Menu
2020-02-06T17:07:09-03:00
Estadão Conteúdo
Fora da caderneta

Caderneta de poupança tem recorde de saques em janeiro

Volume de saída de R$ 12,3 bilhões é típico do início de ano, quando as famílias utilizam os recursos para quitar despesas como IPTU e IPVA

6 de fevereiro de 2020
16:36 - atualizado às 17:07
Poupança
Imagem: Tenor

As famílias brasileiras voltaram a sacar recursos da caderneta de poupança em janeiro deste ano. Dados do Banco Central mostram que, no mês passado, os saques líquidos somaram R$ 12,356 bilhões. Foi o maior volume de saques em um único mês em toda a série histórica do BC, iniciada em janeiro de 1995.

Retiradas de recursos costumam ser comuns nos meses de janeiro. Isso porque muitas famílias apelam para o dinheiro da caderneta de poupança para fazer frente a diversas despesas de início de ano, como o pagamento do IPTU em muitas cidades e os gastos com matrícula e material escolar dos filhos.

Em janeiro, os depósitos brutos somaram R$ 216,987 bilhões, enquanto os saques brutos foram de R$ 229,344 bilhões. Assim, considerando a saída líquida de R$ 12,356 bilhões e o rendimento de R$ 2,506 bilhões visto no mês, o estoque total na caderneta de poupança atingiu R$ 835,615 bilhões no fim de janeiro.

Em todo o ano de 2019, a poupança havia registrado depósitos líquidos de R$ 13,327 bilhões. Em janeiro do ano passado, os saques líquidos haviam sido de R$ 11,232 bilhões.

Além da necessidade de recursos pelas famílias, o saldo da caderneta de poupança tem sido influenciado pelo interesse de uma parcela dos investidores por outras aplicações. Isso porque, com a queda da Selic (a taxa básica de juros), a remuneração da poupança também vem diminuindo.

Atualmente, a poupança é remunerada pela taxa referencial (TR), que está em zero, mais 70% da Selic. A Selic, por sua vez, está em 4,25% ao ano, no menor patamar da história.

Esta regra de remuneração vale sempre que a Selic estiver abaixo dos 8,50% ao ano. Quando estiver acima disso, a poupança é atualizada pela TR mais uma taxa fixa de 0,5% ao mês (6,17% ao ano).

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

CRIPTOMOEDA

Bitcoin ultrapassa US$ 60 mil antes de abertura de capital da Coinbase Global

Criptomoeda teve alta de 4,87%, a quatro dias de IPO da maior corretora de moedas digitais dos EUA

pandemia

Mortes por Covid-19 cresceram 468% no Brasil entre janeiro e março, alerta Fiocruz

Para os novos casos, o aumento foi de 701%; Sul e Centro-Oeste tendem a cenário mais crítico nas próximas semanas.

IPCA DE MARÇO

Inflação vai a 0,93% e mercado vê risco de estourar meta

Taxa acumulada passou a 6,10% no mês passado, reforçando temor de que inflação oficial termine o ano acima do teto da meta, de 5,25%.

congresso X executivo

Orçamento tem guerra de pareceres

Câmara e Senado se armaram com notas técnicas para mostrar que o presidente Jair Bolsonaro pode sancionar o Orçamento sem vetos a emendas; Ministério da Economia já prepara próprio embasamento jurídico.

Aura e Aeris: veja o que dizem os CEOs das novatas da bolsa e outras notícias que bombaram na semana no Seu Dinheiro

Novidade na praça sempre causa burburinho. Na bolsa não é diferente. É bem verdade que as opiniões divergem:Lindas!Não são lá tudo isso…Não sei, nunca ouvi falarA bolsa brasileira recebeu 43 novas integrantes em 2020 e 2021. E a fila para entrar continua a aumentar. Para você, amigo leitor, isso é excelente. São mais ações na […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies