Menu
2020-02-04T14:33:10-03:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
abertura de capital

Construtora Mitre capta R$ 1,18 bilhões em IPO e precifica ação no topo do valor indicativo

As ações serão negociadas com o código MTRE3, a partir do dia 05 de fevereiro no segmento do Novo Mercado, que possui maiores exigências com relação à governança corporativa

3 de fevereiro de 2020
20:37 - atualizado às 14:33
Prédio em construção MRV Cyrela Tenda EZTec Even Direcional
Imagem: Shutterstock

A construtora Mitre Realty Empreendimentos, que é focada no público de média e alta renda, anunciou hoje (3) ao mercado que captou R$ 1,18 bilhões ao abrir capital na bolsa. A empresa precificou a ação no topo da faixa indicativa em R$ 19,30, o que significa que houve demanda forte para os papéis.

Além de fazer uma oferta de distribuição primária (em que o valor arrecadado vai para o caixa da companhia), a Mitre fez uma oferta de distribuição secundária, em que houve a venda de ações detidas pelo empresário Jorge Mitre, que fazem parte da família fundadora.

As ações serão negociadas com o código MTRE3, a partir do dia 05 de fevereiro no segmento do Novo Mercado, que possui maiores exigências com relação à governança corporativa.

Por conta da alta demanda, a companhia ofertou também um lote adicional de 4,2 milhões de papéis. Logo, considerando a oferta suplementar foram ofertadas 61,4 milhões de ações.

O dinheiro arrecadado com o IPO será utilizado para a aquisição de terrenos, além do que vai ajudar a arcar com os custos de construção e despesas administrativas da companhia. A oferta foi coordenada pelo BTG Pactual, Bradesco BBI e Itaú BBA.

Quem é a Mitre?

A companhia é focada em empreendimentos voltados para o público de classe média e alta renda e apresenta grande atuação no centro de São Paulo.

Segundo dados apresentados pela própria empresa, a Mitre possui um patrimônio líquido de R$ 60 milhões e lançou dois empreendimentos no ano passado de cerca de R$ 266 milhões.

A expectativa da companhia agora é alcançar um valor geral de vendas (VGV) de R$ 1,5 bilhão ao ano, após bater a cifra de R$ 903 milhões ao longo dos últimos três anos e nove meses.

Outro dado importante divulgado pela empresa é o seu lucro líquido. Ao olhar o indicador, é possível perceber que ele aumentou cerca de 84% entre os meses de janeiro e setembro do ano passado, na comparação com o mesmo período de 2018, e chegou a casa dos R$ 26,7 milhões durante o período em questão.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

O varejo ferve

Renner mira compra da Dafiti com recursos da oferta de ações

Varejista anunciou captação de até R$ 6,5 bilhões na bolsa e pode usar os recursos para fazer uma proposta pelo e-commerce de moda

Pouso forçado

Demanda por voos deve encerrar o ano em menos da metade do nível pré-pandemia

O prejuízo total das companhias aéreas em 2021 deve ficar entre US$ 47 bilhões e US$ 48 bilhões, de acordo com a ação Internacional de Transporte Aéreo (Iata)

Agora vai?

Governo vai reduzir valor de arrecadação por áreas “micadas” do pré-sal em novo leilão

A arrecadação que o governo pretende receber pela exploração de dois campos do pré-sal foi reduzida em R$ 25,5 bilhões; novo leilão deve acontecer em dezembro

Mercado de capitais

FGTS embolsa quase R$ 900 milhões com venda de ações da Alupar em oferta

O fundo que reúne o dinheiro dos trabalhadores com carteira assinada tinha uma participação de 12% no capital do grupo de geração e transmissão de energia

O melhor do Seu Dinheiro

Tiradentes e as bolhas financeiras, o balanço da Netflix e outros destaques do dia

Joaquim José da Silva Xavier percebeu que alguma coisa estava fora da ordem ali pelos idos de 1789. A extração de ouro estava em franco declínio, mas a Coroa portuguesa não parava de exigir o quinto sobre tudo o que saía das Minas Gerais. Mais ou menos na mesma época, ideias surgidas na Europa que pregavam […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies