Menu
2019-04-03T09:26:29-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Novo governo

Governo Bolsonaro quer acabar com a Infraero e privatizar todos os aeroportos

Segundo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, a mudança deve ser feita nos três primeiros anos da nova gestão

13 de dezembro de 2018
11:32 - atualizado às 9:26
Infraero
Imagem: shutterstock

O governo do presidente-eleito Jair Bolsonaro (PSL) está planejando privatizar toda rede de aeroportos do país e acabar com a Infraero.

A afirmação foi dada pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, ao "Estado de. S. Paulo" nesta quinta-feira, 13.

A mudança, segundo Freitas, está sendo planejada para ocorrer nos três primeiros anos da gestão.

Ele confirmou que o brigadeiro Hélio Paes de Barros será presidente da estatal e negou que o nome tenha sido imposição do grupo militar no entorno do futuro presidente. "Foi escolha minha", disse. "Não teve pressão nenhuma."

O futuro ministro acrescentou que Paes de Barros, atual diretor da Agência Nacional de Aviação (Anac), foi escolhido justamente por estar afinado com os planos do governo para acelerar as concessões. "É um grande nome, que tem profundo conhecimento técnico na área e vai alinhar conosco o programa de concessões dos aeroportos."

Segundo Freitas, a ideia é realizar, em março, o leilão dos 12 aeroportos no Norte, Nordeste e Centro-oeste, cujo edital já foi elaborado no atual governo. Logo após o leilão, ele pretende anunciar uma nova rodada, com mais três blocos de aeroportos. E, quando o leilão desse bloco estiver concluído, anunciará o sétimo e supostamente último lote de aeroportos a ser concedido para a iniciativa privada.

Não é de hoje

A Infraero enfrenta problemas de caixa desde que se iniciou o programa de concessões de aeroportos, no governo de Dilma Rousseff (2011-2016). Terminais de grande movimento, como o de Guarulhos (SP), Brasília e Galeão (RJ), deixaram de integrar a base de aeroportos administrados pela estatal. Ela entrou como sócia em diversas dessas concessões, o que serviu para aprofundar seus problemas de caixa num primeiro momento. Essas participações da Infraero também deverão ser vendidas.

Segundo Freitas, parte dos funcionários da estatal deve ser transferida para uma nova empresa de controle aéreo. Parte já vem sendo desligada num programa de demissão voluntária bancado com recursos obtidos com as concessões.

Na média, diz ele, perto de 1.000 funcionários têm sido desligados por ano. No início do processo, a Infraero tinha 12.000 empregados. Hoje tem 9.000.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

O melhor do Seu Dinheiro

A Pedra Filosofal do mercado financeiro e mais destaques da noite

O minério de ferro converteu-se na pedra filosofal dos mercados: tudo o que toca, vira ouro — como as ações da Vale e das siderúrgicas

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Mercado Financeiro e a Pedra Filosofal

De certa maneira, o mercado financeiro está cheio de alquimistas: tentam transformar dinheiro em mais dinheiro. Ações, câmbio, títulos de renda fixa, fundos imobiliários — no fim, o objetivo dos investidores é multiplicar o patrimônio. O problema é que não há fórmula mágica. Nem sempre as poções funcionam; na verdade, é relativamente comum que o […]

FECHAMENTO

Commodities dão força extra e bolsa fecha o dia em alta firme enquanto NY fica no vermelho

Com o exterior negativo, restou ao setor de commodities e energia salvar o Ibovespa da cautela. O dólar à vista aproveitou e teve um dia de leve queda

Oferta de ações

Softbank deve participar do IPO da Dotz, dizem fontes

Mesmo com a participação do fundo japonês e da presença de dois investidores-âncora, a demanda pelas ações da Dotz no IPO ainda está apertada, segundo fontes

Alta nos preços chama atenção

Governo Biden ‘leva possibilidade de inflação muito a sério’, diz Casa Branca

A porta-voz do governo reforçou, no entanto, que a maioria dos analistas econômicos avalia que haverá um avanço temporário dos preços no país

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies