Menu
Julia Wiltgen
O melhor do Seu Dinheiro
Julia Wiltgen
2020-10-12T12:11:45-03:00
Seu Dinheiro na sua manhã

10 notícias para começar o dia bem informado

12 de outubro de 2020
12:04 - atualizado às 12:11
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Algumas das minhas primeiras lições de educação financeira vieram de pensatas do meu avô paterno, que era poeta e dado a frases de efeito: “quem poupa tem”, “sem as vicissitudes do pobre e sem as preocupações do rico”.

Foi ele também o primeiro a investir para mim. Quando eu nasci, ele abriu uma caderneta de poupança na Caixa no meu nome, onde ele depositava uma quantia todo mês. Eu tive acesso a essa grana quando fiz 18 anos e foi com ela - e os trocados que eu havia guardado ao longo dos anos - que eu fiz os meus primeiros investimentos mais sofisticadinhos e paguei a minha pós-graduação em finanças.

No final dos anos 1980, não havia a variedade de produtos financeiros que existem hoje, então fazer uma caderneta de poupança para o seu filho - para quem podia - era “no brainer”. Não tinha muito que pensar. Naquela época ainda vivíamos num Brasil de hiperinflação e de moedas que mudavam de nome toda hora.

Eu também não tive a felicidade de ter aulas de educação financeira na escola. A bem da verdade, antes do nascimento do Real, em 1994, eu não conseguia nem entender como o dinheiro funcionava. É que para uma criança pequena, 10 mil é um número grande, mas 10 mil cruzeiros não valiam nada.

Hoje o mundo é outro. Temos uma moeda estável, inflação controlada e civilizada, juros baixos (ok, isso é recente), além de uma ampla gama de investimentos acessíveis para a pessoa física a apenas um clique de distância. Ninguém mais é obrigado a investir pelos bancões, as fintechs estão aí dominando, e abrir conta numa instituição financeira digital nunca foi tão fácil.

Educação financeira nas escolas ainda é coisa rara, mas você já encontra por aí, mesmo em escolas públicas. E investimento virou assunto de mesa de bar.

Como falar de dinheiro com as crianças no Brasil de hoje? Como ensinar a elas os conceitos mais básicos de finanças pessoais? E como investir para o futuro dos pequenos? O Rafael Lara, o mais novo integrante da equipe do Seu Dinheiro, e que já nasceu nesse novo Brasil, ouviu alguns especialistas no assunto e traz as recomendações nesta matéria.

Obs.: Por conta do feriado nacional de Nossa Senhora Aparecida, hoje não teremos a newsletter da noite.

O que você precisa saber hoje

EMPRESAS

• A Rede D’Or São Luiz submeteu à CVM pedido de IPO com oferta primária e secundária de ações. A rede de hospitais pretende levantar R$ 10 bilhões, numa operação que superaria a do Grupo Mateus, maior IPO do ano até agora.

• A Braskem incluiu dois mil imóveis no programa bilionário de compensação financeira pelo fenômeno de afundamento e rachaduras do solo em Maceió (AL). A estimativa de setembro era de 800 imóveis.

• Com alta de mais de 120% neste ano, a ação da Weg é uma das queridinhas da bolsa. A empresa catarinense parece ser à prova de crises, e alçou dez dos seus acionistas ao ranking dos bilionários da Forbes. Mas, afinal, qual o segredo da companhia?

MERCADOS

• O banco americano JPMorgan Chase aumentou sua participação na Raia Drogasil, na esteira do plano de expansão anunciado pela companhia. Por meio de seus veículos de investimento, o banco adquiriu 2,7 milhões de ações ordinárias da rede de drogarias.

• Estamos diante de uma nova bolha das ações de empresas de tecnologia, a exemplo da que estourou no início dos anos 2000? Essa é a discussão que o Richard Camargo traz na sua coluna “Aposente-se aos 40” desta semana.

INVESTIMENTOS

• Apenas 55 de uma amostra de 435 fundos multimercados conseguiram superar o CDI em setembro. O Vinícius Pinheiro conta quais foram as estratégias dos seus gestores para sobreviver a um mês tão difícil em quase todos os mercados.

ECONOMIA

• Os EUA vão elevar a tarifa de importação do alumínio, e o Brasil será um dos 18 países afetados pela medida.

• O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou, em entrevista à GloboNews, que a reforma administrativa não deve ser votada neste ano.

• A presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, disse que a instituição está “seriamente” estudando a possibilidade de emitir uma moeda digital.

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua manhã", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

o melhor do seu dinheiro

Efeito Lula livre na bolsa – 2022 já começou?

No Brasil morre-se de tudo – inclusive morre-se muito de covid -, mas não se morre de tédio. Os mercados locais começaram o dia castigados pelos temores dos investidores em relação ao avanço da pandemia no país, hoje no seu pior momento. Como se todas as incertezas em relação ao combate ao coronavírus por aqui […]

balanço 4º tri

Magazine Luiza vê lucro ir a R$ 219 milhões no 4º tri e supera expectativas do mercado

A varejista Magazine Luiza encerrou o quarto trimestre de 2020 superando as expectativas do mercado. A companhia divulgou na noite desta segunda-feira (08) o seu resultado trimestral, com umacom alta de 30,6% no lucro líquido, para R$ 219,5 milhões. No acumulado do ano passado, o resultado encolheu 57,5%, para R$ 391,7 milhões. No critério “ajustado”, […]

Desidratação à vista?

Bolsonaro: Lira e relator vão discutir PEC Emergencial, podem criar PEC paralela

Na entrevista, Bolsonaro afirmou que a PEC deve ser votada pela Câmara na quarta-feira, 10. De acordo com ele, ao votar a medida, os deputados federais darão o sinal verde para retomada do auxílio emergencial em cinco dias

Fechamento do dia

São tantas emoções! ‘Efeito Lula’ aprofunda incertezas locais e faz Ibovespa cair 4%; dólar fecha a R$ 5,77

Mercado doméstico já operava em queda firme antes da decisão do ministro Fachin; aumento das incertezas pesou sobre bolsa, dólar e juros

REVIRAVOLTA

Ibovespa recua 3% e dólar vai a R$ 5,78 após STF anular condenações de Lula na Lava Jato

Diante de um cenário já negativo, a decisão aumenta o nível de incertezas domésticas, segundo analistas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies