Menu
2019-12-20T11:34:33-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
pegou bem

Vale aprova distribuição de R$ 7,2 bilhões em juros sobre capital próprio, mas pagamento segue sem data

Notícia foi bem recebida pelos investidores e por volta das 11h os papéis ordinários da Vale subiam 1,63%. As ações da Bradespar, empresa que detém parcela significante do capital da mineradora, também são influenciadas positivamente.

20 de dezembro de 2019
11:15 - atualizado às 11:34
A mineradora Vale
Imagem: Shutterstock

A Vale informou nesta sexta-feira (20) que irá realizar o pagamento de R$ 7,2 bilhões em juros sobre capital próprio aos seus acionistas.

O pagamento ainda não tem data para ocorrer, isso porque a mineradora mantém a suspensão do pagamento de dividentos e remuneração dos acionistas, anunciada logo após a tragédia de Brumadinho, no dia 28 de janeiro, quando alterou o sistema de pagamento devido aos desdobramentos do rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão.

Ainda assim a notícia foi bem recebida pelos investidores. Por volta das 11h os papéis ordinários da Vale (VALE3) subiam 1,63%, cotados a R$54,88.

As ações da Bradespar, holding do Bradesco com grande participação nos papéis da mineradora, também são influenciadas positivamente. As ações preferênciais da companhia subiam 1,87%, por volta das 11h30. Já as ordinárias apresentavam alta de 2,56%.

O valor do pagamento foi calculado com base nas reservas de lucros da companhia do balanço do dia 30 de setembro e corresponde a R$ 1,41436439 por ação ordinária e preferencial de classe especial de emissão da Vale.

As ações da Vale passaram a ser negociadas ex-direitos tanto na B3 como na NYSE a partir do dia 27 de dezembro de 2019. Atualmente a mineradora possui 5,1 milhões de ações em circulação.

Juros sobre Capital Próprio (JCP)

O pagamento de JCP é diferente das distribuições de dividendos, mas também é uma forma de distribuir lucros. A diferença entre elas é meramente contábil e tributária.

O JCP é considerado uma despesa financeira da companhia. Por isso, reduz a base tributária da companhia, que irá pagar menos impostos. Quem paga o tributo é o acionista.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

seu dinheiro na sua noite

No mundo corporativo, quem não diversifica, se trumbica

De uns tempos para cá, uma antiga fala de Warren Buffett tem pipocado nas minhas redes. Nela, o megainvestidor diz que “diversificação não faz sentido para quem sabe o que está fazendo” — e ele, naturalmente, se coloca como um sábio. Longe de mim querer contrariar o oráculo do mercado financeiro, mas é preciso tomar […]

nos ares

Boeing realiza 1º voo do maior avião da família 737 MAX e inicia fase de testes

Empresa vem trabalhando para superar acidentes aéreos envolvendo a família de aviões 737 MAX. No Brasil, a Gol tem um pedido firme do 737-10

pix questionado

Procon-SP notifica bancos por brechas exploradas por ladrões de celulares

São requisitados esclarecimentos sobre dispositivos de segurança, bloqueio, exclusão de dados de forma remota e rastreamento de operações financeiras disponibilizados aos clientes vítimas de furto ou roubo

FECHAMENTO DA SEMANA

Juros futuros são grandes protagonistas da semana e ainda prometem mais emoção; dólar recua 1% e bolsa fica no vermelho

Com Copom duro e a sinalização de uma possível elevação nas taxas de juros nos EUA, os principais contratos de DI dispararam. Na semana, o dólar recuou com o forte fluxo estrangeiro e a bolsa seguiu o ritmo das commodities (mais uma vez)

Calendário completo

Banco Central: veja as datas das reuniões do Copom em 2022

O Copom é o órgão do BC responsável por definir, a cada 45 dias, a taxa básica de juros da economia brasileira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies