Menu
2019-10-24T18:03:17-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Olho no BC

BTG Pactual acredita em Selic de 4% em 2020

Banco trabalha com juro de 4,5% em dezembro de 2019 e mais duas reduções de 0,25 ponto no ano que vem

24 de outubro de 2019
17:24 - atualizado às 18:03
Touros e Ursos Capa Podcast – Selic Queda – Baixa
Imagem: Seu Dinheiro / Shutterstock

O BTG Pactual enxerga espaço para mais reduções da taxa básica de juros, a Selic. Em relatório divulgado nesta quinta-feira, o banco apresenta a projeção de 4,5% no fim de 2019 e diz enxergar espaço para mais duas reduções de 0,25 ponto no começo de 2020, com o custo dinheiro em 4% no fim do ciclo.

O Comitê de Política Monetária (Copom) tem reunião na próxima semana e o BTG está com o consenso de mercado, de nova redução de meio ponto percentual, a terceira seguida, reduzindo o juro de 5,5% para 5%. A última reunião de 2019 acontece em dezembro e traria redução de mesma monta.

Na avaliação entre o que aconteceu desde a reunião de setembro, o banco destaca as falas do presidente do BC, Roberto Campos Neto, de que apesar dos riscos, a cena externa continua favorável e que o movimento do câmbio reflete questões estruturais, sem impacto nas expectativas de inflação.

De fato, todas as falas de Campos Neto e demais diretores reafirmaram a mensagem central de política monetária: O Comitê avalia que a consolidação do cenário benigno para a inflação prospectiva deverá permitir ajuste adicional no grau de estímulo.

Inflação

O BTG continua vislumbrando um quadro favorável, com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) encerrando 2019 perto de 3,4%. A meta do ano é de 4,25%. Para 2020, a projeção teve um breve ajuste de 3,7% para 3,6%, contra meta de 4%.

O banco faz um exercício para antecipar a projeção do modelo do BC no cenário com juro constante em 5,5% e câmbio a R$ 4,05. O resultado seria inflação de 3,3% neste ano e entre 3,6% e 3,7% em 2020. Ou seja, haveria espaço para ajuste adicional.

Balanço de riscos

Na avaliação sobre os vetores que podem levar à inflação para cima ou para baixo da meta, o BTG avalia que o risco de frustração com as reformas evoluiu de forma positiva. O Senado concluiu a reforma da Previdência, e a chama PEC paralela, que traz Estados e municípios para a reforma, mostra avanço.

Pelo lado externo, as negociações comerciais entre EUA e China mostraram progresso, mas os dados dos EUA e de outros países mostram enfraquecimento do setor industrial.

A classificação do BTG é de um cenário externo complexo, mas com moderação dos riscos na margem, com prevalência de vetores deflacionários. Assim, para os analistas do banco, o BC pode passar a dizer que o balanço de riscos está favorável.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

LIÇÕES DO PAI RICO, PAI POBRE

Você está cometendo esses erros nos seus investimentos?

Milhões de pessoas perderam trilhões de dólares porque violaram as leis da natureza. Uma das principais leis ou princípios que elas violaram é a Lei de Newton: para cada ação, há uma reação igual em direção oposta

Alguém anotou a placa?

Coronavírus derrubou quase tudo em fevereiro; só o dólar e uma parte da renda fixa se salvaram

Entre mortos e feridos, salvaram-se poucos; dólar disparou, bolsa desabou, e até alguns títulos de renda fixa tiveram desempenho negativo no mês.

Dinheiro no bolso

Banco do Brasil aprova pagamento de R$ 517,4 milhões em juros sobre capital próprio

Total a ser pago, relativo ao primeiro trimestre de 2020, equivale a R$ 0,1814 por ação

Seu Dinheiro na sua noite

O que nós fizemos depois da queda da bolsa

Eu sei que assistir de braços cruzados à forte queda das ações em meio à completa falta de clareza sobre os impactos do coronavírus nos investimentos é difícil. Mas foi exatamente o que nós aqui do Seu Dinheiro fizemos. Bem, não ficamos exatamente de braços cruzados. Acompanhamos de perto todos os desdobramentos deste momento delicado […]

Perdas generalizadas

Coronavírus derruba o mercado e faz o Ibovespa cair 8,43% em fevereiro, o pior mês desde maio de 2018

O coronavírus se espalhou pelo mundo e trouxe uma enorme onda de aversão ao risco às bolsas. Como resultado, o Ibovespa desabou em fevereiro e o dólar à vista renovou as máximas, flertando com o nível de R$ 4,50

Pensando nas taxas

Goldman Sachs prevê 3 cortes de juros pelo Fed até junho com coronavírus

Primeira redução seria de 0,25 ponto já na reunião do próximo do comitê, marcada para os dias 17 e 18 de março

Polêmica em Brasília

Presidente do Senado convoca sessão para votar vetos do Orçamento impositivo

Projeto obriga o governo a pagar todas as emendas parlamentares neste ano

BC dos EUA

FED: fundamentos da economia continuam sólidos, mas coronavírus representa risco

Declaração foi dada pelo presidente do FED, Jerome Powell, em comunicado divulgado nesta sexta-feira

REAL DESVALORIZADO

Real está no topo da lista das moedas de emergentes com maior queda desde janeiro

Segundo o levantamento, o real está atrás até mesmo de moedas como o Rand Sul-africano (ZAR) e o peso colombiano (COP). Mas o movimento de depreciação de moedas emergentes em relação ao dólar não é único no Brasil

Ouça o que bombou na semana

Podcast Touros e Ursos: Como navegar as águas turbulentas do mercado?

O surto de coronavírus pegou os mercados em cheio, provocando enormes perdas ao Ibovespa e fazendo o dólar disparar rumo a novas máximas. Nesse cenário, nossos repórteres discutem como se comportar em meio ao tsunami de notícias negativas e proteger seus investimentos. Confira os destaques da semana: O coronavírus chegou com tudo aos mercados Dólar […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements