Menu
2018-10-07T23:09:57-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Eleições 2018

Governo Bolsonaro será pautado por austeridade, transparência e honestidade, diz General Augusto Heleno

Em entrevista conselheiro de Bolsonaro reafirma tendência liberal na área econômica e privatizações, mas não de empresas estratégicas

7 de outubro de 2018
23:09
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro, candidato à presidência nas Eleições 2018 - Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Em entrevista à "TV Bandeirantes”, o general Augusto Heleno, conselheiro de Jair Bolsonaro, disse que um governo dele será pautado por três pilares: austeridade, transparência e honestidade.

Para o general, que chegou a ser cogitado para ser vice na chapa com Bolsonaro, os parlamentares terão de modificar seus padrões de conduta regidos pelo “toma lá, dá cá”. Para Heleno, os parlamentares vão estar ao lado de Bolsonaro para que os projetos sejam eficientes. "Temos que acreditar nisso. Os brasileiros que têm o mínimo de patriotismo na alma têm de lutar para isso acabar”, disse ao ser questionado sobre a composição do Congresso e a dificuldade de acabar com a prática da troca de cargos e espaço no governo votos no Congresso.

Segundo o General, o que é básico na economia de um governo Bolsonaro é a tendência liberal dada por Paulo Guedes. Na sequência, Heleno disse que anunciam coisas “absurdas” como o fim do 13º salário. Sobre privatizações, ele reafirmou que empresas de cunho estratégico não serão privatizadas, mas que há outras tantas que dão prejuízo e serão extintas.

Questionado sobre a reforma da Previdência e eventual adoção de idade mínima, Heleno disse que o tema terá de ser discutido amplamente, por ser polêmico e por gerar prejuízos para algumas carreiras e ganhos para outras. O que todos concordam, segundo o general, é que não dá para seguir com a Previdência como está, caminhando para um esgotamento de recursos.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Sob nova direção

BR Distribuidora anuncia Wilson Ferreira Junior, da Eletrobras, como novo presidente

O executivo vai ocupar o lugar de Rafael Grisolia, que deixará o comando da rede de postos de combustíveis no fim deste mês

Mercados hoje

Dólar sobe e Nasdaq ganha força com “rotação invertida” nas bolsas; Eletrobras desaba em NY

Setor de tecnologia sustenta os índices S&P500 e Nasdaq em alta em meio a preocupações com avanço da covid-19; ações brasileiras caem em NY

Recuperação judicial

Oi recebe propostas acima do valor mínimo por unidade de fibra ótica

A operadora espera vender uma fatia de 25,5% a 51% de seu negócio de fibra ótica, por uma avaliação mínima de R$ 20 bilhões, incluindo dívida

Os juros vão subir?

Mercado eleva projeção para a Selic após reunião do Copom

A mediana das previsões para a taxa básica de juros neste ano subiu de 3,25% para 3,50% ao ano, de acordo com o relatório Focus, divulgado pelo Banco Central

Dinheiro no bolso

Banco do Brasil anuncia percentual do lucro que vai pagar em dividendos em 2020 e 2021

Banco pretende distribuir 35,29% do lucro líquido do ano de 2020 aos acionistas e 40% do resultado deste ano

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies