Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2020-06-02T19:44:19-03:00
seu dinheiro na sua noite

Velozes e furiosos, parte 91 mil

2 de junho de 2020
19:44
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Eu não sou um grande fã de filmes de ação, e ainda menos da franquia Velozes e Furiosos. Assisti apenas ao primeiro longa da série, tentando imaginar como um roteiro tão desconectado da realidade foi parar nas telas – ainda que tenha seus momentos.

Foi só alguns anos depois, durante uma discussão de bar (saudades das discussões de bar), que um velho amigo contrariou a visão que eu tinha do filme.

Ele me disse que Velozes e Furiosos pode até não ser uma obra-prima do cinema, mas foi inspirado em uma história verdadeira sobre gangues especializadas em corridas ilegais de rua.

Pois esse mesmo amigo – que também é jornalista, mas não de economia – me mandou uma mensagem hoje mais cedo. Ele queria saber por que “essa bolsa” não para de subir.

Afinal, se as ações representam frações no capital de uma empresa, o preço delas deveria refletir o que acontece na vida real. Mas o que se vê tanto na economia como no lado político e social ainda é um cenário bastante turbulento, para dizer o mínimo.

Nada disso, porém, parece segurar o Ibovespa. O principal índice da B3 operou em alta firme ao longo de todo o pregão e fechou com valorização de 2,74%, de volta ao patamar dos 91 mil pontos.

Meu amigo não deixa de ter razão sobre o comportamento aparentemente atípico da bolsa. Mas a verdade é que o mercado financeiro também tem seus momentos “Velozes e Furiosos”.

Assim como os carros que parecem não obedecer à lei da gravidade, os investidores muitas vezes reagem obedecendo a uma lógica própria, tomando mais riscos com base em um cenário que pode ou não se concretizar.

Na cobertura de mercados, o Victor Aguiar traz para você o que fez a bolsa pisar no acelerador e o dólar capotar mesmo com as tensões e incertezas que permanecem no radar. Vale a pena a leitura!

Nem tão velozes

Por falar em Velozes e Furiosos, a venda de veículos novos teve uma alta de dois dígitos no mês de maio em relação ao mês anterior — um sinal, talvez, de que realmente deixamos o fundo de poço. Foram 62,2 mil unidades em maio, contra 55,7 mil de licenciamentos em abril. O problema é que, se compararmos o desempenho das vendas com o mesmo mês do ano passado, temos mais um filme de drama do que de ação, como você lê nesta matéria.

Crédito na ponta

O governo federal publicou medida provisória que pode liberar a até R$ 20 bilhões a participação da União no Fundo Garantidor para Investimentos (FGI). A linha de crédito é voltada para as pequenas e médias empresas, que estão com dificuldades de conseguir financiamento e honrar seus compromissos na crise. O programa será vinculado ao Ministério da Economia e se trata de mais uma tentativa de fazer o dinheiro chegar à ponta.

Recorde para Bolsonaro

A gestão de Jair Bolsonaro bateu um recorde: foi a que mais liberou recursos para emendas parlamentares em um único mês. A cifra alcançou R$ 4 bilhões efetivamente pagos — sendo que R$ 6,4 bilhões foram empenhados, ou seja, o governo se comprometeu a pagá-los. O movimento ocorre em meio à aproximação do governo com o Centrão para barrar um eventual pedido de impeachment, como mostra esta matéria do Estadão.

Ajuda bilionária

Uma boa notícia: o Bank of America anunciou hoje uma ajuda de US$ 1 bilhão em período de quatro anos contra a desigualdade racial e econômica nos Estados Unidos acelerada pela pandemia. Em meio a protestos antirracistas no país, o objetivo do programa será propiciar auxílio tanto em mobilidade econômica quanto em desenvolvimento da força de trabalho, além da ênfase em serviços de saúde.

Entre o presente e o futuro

O mercado sobe: não para de comprar, vende só marginalmente — apesar da incerteza sobre o grau de deterioração e recuperação da economia. Embalados pelos pacotes de ajuda de Fed e outros bancos centrais, os investidores tomam risco. Mas isto é o agora: o que será dentro em pouco? Bem, se os fundamentos estão certos, o mercado está precipitado. O nosso colunista Felipe Miranda discute imanência e transcendência nas finanças, em um artigo que você não pode deixar de ler.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Bolsa em alta

Petrobras e Vale têm ganhos firmes e puxam a recuperação do Ibovespa; dólar cai

Dados mais fortes na China deram forças ao setor de commodities, impulsionando as ações da Vale e da Petrobras e ajudando o Ibovespa como um todo

Presidente da Câmara

Câmara deve retomar debate sobre reforma tributária na 4ª, diz Maia

O presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), aguardava a retomada da comissão mista, que reúne deputados e senadores, mas não foi possível, por isso, dará continuidade apenas na Câmara

Lael Brainard

Para diretora do Fed, é excepcionalmente importante admitir que ventos contrários vão durar

Nesse contexto, a diretora Lael Brainard defendeu os apoios fiscal e monetário como cruciais para sustentar o quadro econômico, no contexto atual da pandemia

Projeções para a bolsa

“Não é trivial romper a barreira dos 100 mil pontos do Ibovespa”, diz Beker, do Bank of America

David Beker, chefe de economia e estratégia do Bank of America no Brasil, falou sobre sua visão para a economia global e o comportamento do Ibovespa nos próximos meses

gigante aérea americana

Delta tem prejuízo de US$ 5,7 bilhões no 2º trimestre e estima que levará mais de dois anos para se recuperar

No mesmo período do ano passado, a aérea teve lucro de US$ 1,44 bilhão. Delta diminuiu em 70% a queima de caixa em junho, em comparação aos últimos dias de março. Ações caem 2% em Nova York

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu