Menu
Ivan Sant’Anna
Seu Mentor de Investimentos
Ivan Sant’Anna
É trader no mercado financeiro e autor da Inversa
2020-04-01T17:49:39-03:00
UM DOS TRADERS MAIS EXPERIENTES DO BRASIL

Por que decidi voltar a investir na Bolsa aos 80 anos e após 25 anos fora do mercado

Após um quarto de século, volto para a Bolsa. Como não tenho necessidade imediata de dinheiro, simplesmente tenho certeza de que vou ganhar.

1 de abril de 2020
14:40 - atualizado às 17:49
Ivan Sant’Anna
Ivan Sant’Anna - Imagem: Divulgação

Quando, em abril de 1995, após 37 anos trabalhando na linha de frente de trading desks do mercado, larguei a profissão para me tornar escritor, não abdiquei de minha condição de especulador.

“Quer dizer que você continuou treidando?”, pode estar perguntando o leitor.

“Negativo”, respondo. É que a literatura é tão ou mais arriscada do que bolsas e futuros.

Um livro pode se tornar um tremendo sucesso, como aconteceu com Os Mercadores da Noite, Rapina, Caixa-preta, 1929 e mais alguns. Outros, nem tanto, como foi o caso de Que nem Sabão em Pó, Em nome de Sua Majestade e Voo Cego. Deram prejuízo a mim e aos editores.

Como tinha algum dinheiro guardado, em dólares, nos Estados Unidos, aplicados em papéis de renda fixa, fiquei só na especulação literária.

Por mérito, ou por sorte (nunca se sabe), acabei ganhando nos dois segmentos: lá e cá.

Na literatura, só para ficar em dois exemplos, os direitos de filmagem de Os mercadores da noite (“The Sunday Night Traders” na versão em inglês) foram vendidos para Hollywood. Carga Perigosa me rendeu um ótimo emprego na TV Globo, onde fiquei seis anos escrevendo roteiros para as séries Carga Pesada e Linha Direta.

Enquanto isso, em minha carteira americana, comprei títulos de empresas brasileiras que pagavam ótimas taxas de juros, quase sempre acima de 6% ao ano. Em dólares, bem entendido.

Quando saiu a lei de repatriação, decidi trazer todo o meu dinheiro para o Brasil, pagando 15% de imposto de renda e outros 15% de multa. Pus o saldo em um fundo de renda fixa do banco Itaú e deixei lá.

No começo, dava certa renda. Depois, empatava com a inflação. Finalmente tornou-se negativa.

Agora, a cota do fundo começou a cair. Ou seja, perco a inflação e mais alguma coisa.

Decidi, então, voltar para os velhos tempos. Não operando futuros ou alavancando posições. Mas vou partir pra renda variável.

Aos leitores da minha newsletter na Inversa, eu conto quais ações eu quero comprar e trago maiores detalhes sobre a minha volta à ativa. Se quiser me acompanhar de perto, deixo o convite aqui.

Pretendo usar os seguintes critérios:

  • Só comprar ações de empresas que não quebram de modo algum;
  • Escolher algumas que exportam para a China;
  • Finalmente, adquirir papéis de companhias que estão se beneficiando com a pandemia.

“Ah”, pode estar argumentando o assinante. “Muita gente já deve estar fazendo isso.”

“Com certeza, meu amigo”, nem só os profetas enxergam o óbvio.

Após um quarto de século, volto para a Bolsa. Como não tenho necessidade imediata de dinheiro – os direitos autorais continuam entrando −, simplesmente tenho certeza de que vou ganhar.

Daqui a uns seis meses, um pouco mais, um pouco menos, o vírus vai passar. Dele, só restará uma triste lembrança.

Com quase 80 anos de idade, cardíaco, diabético, hipertenso, só espero não ir com ele, embora tome todas as precauções de isolamento. Mas, se for esse o caso, as ações que comprei serão uma boa herança.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Agenda BC#

BC estende regras para débito automático a contas de pagamento pré-pagas

A diretoria do Banco Central decidiu estender para as contas de pagamento pré-pagas (aquelas cujos recursos devem ser depositados previamente) as regras sobre autorização e cancelamento de débitos em conta que já estavam previstas para contas de depósitos e para contas-salário

Aprovação concedida

Tim e Vivo recebem aprovação da Anatel e do Cade para compartilhamento de rede

Serão compartilhadas infraestrutura de redes móveis para as tecnologias 2G, 3G e 4G

Empresa diz que não comenta

MPT-RS pede interdição de planta da JBS no Estado por surto de coronavírus

A JBS respondeu, sobre a ação civil pública movida nesta quarta, que não comenta processos judiciais em andamento

seu dinheiro na sua noite

Despiorou

Acabou a crise? Nesta quarta-feira, os mercados mantiveram o otimismo dos últimos dias. As bolsas subiram aqui e lá fora, ao mesmo tempo em que o dólar assistiu a mais um dia de alívio, chegando perto dos R$ 5 novamente. Está até difícil entender de onde sai tanto apetite por risco, dado que a pandemia […]

ANÁLISE

Quarentena de pijama? Não, no mundo cripto tem muita coisa rolando

Nas próximas linhas, Helena Margarido vai mostrar a você um mercado que caminha na contramão de todo establishment e permanece com alta demanda em meio à crise atual: a revolução está somente começando.

Ninguém segura

A corrida dos touros: Ibovespa sobe pelo quarto dia e volta aos 93 mil pontos; dólar cai a R$ 5,09

O Ibovespa teve mais um dia de ganhos e chegou ao maior nível desde 6 de março, sustentado pelo otimismo global. O dólar à vista caiu forte, chegando a R$ 5,01 na mínima da sessão

tombo histórico

Abinee reporta queda de 30,3% na produção do setor eletroeletrônico em abril

Essa foi a maior queda verificada na série histórica iniciada no início de 2002, segundo o presidente da entidade, Humberto Barbato

Empresários de comércio e serviços

76% de 400 micro e pequenos empresários esperam queda de faturamento

A pesquisa ouviu empresários dos setores de comércio e serviços. Parcela de 26% dos entrevistados espera recuo de 31% a 50%, enquanto 22% têm expectativa de queda até 30%

Compartilhamento de serviços

Cade nega recurso da Claro e mantém aprovação de operação entre Tim e Telefônica

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) negou recurso apresentado pela Claro contra o aval do órgão a operação de compartilhamento de redes entre a TIM e a Telefônica Brasil

Ajuda financeira

Maia diz ter informação que socorro a Estados e municípios será pago até dia 9

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia afirmou que a primeira parcela do socorro a Estados e municípios deve ser entregue aos entes até a próxima terça-feira, 9

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu