Menu
2019-10-14T14:15:12-03:00
Estadão Conteúdo
Vai um aeroporto aí?

Governo quer privatizar aeroportos de Congonhas e Santos Dumont em 2021 ou 2022

De acordo Tarcísio Freitas, a ideia do governo é transferir todos os aeroportos da Infraero para a iniciativa privada até 2021

24 de junho de 2019
18:19 - atualizado às 14:15
Ministro da infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas
Imagem: Divulgação/PPI.gov

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse nesta segunda-feira, 24, que o governo pretende privatizar os aeroportos de Congonhas, em São Paulo, e Santos Dumont, no Rio de Janeiro, em 2021 e "no mais tardar em 2022".

"Já fizemos 12 leilões de aeroportos. Houve interesse da iniciativa privada. Em outubro, vamos fazer um leilão de 22 aeroportos. E depois mais um leilão de outros 22 aeroportos, incluindo Santos Dumont e Congonhas", comentou em evento promovido pela Lide, Conselho de Líderes Empresariais, no Rio de Janeiro.

De acordo com o ministro, todos os aeroportos da Infraero serão transferidos para a iniciativa privada. "A ideia é passar tudo para a iniciativa privada até 2021", penúltimo ano do governo Bolsonaro.

Freitas lembrou que o Aeroporto de Macaé, no Norte do Estado do Rio, já vai ter a administração transferida para a iniciativa privada no segundo semestre deste ano.

Segundo ele, a política de Céus Abertos, que permite às empresas estrangeiras operarem no Brasil, sem limitação de capital nacional, vai atrair concorrência no País e já existem "entre três e quatro empresas estrangeiras" interessadas em iniciar operações no Brasil.

Docas

O ministro da Infraestrutura disse ainda que o governo vai iniciar a privatização do setor portuário, que começará com a venda da Docas do Espírito Santo (que teria pouco passivo trabalhista) e em seguida com a Docas de São Sebastião, em São Paulo. "A gente acha que (a privatização da Docas do Espírito Santo) é um bussiness interessante. E vamos em sequência fazer a venda das Docas de São Sebastião e ver como o mercado reage", comentou.

Ele informou que pretende também abrir o capital do Porto de Santos e "pensar algo semelhante para o Rio e Janeiro", anunciou.

Segundo o ministro, o Brasil está na mira dos investidores em infraestrutura e o processo de privatização terá apoio do BNDES, Caixa Econômica Federal e da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), que não será extinta.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

BOA NOTÍCIA

Saúde assina intenção de compra de vacinas da Pfizer e da Janssen

Governo quer comprar sem licitação 100 milhões de doses da vacina contra a covid-19 da Pfizer e de 38 milhões da vacina da Janssen

Esquenta dos Mercados

Pregão de hoje deve ser influenciado pelo 2º turno da PEC emergencial e compra de vacinas

O exterior desfavorável pode não contribuir para a felicidade dos investidores brasileiros, que tem pouco noticiário para sorrir

ilegal

Suspeita de insider da Petrobras já estava no radar da B3

Transações com papéis da empresa com aparência de uso de informação privilegiada deram a um investidor lucro de R$ 18 milhões

Caixa vai seguir adiante com venda de ações ordinárias do Banco Pan

Banco Pan protocola pedido de registro de oferta pública de distribuição secundária das ações detidas pela CaixaPar

debandada

Mais um conselheiro pede para deixar a Petrobras

Leonardo Antonelli é o quinto membro do colegiado a solicitar para que não seja reconduzido como indicado pela União, acionista controlador da empresa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies