Menu
2018-10-04T14:08:51-03:00
Luis Ottoni
Luis Ottoni
Jornalista formado pela Universidade Mackenzie e pós-graduando em negócios pela Fundação Getúlio Vargas. Atuou nas editorias de economia nos portais G1, da Rede Globo, e iG.
Sob incertezas políticas

Venda de veículos cai em setembro mas sobe no ano

Segundo Anfavea, venda de veículos caiu 14,3% em setembro mas subiu 4,3% na comparação com o mesmo período do ano passado

4 de outubro de 2018
13:55 - atualizado às 14:08
Carros empilhados
Venda de veículos automotores cresceu 4,5% em setembro comparado ao mesmo mês do ano passado - Imagem: shutterstock

A venda total de veículos automotores caiu 14,3% em setembro mas subiu 4,3% na comparação com o mesmo período do ano passado, divulgou a Associação Nacional de Veículos Automotores (Anfavea) nesta quinta-feira, 4.

Ao todo, foram vendidos 213.339 veículos.

Para chegar aos resultados, a associação reuniu o número de emplacamentos dos veículos de todo o país.

'Efeito calendário'

A proximidade com as eleições e a incerteza política do país, consideradas efeito-calendário', afetaram nas vendas. No acumulado ano, de janeiro a setembro, a produção das montadoras cresceu 10,5% ante ao mesmo período de 2017.

As exportações de veículos brasileiros recuou 23,6% em setembro na comparação com agosto. Nesse caso, os mesmos efeitos que afetam a política doméstica tiveram impacto nos números, mas, de acordo com o presidente da Anfavea, Antônio Megale, a crise da argentina foi o que mais afetou.

Atualmente, a Argentina é o destino de até 80% das exportações de veículos brasileiros.  No mês passado, o país vizinho respondeu por apenas 50% desses números.

Tendências

A Anfavea também elevou a projeção de veículos em 13,7% comparado com 2017, para 2,546 milhões de unidades. Anteriormente, a associação previa expansão de 11,7%.

Na terça-feira, 2, a  Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) também divulgou uma queda de 15% no número de veículos em setembro.

 

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Fechamento

Mercado modera reação à inflação americana e bolsa consegue recuperação parcial; dólar sobe a R$ 5,31

Os investidores respiraram fundo, pegaram um copo d’água e digeriram melhor o choque da pressão inflacionária nos Estados Unidos

Caça às pendências

BNDES quer viabilizar privatização da Eletrobras e refazer leilão de bloco da CEDAE ainda este ano

Além disso, o banco de fomento trabalha em outros 120 projetos de desestatização que podem chegar a um investimento total de R$ 243 bilhões em obras

Oferta secundária à vista?

BNDES vai esperar o ‘melhor momento’ para vender ações da Copel

A BNDESPar, empresa de participações do banco, pretende se desfazer da fatia de 24% que possui das ações Copel

Mais uma para a lista

Mesmo com apoio de grandes investidores, Dotz interrompe processo de IPO

A empresa, que pretendia movimentar R$ 1,1 bilhão com a oferta, citou a atual condição do mercado de capitais brasileiro como o motivo por trás da desistência

Assunto do momento

5 pontos para entender a inflação americana – e o que isso tem a ver com o seu bolso

Só se fala em inflação em disparada nos Estados Unidos. Mas você sabe o que isso realmente significa?

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies