Menu
2019-04-02T16:30:35-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Resposta

Tesouro Nacional admite problema que faz Tesouro Selic perder da poupança e diz estar buscando solução

Spread entre preços de compra e venda tem impacto negativo sobre preços do Tesouro Selic, mas Tesouro Nacional diz que se trata de proteção ao investidor; no atual contexto de juros baixos, entretanto, órgão diz querer minimizar o problema

2 de abril de 2019
15:04 - atualizado às 16:30
Bandeira do Brasil com moedas na frente
"De fato, o spread aplicado aos títulos Tesouro Selic, em particular, reduz sua rentabilidade para os investidores que resgatam antes do vencimento", diz Tesouro. Imagem: Positiffy/Shutterstock

O Tesouro Nacional reconheceu, em nota ontem à noite, que o spread entre os preços de compra e venda dos títulos Tesouro Selic via Tesouro Direto têm impacto sobre a rentabilidade do título e disse já estar buscando uma solução que permita, em breve, a redução deste impacto.

Ontem eu mostrei aqui no Seu Dinheiro que o Tesouro Selic (LFT), título público com remuneração atrelada à taxa básica de juros, anda perdendo da poupança em prazos inferiores a seis meses para quem investe nele pelo Tesouro Direto. Pior que isso: em prazos de alguns dias, o investidor pode ter retorno negativo neste que deveria ser o mais conservador de todos os investimentos.

Para fazer uma longa história curta, acaba que se você vender um Tesouro Selic antes do vencimento, sua rentabilidade pode ser pior que a da poupança nova, aquela que paga 70% da Selic mais Taxa Referencial quando a taxa básica de juros é igual ou menor do que 8,5% ao ano.

Portanto, este título é interessante para quem o leva até o vencimento, posto que ele remunera a variação da Selic, mas não para uma reserva de emergência, que pode precisar ser resgatada a qualquer momento. A análise completa e as sugestões de onde investir sua reserva de emergência você encontra na minha reportagem.

O problema que provoca esse comportamento nos preços do Tesouro Selic é o spread existente entre o preço de compra e o preço de venda de um mesmo título, numa mesma data. O preço de compra é maior que o de venda, do ponto de vista do investidor pessoa física.

Ontem à noite, o Tesouro Nacional me enviou uma nota explicando sobre o spread e admitindo o problema, dizendo que, de fato, essa diferença reduz a rentabilidade do Tesouro Selic para os investidores que o resgatam antes do vencimento e que esse efeito é mais acentuado nas primeiras semanas.

Mais do que isso, o Tesouro diz que já está buscando uma solução que permita, em breve, a redução desse impacto no atual contexto de juros nas mínimas históricas. Tomara que venha novidade boa por aí!

Confira a nota do Tesouro Nacional sobre o Tesouro Selic na íntegra

"Os títulos do programa Tesouro Direto são negociados com base nos preços do mercado secundário de títulos públicos, sendo atualizados três vezes ao dia. Entretanto, para evitar que oscilações nos preços entre uma atualização e outra resulte em perdas para os investidores ou para o Tesouro Direto, existe uma prática de se aplicar um spread entre os preços de compra e de venda.

De fato, o spread aplicado aos títulos Tesouro Selic, em particular, reduz sua rentabilidade para os investidores que resgatam antes do vencimento. Esse efeito é mais acentuado nas primeiras semanas. Com o passar do tempo, o impacto desse spread torna-se pequeno, até que tenha um peso zero para quem resgata no vencimento. Ainda, o tempo para que o spread não influencie de maneira significativa a rentabilidade tende a ser maior em um contexto de taxas de juros baixas, como estamos vivenciando.

No atual contexto em que as taxas de juros no Brasil estão nas mínimas históricas, o Tesouro Nacional reconhece esses efeitos do spread sobre a rentabilidade e já está buscando uma solução que permita, em breve, a redução desse impacto."

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Mudança de sentimento

Fluxo de capital para emergentes fica positivo em US$ 4,1 bilhões em maio, diz IIF

O resultado, porém, é inferior aos US$ 18,6 bilhões de abril. De qualquer modo, o IIF diz em relatório que houve nas últimas semanas uma “mudança de sentimento” em relação a esses países

Volta de atividades

Volkswagen retoma produção em São Bernardo do Campo em um turno

A fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo voltou a produzir nesta segunda-feira, 1º de junho, depois de dois meses em que a operação ficou suspensa por causa da pandemia do novo coronavírus

Campos Neto no Congresso

Presidente do BC diz que Brasil foi o que mais sofreu com desvalorização cambial

Campos Neto reforçou que o câmbio é flutuante no Brasil e que a autarquia realiza intervenções quando há “gap (lacuna) de liquidez”

efeito coronavírus

Venda de papelão ondulado cai 10,89% em abril ante março, diz ABPO

Queda, conforme a entidade, interrompe um crescimento interanual dos últimos dois anos e representa o primeiro impacto da pandemia

POLÍTICA

‘STF tomou ação efetiva para barrar projeto autoritário’

Para Marcos Nobre, professor de Filosofia Política na Universidade de Campinas (Unicamp) e presidente do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), a fidelidade do presidente Jair Bolsonaro a suas “convicções autoritárias” o levaram a instituir um “governo de guerra” em reação à pandemia do coronavírus. Nobre acaba de lançar o e-book Ponto Final – […]

ECONOMIA

Pandemia afeta meta de fundos de pensão

Maior fundo de pensão do País, o Previ, dos funcionários do Banco do Brasil, teve retorno negativo de 12,4% em um de seus planos no primeiro trimestre, com déficit de R$ 23,6 bilhões.

EM MEIO À PANDEMIA

Com receita recorde, agronegócio vai aumentar participação no PIB do país

Com a desvalorização do real, as exportações ficaram mais atraentes ao agricultor

DECLARAÇÕES DO EX-MINISTRO

Moro responde: Bolsonaro ‘desejava rebelião armada contra medidas sanitárias’

Em nota divulgada também nesta segunda, Moro defendeu o isolamento social como medida mais eficaz de combate à pandemia e criticou o que classificou como “ofensas e bravatas” do governo.

varejo em foco

O que fazer com as ações de Magazine Luiza e Via Varejo, segundo o Bradesco

Banco divulgou novas estimativas para ações de varejistas, incluindo B2W e Mercado Livre

VOLTA LENTA

‘Fator medo’ deve permanecer até meados de 2021, diz presidente do BC

“Percebemos que, independentemente do lugar, em grande parte dos lugares, não conseguimos chegar ao padrão de 2019 de circulação de pessoas”, afirmou Campos Neto aos parlamentares.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements