Menu
2020-02-28T12:52:04-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Sábias palavras

Warren Buffett já falou das duas doenças que afligem os investidores. Nenhuma é o novo coronavírus

Segundo Buffett, a disseminação do vírus não muda a perspectiva de longo prazo da economia. Mas o que os investidores estão buscando mesmo são as palavras de mais de 30 anos do bilionário

28 de fevereiro de 2020
12:52
Warren Buffet
Warren Buffett - Imagem: Shutterstock

O bilionário Warren Buffett sempre tem algo a dizer. O magnata dono do conglomerado do Berkshire Hathway, dono de uma fortuna avaliada em US$ 72 bilhões, já manifestou em entrevista à rede americana CNBC a opinião de que o surto do novo coronavírus não é razão para vender ações.

Segundo Buffett, a disseminação do vírus não muda a perspectiva de longo prazo da economia. Mas o que os investidores estão buscando mesmo são as palavras antigas do bilionário, ditas há mais de 30 anos a seus acionistas.

"O que nós sabemos, entretanto, é que surtos ocasionais dessas duas doenças super-contagiosas, medo e ganância, sempre acontecerão na comunidade de investidores", escreveu Buffett, em carta aos acionistas, no ano de 1986.

"O timing destas epidemias será imprevisível. E as aberrações do mercado produzidas por elas serão igualmente imprevisíveis, bem como a sua duração e o seu grau. Então, nunca tentamos antecipar a chegada e o fim de qualquer uma dessas doenças."

"Nosso objetivo é mais modesto: nós simplesmente tentamos ser medrosos quando os outros são gananciosos e gananciosos quando os outros são medrosos", continua a carta. O interesse de investidores americanos por este trecho tem sido explícito.

Segundo a ferramenta Google Trends, que possibilita averiguar a tendência de procura por um termo em determinado período de tempo, a frase atingiu o maior número de buscas em 12 meses — embora esteja ainda bem longe do nível de buscas alcançado em 2008, em meio à crise financeira.

De qualquer forma, os mercados globais têm sofrido os efeitos negativos da cautela disparada pelo surto, e os negócios locais não fogem à regra. Na quarta-feira, 26, o Ibovespa teve a maior perda desde o Joesley Day, em quea de 7%, e na quinta-feira, 27, caiu 2,6% — para o menor nível em quatro meses. O dólar, enquanto isso, já bateu a marca de R$ 4,50. Confira nossa cobertura completa de mercados.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Polêmica na privatização

CVM vai investigar CEEE por suposta omissão na divulgação de informações

A autarquia começará a apuração de uma denúncia de omissão de fatos relevantes sobre a privatização da estatal gaúcha

FECHAMENTO

Commodities em alta levam o Ibovespa acima dos 120 mil pontos pela primeira vez desde fevereiro; dólar recua

O clima incerto em Brasília segue assombrando os investidores, mas ainda assim a bolsa brasileira consegue fôlego com as commodities para se manter no azul

Combinação promete

Aura Minerals (AURA33): ouro e dividendos no mesmo investimento

Max Bohm, sócio e analista de Empiricus, enxerga um potencial enorme de crescimento na combinação oferecida pela mineradora

VÍDEO

É hora de investir em commodities? Saiba tudo sobre o novo ciclo de alta

Alta das commodities impacta diretamente as economias emergentes; saiba mais no vídeo do analista Matheus Spiess, da Empiricus

acompanhe

LIVE: Tudo sobre a melhor semana de cripto da história

Vitreo e Empiricus transmitem conversa sobre semana histórica para o investimento em criptomoedas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies