Menu
2020-03-24T17:17:21-03:00
Estadão Conteúdo
GÁS NATURAL

Governo do Rio pede à Petrobras para flexibilizar contrato de gás a concessionária

A empresa concordou em isentar o pagamento de multas e moras nas faturas de competência março/2020, até 30 dias após o seu vencimento, informou o governo

24 de março de 2020
16:37 - atualizado às 17:17
BR distribuidora
BR distribuidora - Imagem: Divulgação

O governo do Estado do Rio de Janeiro pediu à Petrobras a flexibilização de contratos de compra e venda de gás natural junto à Ceg e Ceg Rio, concessionárias operadas pela Naturgy.

Na semana passada, a concessionária negociou com o governo estadual a suspensão, por 30 dias, de cortes e desligamentos em razão da inadimplência dos consumidores pertencentes aos segmentos residencial e comercial de pequeno porte. A empresa concordou em isentar o pagamento de multas e moras nas faturas de competência março/2020, até 30 dias após o seu vencimento, informou o governo.

A proposta é de que a Petrobras postergue temporariamente os prazos de cobrança da parcela de molécula do preço do gás, repassadas pela Naturgy, e considere o cancelamento de eventuais penalidades por menor retirada de gás, em razão dos reflexos decorrentes da redução de consumo devido à pandemia da covid-19.

"A medida visa proporcionar tranquilidade principalmente aos grandes consumidores de gás natural em razão do compromisso de pagamento mínimo da capacidade contratada", explicou o governo em nota.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

análise dos balanços

Juntos, Santander, Itaú e Bradesco têm salto no lucro, mas saúde financeira não tranquiliza mercado

Um contraste fica visível na comparação entre Santander e Itaú, principalmente: o comportamento da margem financeira das operações com clientes

Desmatamento em foco

Varejistas europeus ameaçam boicote a produtos do Brasil por risco à Amazônia

O movimento foi visto como “precipitação” por empresários brasileiros que acompanham dois projetos de lei que tramitam no Congresso sobre o tema

CÉU DE BRIGADEIRO

No pós-Copom, Ibovespa tem tudo para amanhecer com céu azul e sol brilhante

Com o Banco Central fora da cena principal, bolsa brasileira tem tudo para acompanhar o apetite por risco no exterior

Troca de presidência

Carlos Brito vai deixar o comando da AB InBev em 1º de julho

O substituto de Brito no comando da AB InBev também é brasileiro: o engenheiro catarinense Michel Dukeris, que ingressou na AmBev em 1996

primeiro trimestre

TIM anuncia alta de 57,9% do lucro e venda de controle da FiberCo

Receita líquida somou R$ 4,340 bilhões, ligeira alta de 3% sobre igual período do ano anterior

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies