Menu
2019-10-24T18:03:17-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Olho no BC

BTG Pactual acredita em Selic de 4% em 2020

Banco trabalha com juro de 4,5% em dezembro de 2019 e mais duas reduções de 0,25 ponto no ano que vem

24 de outubro de 2019
17:24 - atualizado às 18:03
Touros e Ursos Capa Podcast – Selic Queda – Baixa
Imagem: Seu Dinheiro / Shutterstock

O BTG Pactual enxerga espaço para mais reduções da taxa básica de juros, a Selic. Em relatório divulgado nesta quinta-feira, o banco apresenta a projeção de 4,5% no fim de 2019 e diz enxergar espaço para mais duas reduções de 0,25 ponto no começo de 2020, com o custo dinheiro em 4% no fim do ciclo.

O Comitê de Política Monetária (Copom) tem reunião na próxima semana e o BTG está com o consenso de mercado, de nova redução de meio ponto percentual, a terceira seguida, reduzindo o juro de 5,5% para 5%. A última reunião de 2019 acontece em dezembro e traria redução de mesma monta.

Na avaliação entre o que aconteceu desde a reunião de setembro, o banco destaca as falas do presidente do BC, Roberto Campos Neto, de que apesar dos riscos, a cena externa continua favorável e que o movimento do câmbio reflete questões estruturais, sem impacto nas expectativas de inflação.

De fato, todas as falas de Campos Neto e demais diretores reafirmaram a mensagem central de política monetária: O Comitê avalia que a consolidação do cenário benigno para a inflação prospectiva deverá permitir ajuste adicional no grau de estímulo.

Inflação

O BTG continua vislumbrando um quadro favorável, com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) encerrando 2019 perto de 3,4%. A meta do ano é de 4,25%. Para 2020, a projeção teve um breve ajuste de 3,7% para 3,6%, contra meta de 4%.

O banco faz um exercício para antecipar a projeção do modelo do BC no cenário com juro constante em 5,5% e câmbio a R$ 4,05. O resultado seria inflação de 3,3% neste ano e entre 3,6% e 3,7% em 2020. Ou seja, haveria espaço para ajuste adicional.

Balanço de riscos

Na avaliação sobre os vetores que podem levar à inflação para cima ou para baixo da meta, o BTG avalia que o risco de frustração com as reformas evoluiu de forma positiva. O Senado concluiu a reforma da Previdência, e a chama PEC paralela, que traz Estados e municípios para a reforma, mostra avanço.

Pelo lado externo, as negociações comerciais entre EUA e China mostraram progresso, mas os dados dos EUA e de outros países mostram enfraquecimento do setor industrial.

A classificação do BTG é de um cenário externo complexo, mas com moderação dos riscos na margem, com prevalência de vetores deflacionários. Assim, para os analistas do banco, o BC pode passar a dizer que o balanço de riscos está favorável.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

APRENDENDO COM O PROFESSOR BESSEMBINDER

O clube dos 900%: o que você pode aprender com os maiores casos de geração de riqueza da Bolsa americana

Empresas quebrando são mais frequentes que empresas dominando o mundo em algumas décadas. Mas poucos acertos podem rechear a sua carteira e garantir sua aposentadoria precoce.

Entrevista

‘Desemprego alto e déficit público nos deixam cautelosos’, diz presidente da Whirlpool

CEO da fabricante das marcas Consul e Brastemp diz estar cauteloso para investir em produção e em relação à sustentabilidade da demanda, por conta de desemprego e da situação fiscal

Mercadores da noite

Bolsa, dólar e juros subindo: qual dos três está mentindo?

Quando a Bolsa, o dólar e as taxas de juros estão subindo ao mesmo tempo, um dos três está mentindo – qual deles será e o que fazer?

Infraestrutura

Novo marco legal para ferrovias vai a votação no Senado na próxima semana

Legislação promete organizar regras do setor e permitir novos formatos para a atração de investimentos privados

Telecomunicações

Operadoras cobram transparência do governo na definição da tecnologia 5G

Teles se dizem preocupadas com as “incertezas” relativas ao processo, depois de governo sinalizar banimento da chinesa Huawei

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies