Menu
2020-05-05T17:04:46-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Bolsa tranquila

Ibovespa perde força e dólar sobe a R$ 5,58 com divulgação de depoimento de Moro

O Ibovespa sobe quase 2%, sustentado pelo tom mais ameno visto nos mercados globais. Mas o dólar continua em alta, mostrando cautela com a iminente queda de juros

5 de maio de 2020
10:39 - atualizado às 17:04
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O Ibovespa desacelerou e o dólar à vista foi às máximas da sessão logo após a CNN Brasil divulgar a íntegra do depoimento do ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, à Polícia Federal em Curitiba.

Por volta de 16h50, o Ibovespa subia 1,23%, aos 79.848,91 pontos — mais cedo, o índice chegou a avançar 2,78%, aos 81.065,90 pontos. O dólar à vista tocou os R$ 5,6045 (+1,52%) na máxima e, agora, avança 1,12%, a R$ 5,5825.

No depoimento, Moro voltou a dizer que o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir no comando da PF no Rio de Janeiro, solicitando que o ex-ministro desse a ele a opção de escolher o superintendente no Estado.

  • Eu gravei um vídeo para explicar a dinâmica do mercado brasileiro nesta terça-feira. Veja abaixo:

Considerando a deterioração no cenário político, o mercado teme que o depoimento de Moro provocará uma piora ainda maior no clima em Brasília. Assim, a reação imediata dos investidores foi no sentido de diminuir a exposição ao risco, reduzindo as posições na bolsa e comprando dólares.

Exterior positivo

Apesar da tensão local, o tom positivo visto lá fora consegue sustentar o Ibovespa no campo positivo. Mesmo com os recentes atritos entre americanos e chineses, os agentes financeiros mostram-se focados na reabertura econômica gradual na Europa e em algumas regiões dos EUA.

A expectativa é a de que, com a atividade voltando lentamente ao normal nessas áreas, o ciclo de recuperação da economia global poderá começar o mais rápido possível — e essa perspectiva sustenta as bolsas mundiais no campo positivo nesta terça-feira.

Além disso, os indicadores de atividade do setor de serviços nos EUA vieram ligeiramente mais fortes que o projetado pelo mercado, o que contribui para elevar a percepção de que a retomada econômica poderá ocorrer mais cedo que o esperado.

Nesse cenário, as bolsas da Europa fecharam em alta firme; nos Estados Unidos, o Dow Jones (+0,56%), o S&P 500 (+0,90%) e o Nasdaq (+1,13%) também sobem.

Expectativa para o Copom

No Brasil, os investidores aguardam a decisão de juros do Copom, com divulgação prevista para amanhã, depois do fechamento dos mercados. As projeções são de corte na Selic, mas não há unanimidade no mercado em relação à magnitude da redução — as apostas dividem-se em baixas de 0,5 ou de 0,75 ponto.

A fraqueza demonstrada pela produção industrial do país em março dá ainda mais força à percepção de que será necessário continuar cortando a Selic para dar sustentação à economia: o indicador caiu 9,1% em relação a fevereiro, a maior queda para o mês desde 2002.

Nesse cenário, o mercado de juros futuros opera em baixa nesta manhã, tanto na ponta curta quanto na longa — uma evidência de que os investidores veem espaço para mais cortes na Selic:

  • Janeiro/2021: de 2,79% para 2,71%;
  • Janeiro/2022: de 3,66% para 3,53%;
  • Janeiro/2023: de 4,91% para 4,72%;
  • Janeiro/2025: de 6,63% para 6,49%.

Essa certeza de que a Selic será cortada na reunião de amanhã e a possibilidade de o ciclo de alívio monetário continuar ao longo do ano acaba trazendo pressão ao dólar à vista e impede que o mercado doméstico de câmbio acompanhe o alívio externo.

Com a Selic cada vez mais baixa, diminui o chamado diferencial de juros em relação aos Estados Unidos — e, consequentemente, os investidores que buscam retornos mais atrativos acabam tendo menor interesse no país. Assim, entram menos dólares no mercado brasileiro, o que pressiona a taxa de câmbio.

Itaú em foco

No lado corporativo, destaque para o Itaú Unibanco: a instituição fez uma provisão de R$ 10 bilhões no primeiro trimestre deste ano, antevendo os impactos futuros da crise do coronavírus. Com isso, o lucro do banco caiu 43% na base anual, para R$ 3,912 bilhões.

Apesar dessa forte baixa no lucro, as ações PN da instituição (ITUB4) operam em alta de 4,61% nesta manhã — os números do balanço chamam a atenção, mas a abordagem cautelosa do Itaú também foi bem recebida pelos investidores.

Veja abaixo os cinco papéis de melhor desempenho do índice no momento:

CÓDIGONOMEPREÇO (R$)VARIAÇÃO
SBSP3Sabesp ON42,22 +5,79%
PETR3Petrobras ON19,08 +5,71%
PETR4Petrobras PN18,32 +5,41%
KLBN11Klabin units18,70 +5,17%
VVAR3Via Varejo ON9,98 +5,05%

Confira também as maiores quedas do Ibovespa:

CÓDIGONOMEPREÇO (R$)VARIAÇÃO
IRBR3IRB ON9,17 -4,38%
HYPE3Hypera ON27,78 -3,17%
COGN3Cogna ON5,10 -2,30%
EMBR3Embraer ON7,57 -1,94%
BRML3BR Malls ON9,25 -1,07%
Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

EM MEIO À PANDEMIA

Com receita recorde, agronegócio vai aumentar participação no PIB do país

Com a desvalorização do real, as exportações ficaram mais atraentes ao agricultor

DECLARAÇÕES DO EX-MINISTRO

Moro responde: Bolsonaro ‘desejava rebelião armada contra medidas sanitárias’

Em nota divulgada também nesta segunda, Moro defendeu o isolamento social como medida mais eficaz de combate à pandemia e criticou o que classificou como “ofensas e bravatas” do governo.

varejo em foco

O que fazer com as ações de Magazine Luiza e Via Varejo, segundo o Bradesco

Banco divulgou novas estimativas para ações de varejistas, incluindo B2W e Mercado Livre

VOLTA LENTA

‘Fator medo’ deve permanecer até meados de 2021, diz presidente do BC

“Percebemos que, independentemente do lugar, em grande parte dos lugares, não conseguimos chegar ao padrão de 2019 de circulação de pessoas”, afirmou Campos Neto aos parlamentares.

IMPACTOS DA COVID-19

Bancos liberam mais de R$ 900 bi em dinheiro novo e postergações, diz Febraban

“Os números mostram que, mesmo em meio a um cenário adverso decorrente da pandemia, os bancos seguiram ampliando as concessões de crédito”, avalia o presidente Isaac Sidney.

Virando a página

Novo plano de cinco anos da Embraer será concluído ‘em breve’ e tratará de potenciais parcerias

Após o fracasso no acordo com a Boeing, a Embraer está revisando seu plano estratégico — e, segundo seus executivos, potenciais novas parcerias poderão fazer parte das diretrizes para os próximos anos

SANEAMENTO

Concessão de água e esgoto em Maceió prevê investimentos de R$ 2,6 bi, diz BNDES

O projeto é o primeiro a ser licitado dentro do programa do banco para estruturação de projetos no setor de saneamento, que tem como meta viabilizar o acesso a água e esgoto a pelo menos 20 milhões de pessoas.

EXILE ON WALL STREET

Qual seu jogo de videogame favorito: Fifa, Pes ou Home Broker?

Estamos transformando a Bolsa num cassino, quando deveria ser exatamente o contrário.

PANDEMIA E INCERTEZAS

Demanda por crédito tem queda recorde de 25,7% em abril, diz Serasa Experian

Na comparação anual, foi o terceiro mês consecutivo de baixa na procura por crédito.

de olho nos negócios

Petrobras inicia fase não-vinculante de venda da fatia no Campo de Manati

Estatal é a operadora do campo, em parceria com a Enauta Participações (45%), Geopark Brasil E&P de Petróleo e Gás (10%) e BrasoilManati Exploração Petrolífera (10%)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements