Menu
2020-03-16T16:05:35-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Rumo aos R$ 5,00

Dólar dispara mais de 4% e supera os R$ 5,00 com pânico gerado pelo coronavírus

O dólar à vista tem mais uma sessão de estresse, disparando mais de 3% e se aproximando novamente do nível de R$ 5,00

16 de março de 2020
10:44 - atualizado às 16:05
Dólar em alta
Imagem: Shutterstock

O pânico generalizado que toma conta das bolsas nesta segunda-feira (16) também é visto no mercado de câmbio: o dólar à vista abriu em forte alta e, no meio da tarde, superou a barreira psicológica dos R$ 5,00.

Por volta das 16h00, a moeda americana era negociada a R$ 5,0215, em alta de 4,24% — muito perto da máxima intradiária nominal da moeda, de R$ 5,0280, registrada na última quinta-feira (12).

As negociações de divisas encontram-se fortemente estressadas com o avanço do coronavírus pelo mundo. Na Europa, países como Itália e Espanha já estão em quarentena total, enquanto França e Alemanha analisam opções semelhantes; nos Estados Unidos, o número de casos está aumentando numa velocidade bastante elevada.

Nesse cenário, o mercado já não tem mais esperanças quanto a uma eventual resistência da economia global aos impactos da doença. O setor aéreo sofre pesadas restrições e o comércio internacional encontra-se comprimido, dada a queda no consumo e, consequentemente, da demanda.

A tensão aumentou no domingo (15), a partir de mais um corte extraordinário nos juros dos EUA. E, desta vez, o Federal Reserve (Fed) foi ainda mais radical, zerando as taxas do país — vale ressaltar que a reunião de política monetária ocorrerá nesta quarta-feira (18).

A medida, em tese, serve para blindar a economia dos EUA, fornecendo estímulo extra à atividade. Mas, dada a dramaticidade do movimento, o mercado interpreta que a situação no país é bem pior do que a oficialmente comunicada pelo governo, o que apenas gerou pânico.

Em resumo: o mercado, hoje, duvida da eficácia do Fed para trazer alívio à economia, em meio à condução confusa do governo americano em relação ao surto do coronavírus.

Estresse doméstico

Por aqui, a escalada nos atritos entre governo e Congresso também contribui para trazer pessimismo aos investidores. No domingo, apesar da preocupação com o coronavírus, foram vistas diversas manifestações populares em defesa da administração Bolsonaro — protestos que contaram com o apoio e presença do presidente.

Tanto o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, quanto do Senado, Davi Alcolumbre, manifestaram-se publicamente contra esses protestos e mostraram que o ambiente em Brasília está cada vez mais deteriorado.

E, nesse cenário, o mercado mostra-se cada vez mais pessimista quanto aos prognósticos para a economia doméstica e para a continuidade da agenda de reformas — além, é claro, da preocupação crescente quanto à saúde pública no país.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Cash is king

Para gestoras de fortunas, proteções para o patrimônio estão caras, e o momento é de preservar caixa

Gestores de patrimônio estão focando em manter os recursos de clientes em aplicações conservadoras, e não recomendam entrar em ativos como ouro, dólar e opções agora

IR 2020

Como declarar opções de ações no imposto de renda

O jeito de declarar opções é bem parecido com o de declarar ações em diversos pontos; diferenças maiores recaem na forma de calcular o custo de aquisição e os ganhos e prejuízos

SD Premium

Os segredos da bolsa: saiba o que vai fazer preço no mercado de ações nesta semana

A bolsa brasileira tende a enfrentar mais dias turbulentos, acompanhando as incertezas no front do coronavírus e do mercado internacional de commodities. E nem o feriado na sexta-feira serve para trazer alívio às negociações

Pandemia

Brasil registra 11.130 casos de coronavírus e 486 mortes

Foram mais de 800 novos casos confirmados entre sábado e domingo; em 24 horas, outras 54 mortes por causa do coronavírus foram constatadas no país

Crise do coronavírus

Bradesco oferecerá financiamento para pequenas empresas pagarem salários

O Bradesco, primeiro grande banco a anunciar a oferta do crédito emergencial, espera que a medida beneficie até 1 milhão de trabalhadores

Crise do coronavírus

O que os líderes podem fazer em meio à pandemia? Para Bill Gates, há três passos fundamentais

O bilionário Bill Gates listou algumas medidas que julga essenciais para que governos e lideranças políticas possam combater de maneira mais eficaz o surto de coronavírus

Pesquisa Datafolha

59% são contra e 37% a favor da renúncia de Bolsonaro em meio à pandemia

Um levantamento do Datafolha, divulgado neste domingo, 5, mostra que 59% dos brasileiros são contra uma renúncia do presidente Jair Bolsonaro em meio ao combate à pandemia pela covid-19. Outros 37% são a favor, conforme vem sendo pedido por políticos da oposição. Outros 4% não sabem dizer. Para apenas 33% dos entrevistados, a gestão da […]

LIÇÕES PARA O SEU DINHEIRO

Recomendações de leitura para um investidor em quarentena

Três livros para você sobreviver ao isolamento e sair deste furacão como um investidor ainda melhor.

O BC e o coronavírus

Preferimos ter um lado fiscal um pouco pior para que as pessoas possam honrar seus contratos, diz Campos Neto

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, destacou que a instituição se preocupa em dar condições às empresas cumprirem suas obrigações financeiras, evitando um movimento de quebra massiva de contratos

Crise da Covid-19

Brasil ultrapassa marca de 10 mil casos de coronavírus

Em 24 horas, o Brasil notificou mais de mil novos casos de coronavírus e outros 72 casos fatais. A taxa de mortalidade no país está em 4,2%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements