Menu
2020-08-20T11:04:21-03:00
Estadão Conteúdo
REFORMA TRIBUTÁRIA

Há condições de votar PEC 45 na Câmara em outubro, afirma Baleia Rossi

Rossi também citou o apoio conquistado entre os secretários das fazendas dos Estados como um ativo importante na tramitação da PEC 45, e disse estar construindo uma boa interlocução também entre os prefeitos dos maiores municípios brasileiros

20 de agosto de 2020
11:02 - atualizado às 11:04
baleia-rossi
Baleia Rossi, líder do MDB na Câmara - Imagem: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP) afirmou nesta quinta-feira, 20, que há condições de votar já em outubro a proposta de emenda constitucional (PEC) 45, de sua autoria, e que trata da reforma tributária. Na Conferência Anual do Santander Brasil, o parlamentar se disse otimista com a discussão unificada a respeito da reforma que ocorre concomitantemente na Câmara e no Senado, além de contar com apoio da equipe econômica.

"Temos absoluta convicção de que não será só mais um capítulo dessa novela. Teremos condições de em agosto e setembro fazer as discussões, e em outubro já deliberar na Câmara, em dois turnos e depois enviar ao Senado. Os ajustes necessários serão feitos pelos deputados, pelos senadores e isso facilita, não há duas discussões que podem ter divergências", explicou Rossi, minimizando o risco de que a reforma seja desmembrada no Congresso. Para ele, "as chances de votarmos nesse semestre a reforma tributária são altíssimas".

Rossi também citou o apoio conquistado entre os secretários das fazendas dos Estados como um ativo importante na tramitação da PEC 45, e disse estar construindo uma boa interlocução também entre os prefeitos dos maiores municípios brasileiros, com seus prefeitos reunidos na Frente Nacional de Prefeitos (FNP). "Abrimos um bom diálogo, existe ainda alguma resistência dos municípios maiores, mas conseguimos estabelecer um cronograma de trabalhos para avançar juntos aos prefeitos de cidades grandes, e isso significa apoio político dentro da Câmara e do Senado", pontuou.

O deputado disse contar também com amplo apoio no Congresso Nacional, afirmando que "hoje temos um Congresso reformista" e que prova disso seria aprovação da reforma previdenciária. Sobre o governo, Rossi disse que a proposta enviada pelo Ministério da Economia para unificação de tributos na Contribuição Sobre Bens e Serviços (CBS) "se comunica 100% com a PEC 45, e é mais um fator que nos dá esperança e a certeza que avançarmos nesse tema".

Contencioso tributário

Rossi também afirmou que a PEC 45 deve reduzir o nível de contencioso tributário no Brasil, que segundo ele gira em torno de R$ 5 trilhões. "A PEC 45 quer acabar com a guerra fiscal, porque nela todos acabam perdendo. A reforma tributária que estamos defendendo vai diminuir de maneira muito contundente o contencioso no nosso País", disse na conferência do Santander. De acordo com Rossi, os governadores têm apoiado a PEC 45 e já "compreendem que todos perdem com a guerra fiscal".

A economista-chefe do banco, Ana Paulo Vescovi, chamou de "absurdo" o valor dos contenciosos. "São quase 75% do PIB, acho que nenhum país do mundo tem esse nível de contencioso tributário", afirmou.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

ficou para esta quinta

Para privatizar Eletrobras, governo aceita mais 19 emendas à MP

Por acordo entre os senadores, o texto da MP será votado apenas amanhã, 17, a partir das 10h, e até lá, eles poderão apresentar sugestões de destaques, que podem alterar o teor do parecer

seu dinheiro na sua noite

A Selic subiu mais um pouco – e na próxima reunião tem mais

Esta “Super Quarta” terminou com os bancos centrais brasileiro e americano apertando um pouquinho mais a torneirinha dos juros. A inflação pressiona, aqui e na terra do Tio Sam, e as autoridades monetárias querem mostrar que permanecem vigilantes. O Federal Reserve ainda não elevou propriamente as taxas de juros, que foram mantidas entre zero e […]

Entrevista

Sinais do Copom apontam para Selic a 7% no fim do ano, diz Padovani, do banco BV

Economista-chefe do banco BV, Roberto Padovani destacou o tom mais ríspido do Banco Central e a indicação de que a Selic continuará em alta

MUDANÇA NOS JUROS

COMPARATIVO: Veja o que mudou no novo comunicado do Copom

Veja o que ficou igual e o que mudou no comunicado da decisão do Copom a respeito da taxa Selic, elevada ao patamar de 4,25% ao ano

Subiu de novo

Como ficam os seus investimentos em renda fixa com a Selic em 4,25% ao ano

Veja como fica o retorno das aplicações conservadoras de renda fixa agora que o Banco Central elevou a Selic mais uma vez

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies