Menu
2020-01-07T17:07:00-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Cautela persistente

Ibovespa opera em queda, atento ao cenário no Oriente Médio; dólar tem leve alta

Ainda tenso com o cenário turbulento entre EUA e Irã, o Ibovespa abriu o pregão desta terça-feira em baixa, fixando-se no nível de 116 mil pontos

7 de janeiro de 2020
10:29 - atualizado às 17:07
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Mesmo após duas sessões em baixa, o Ibovespa continua aparecendo no campo negativo nesta terça-feira (7). Por aqui, os agentes financeiros seguem mostrado cautela em relação às tensões entre Estados Unidos e Irã — uma postura que desencadeia movimentos de correção no índice, que estava nas máximas no início do ano.

Por volta de 17h05, o Ibovespa recuava 0,20%, aos 116.640,50 pontos — mais cedo, chegou a tocar os 115.965,38 pontos (-0,78%). A bolsa brasileira, assim, fica em linha com o exterior: nos EUA, o Dow Jones (-0,32%) e o S&P 500 (-0,20%) também caem; já o Nasdaq (+0,06%) sustenta leve alta.

A cautela também é vista no mercado de câmbio, que teve uma sessão bastante volátil: o dólar à vista foi a R$ 4,0924 na máxima (+0,73%) mas terminou a sessão perto da estabilidade, com leve alta de 0,04%, a R$ 4,0646.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Assim como nos últimos dias, o panorama turbulento no Oriente Médio aparece como principal fator de influência para as negociações globais. Sem grandes novidades na agenda econômica, os investidores voltam as atenções ao Irã, atentos às possíveis movimentações militares do país.

Desde a semana passada, quando uma ação militar dos EUA resultou na morte de Qassim Suleimani, o principal general do exército do Irã, cresceu a preocupação quanto a um eventual conflito armado no Oriente Médio. Esse temor desencadeou uma onda de correções nas bolsas e uma elevação nos preços do petróleo.

E os agentes financeiros locais mostram-se particularmente preocupados, uma vez que o Irã convocou a representante da embaixada brasileira no país — o Itamaraty divulgou uma nota dizendo apoiar a luta contra o terrorismo.

"Isso gera preocupação, especialmente para as empresas que exportam para o Oriente Médio", diz Sabrina Cassiano, analista da Necton Investimentos. "Ainda que o Irã não seja um país relevante para a balança comercial, o mercado fica atento para possíveis desdobramentos".

Lá fora, contudo, os investidores tentam colocar os nervos no lugar. Após dias bastante tensos, a percepção é a de que, por enquanto, a escalada nos atritos têm se restringido ao campo da retórica, sem ações concretas de ambas as partes.

Nesse cenário, as bolsas mundiais conseguem ter uma sessão mais amena até agora. E, no mercado de commodities, o petróleo fechou em baixa, tanto o Brent quanto o WTI, devolvendo parte dos ganhos recentes.

Dólar instável

No mercado de câmbio, o dólar ganhando terreno em escala global — um indício de busca de proteção por parte dos investidores.

O índice DXY, que mede o desempenho da moeda americana em relação a uma cesta com as principais divisas do mundo — como o euro, a libra esterlina e o iene —, opera em alta de 0,35%.

Em relação às divisas de países emergentes, o tom é o mesmo: o dólar sobe na comparação com o peso mexicano, o rublo russo, o peso colombiano e o rand sul-africano, entre outras — o real, assim, acompanhou o contexto externo.

Com o dólar se afastando das máximas, as curvas de juros aproveitaram para fazer o mesmo movimento e terminaram a sessão em baixa, devolvendo parte dos ganhos recentes. Veja como ficaram os principais DIs nesta terça-feira:

  • Janeiro/2021: de 4,52% para 4,48%;
  • Janeiro/2023: de 5,82% para 5,78%;
  • Janeiro/2025: de 6,46% para 6,44%;
  • Janeiro/2027: estável em 6,79%.

Top 5

Veja abaixo os cinco papéis de melhor desempenho do Ibovespa no momento:

  • Cemig PN (CMIG4): +3,45%
  • Azul PN (AZUL4): +2,67%
  • Marfrig ON (MRFG3): +2,58%
  • Ecorodovias ON (ECOR3): +2,43%
  • B3 ON (B3SA3): +2,40%

Confira também as maores quedas do índice:

  • Cia Hering ON (HGTX3): -3,56%
  • NotreDame Intermédica ON (GNDI3): -3,53%
  • Qualicorp ON (QUAL3): -2,88%
  • SulAmérica units (SULA11): -2,59%
  • BTG Pactual units (BPAC11): -2,23%
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

EMPREGOS

Para gerar 1 milhão de empregos, economia tem de crescer 3%, diz secretário

O secretário de Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Dalcolmo, evitou nesta sexta-feira, 24, fazer uma previsão oficial para a geração de empregos com carteira assinada em 2020, mas disse acreditar em até 1 milhão de novos postos de trabalho neste ano, caso o Produto Interno Bruto (PIB) tenha uma alta próxima de 3% até […]

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

O que será que será da Selic?

A taxa básica de juros (Selic) vai continuar em queda? Quando fiz essa pergunta recentemente a um gestor de fundos, ele me devolveu com outra pergunta: – Você quer que eu responda o que o Banco Central deveria fazer ou o que ele vai fazer? Pode parecer uma diferença sutil, mas o mercado encontra-se atualmente […]

Dólar teve alta

Tensão com o coronavírus freia os mercados e faz o Ibovespa ficar no zero a zero na semana

O coronavírus trouxe cautela aos mercados, mas não desencadeou uma onda de pessimismo. Como resultado, o Ibovespa ficou praticamente zerado na semana — a nova doença neutralizou o otimismo estrutural visto na bolsa nos últimos dias

OUÇA O QUE BOMBOU NA SEMANA

Podcast Touros e Ursos: Já pensou em conquistar sua independência financeira?

Repórteres do Seu Dinheiro trazem em podcast semanal um panorama sobre tudo o que movimentou os seus investimentos nesta semana

de olho na inflação

BC está confortável com inflação após choque de proteína, diz Campos Neto

“Há um gap de política monetária que a gente tenta comunicar. É importante, porque parte do que foi feito não está totalmente dissipado”, afirmou em seguida

MAIS ESCLARECIMENTOS

BNDES atual pôs R$ 15 milhões a mais em auditoria

O reajuste de 25% aconteceu por meio de um aditivo contratual, publicado no dia 25 de outubro de 2019, e aumentou de US$ 14 milhões para US$ 17,5 milhões o contrato da Cleary Gottlieb Steen & Hamilton, escritório contratado para realizar os serviços de auditoria

CONFIRMADA

Oi confirma venda de participação na angolana Unitel por R$ 1 bilhão

O montante corresponde a venda de 25% da participação que detém na angolana e engloba também os dividendos que a Oi tem o direito de receber, mas que estavam retidos até então

negativas

Bolsonaro nega a ideia de ‘imposto do pecado’

Presidente também descartou a chance de desmembrar o Ministério da Justiça e Segurança Pública em duas pastas

Na bolsa

Itaú reduz participação na Qualicorp para menos de 5%

O banco passou a deter 4,95% do capital da administradora de planos de saúde coletivos após a venda das ações, que acumulam alta de mais de 200% em 12 meses

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta sexta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements