Menu
2020-10-21T19:00:51-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Leilão do 5G

Decisão sobre 5G deve ficar para começo de 2021, diz embaixador brasileiro

Após pressões dos EUA contra a companhia chinesa Huawei no leilão do 5G, Nestor Forster afirma que decisão ‘não será tomada em Washington, mas em Brasília’

21 de outubro de 2020
9:01 - atualizado às 19:00
Tecnologia 5G
Imagem: Shutterstock

A decisão de deixar ou não a chinesa Huawei participar do leilão de frequências 5G no Brasil deve ficar para o ano que vem, disse na terça-feira, 20, o embaixador do Brasil em Washington, Nestor Forster.

Uma delegação americana deixou claro, em visita ao Brasil nesta semana, que espera que o País escolha empresas de outras nacionalidades para a construção de sua infraestrutura 5G.

"É razoável que isso seja olhado com a seriedade que requer o assunto e essa decisão eu entendo que vai ser tomada mais para frente, no início do ano que vem", afirmou Forster em entrevista a correspondentes brasileiros em Washington. "Não se trata de banir essa ou aquela empresa, trata-se de procurar atender ao interesse nacional. É isso que está em jogo", afirmou o embaixador.

Os EUA têm feito lobby para que a chinesa Huawei, maior fabricante de equipamentos de telecomunicações do mundo e o principal nome na corrida pelo oferecimento de tecnologia 5G, seja vetada dos leilões. Washington argumenta que a empresa é um braço de vigilância do Partido Comunista Chinês.

Os chineses negam. Para os americanos, um "caminho limpo" de 5G pressupõe que fornecedores não confiáveis - como a Huawei, na visão dos EUA - devem ser banidos do oferecimento de equipamentos de transmissão, controle ou armazenamento de rede 5G.

EUA oferece financiamento

Em visita ao Brasil nesta semana, as autoridades americanas disseram que os EUA estão dispostos a financiar "qualquer investimento" no setor de telecomunicações brasileiro.

O embaixador brasileiro afirmou que o financiamento oferecido pelos americanos está dentro das possibilidades da adesão feita pelo Brasil em março ao programa americano América Cresce.

O programa prevê acesso ao fundo de US$ 60 bilhões da Corporação Financeira dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional para financiamento de projetos de infraestrutura, inclusive tecnológica.

Os EUA duplicaram a capitalização do organismo para financiar empresas americanas e de aliados que ajudem na construção de redes 5G de países que se comprometem em manter as empresas chinesas fora da rede.

"É mais uma possibilidade de crédito com condições melhores que no mercado para financiar essa área de tecnologia. Reitero que é uma decisão que não será tomada em Washington, mas em Brasília", disse o embaixador brasileiro.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

rearranjo no segmento

Dona da Farm negocia fusão com a Shoulder, de moda feminina

Empresas mantém conversa “em fase preliminar”, em um momento de rearranjo do segmento; Grupo Soma comprou recentemente a NV e a Lauf

Meme bilionário

O que está por trás da valorização de 500% do Dogecoin em uma semana?

O projeto levou várias pessoas a ficarem milionárias, mas pode fazer muita gente perder dinheiro daqui para frente

Chama o doutor

Após desconto em IPO, ações da Mater Dei estreiam em queda na B3

A situação atual do mercado e a fila de companhias de saúde prontas para abrirem o capital prejudica a rede de hospitais

mudanças na estatal

Conselho confirma general indicado por Bolsonaro para presidir Petrobras e novos diretores

Joaquim Silva e Luna assume o cargo então ocupado por Roberto Castello Branco Branco, demitido porque Bolsonaro estava insatisfeito com política de preços

Só a Vale salva

Tá difícil viver de renda: empresas cortaram R$ 38 bilhões em dividendos na pandemia

Muitas companhias optaram por distribuir menos dinheiro aos acionistas e preservar o caixa durante a crise econômica

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies