Menu
2019-02-21T20:11:09-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Balanço

Vem dividendo aí! B3 pretende pagar até 150% do lucro de 2019 aos acionistas

Bolsa se beneficiou do ano de forte volatilidade nos mercados e teve lucro líquido de R$ 2,634 bilhões, alta de 26,4% em relação a 2017

21 de fevereiro de 2019
19:55 - atualizado às 20:11
Sede da B3 em São Paulo
Sede da B3 em São Paulo - Imagem: Shutterstock

O ano de forte volatilidade nos mercados com a tensão pré-eleitoral e a greve dos caminhoneiros foi bom para os negócios da B3. A bolsa registrou lucro líquido recorrente de R$ 2,634 bilhões no ano passado, alta de 26,4% em relação a 2017.

O resultado ficou um pouco abaixo da projeção média dos analistas, que apontava para um lucro de R$ 2,721 bilhões, de acordo com a Bloomberg.

Mas os números de 2018 devem ficar em segundo plano em razão de outro anúncio feito pela B3. A companhia planeja distribuir de 120% a 150% do lucro de 2019 aos acionistas. O pagamento pode ser realizado na forma de juros sobre capital próprio, dividendo e recompra de ações.

A bolsa já é uma tradicional boa pagadora de dividendos. Mas a previsão anterior da empresa era de uma distribuição entre 70% e 80% do lucro líquido societário deste ano aos acionistas.

Fazendo uma conta de padeiro com base nas projeções da Bloomberg para o lucro societário da B3 neste ano (R$ 2,660 bilhões), os dividendos que os acionistas da bolsa poderão embolsar podem chegar à casa de R$ 4 bilhões.

No pregão de hoje, as ações da B3 fecharam cotadas a R$ 32,35, em queda de 0,61%. Desde o começo do ano, porém, os papéis acumulam uma valorização de 20,66%, quase o dobro do Ibovespa no mesmo período.

E os números?

A B3 registrou um forte crescimento de 20,6% na receita líquida em 2018, que somou R$ 4,8 bilhões, de acordo com o balanço divulgado hoje à noite.

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi ainda melhor, com crescimento de 28,8%, para R$3,4 bilhões.

Com o monopólio na negociação de ações e no registro de títulos de renda fixa no mercado brasileiro após a compra da Cetip, a B3 atingiu uma margem Ebitda de 70,9% no ano passado, acima dos 67,7% em 2017.

Trimestre forte

No quarto trimestre, a B3 registrou lucro de R$ 715 milhões, alta de 12,5%. As receitas da bolsa cresceram em todos os segmentos.

Os negócios na BM&F (derivativos) renderam R$361,9 milhões, alta de 27,4% em relação ao quarto trimestre de 2017.

Na Bovespa, o aumento no volume negociado com ações garantiu uma receita de R$ 458,5 milhões para a B3, alta de 49,7% na comparação com os últimos três meses de 2017.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Ajuda na crise

Guedes revela o valor do novo auxílio emergencial e diz que governo pode gastar mais se necessário

Os valores da nova rodada de auxílio emergencial irão de R$ 175 a R$ 375, sendo R$ 250 em média, de acordo com o ministro

apetite chinês

O ano do boi será o ano dos frigoríficos, e o Credit Suisse aponta melhor ação para aproveitar o momento

Peste suína africana nos rebanhos de suínos chineses e demanda por alimentos devem resultar em importação recorde de carne pela China

prepara o bolso

Mais um? Petrobras anuncia novo aumento nos preços do diesel e da gasolina

Diesel vai subir R$ 0,15 por litro e a gasolina será de R$ 0,23 por litro a partir de amanhã nas refinarias da empresa, diz Abicom

Interrompendo o casamento

Movida reforça pedido do Cade para barrar união entre Unidas e Localiza

De acordo com a companhia, isso geraria uma concorrência desleal no setor, com a nova empresa tendo 65% do mercado brasileiro de aluguel e 29% do mercado de frotas

vai mexer

Após polêmica com demissão de Castello Branco, governo indica nomes para o conselho da Petrobras

Cinco membros do colegiado pediram para não serem reconduzidos após interferência de Bolsonaro no comando da estatal

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies