risco de apagão e racionamento de energia. Em 2001, o país precisou recorrer a blecautes programados e obrigar famílias e empresas a economizarem energia elétrica sob pena de aumentos pesados na conta de luz. Quem viveu a época lembra bem das trocas de lâmpadas incandescentes por […]

Coluna do jojo

Bolsa hoje: dia de bruxaria nos mercados e um novo IOF para chamar de seu

Novo decreto presidencial aumentou as alíquotas do IOF sobre as operações de crédito para as pessoas físicas e jurídicas de 20 de setembro até 31 de dezembro. Se esta notícia é negativa e pode cair mal na bolsa nacional hoje, temos também a digestão da aprovação da PEC dos Precatórios

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: aumento de IOF pega investidor de surpresa e vencimento de opções no exterior deve movimentar bolsa hoje

O dia deve contar com alta volatilidade nos mercados internacionais, com o quadruple witching e o investidor fica de olho na nova medida do governo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies