Menu
2019-01-16T16:05:43+00:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
câmbio

Sobrou dólar no país pela primeira vez desde o começo de novembro

Fluxo cambial foi positivo em US$ 1,448 bilhão na segunda semana de janeiro, com ingressos concentrados na conta financeira

16 de janeiro de 2019
13:14 - atualizado às 16:05
pá-de-dolares
Imagem: Shutterstock

Pela primeira vez em oito semanas, a entrada de dólar superou as remessas para fora do país. Segundo dados do Banco Central (BC), o fluxo cambial foi positivo em US$ 1,448 bilhão na semana encerrada dia 11 de janeiro, primeiro resultado semanal positivo desde o começo de novembro.

Os ingressos se concentraram na conta financeira, que registra operações de investimento em carteira e demais modalidades, com US$ 1,347 bilhão. Na conta comercial, a entrada foi de US$ 101 milhões.

O volume de ingressos líquidos, no entanto, ainda é pouco expressivo, tendo em vista que nas oito semanas de saques, o volume de dólares que deixou o país foi de US$ 20 bilhões.

Na primeira semana de janeiro, o fluxo tinha sido negativo em US$ 1,312 bilhão. Na ocasião ponderamos que a expectativa, em função do comportamento sazonal do mercado, era de que a entrada de dólares voltasse a superar as saídas com mais consistência ao longo das próximas semanas e meses. O resultado conhecido hoje, no entanto, não permite falar, ainda, em confirmação dessa tendência.

Em dezembro, o fluxo foi negativo em US$ 12,756 bilhões, maior para meses de dezembro desde 2014, quando a saída foi de US$ 14,050 bilhões. A saída na conta financeira ficou em US$ 14,635 bilhões, refletindo o forte aumento nas remessas de empresas para fechamento de balanços e outros compromissos. Em 2018, no entanto, fluxo foi negativo em US$ 995 milhões. Agora em 2019, o fluxo está levemente positivo em US$ 136 milhões.

A saída de dólares em novembro e dezembro levou o Banco Central (BC) a atuar no mercado com leilões de linha com compromisso de recompra. Foram dez atuações que somaram US$ 12,25 bilhões, sendo US$ 11 bilhões em “dinheiro novo” e outro US$ 1,25 bilhão em rolagem de linha.

Essas operações vão vencer no começo dos meses de fevereiro e março. O BC decidirá se deixa as linhas vencerem, com efeito "compra" no mercado, ou se renova as operações via rolagens.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Formação de preço

Como já dissemos, o acompanhamento do fluxo à vista é algo relevante, mas a formação de preço do dólar ocorre, mesmo, no mercado futuro da B3, pois é lá que os comprados, que ganham com a alta do dólar, e os vendidos, que ganham com a queda da moeda, protegem suas exposições em outros mercados e fazem apostas direcionais na moeda americana.

O dólar começou o ano com firme trajetória de baixa, acumulando queda de 4,3% nas duas primeiras semanas de 2019. Nos últimos pregões, no entanto, se percebe certa resistência à novas queda na linha de R$ 3,70. Nas mínimas do período, o dólar foi a R$ 3,68, algo que não se via desde o fim de outubro, quando a moeda marcou R$ 3,65.

Os maiores vendedores de moeda são os fundos de investimento, que estão com uma posição líquida vendida de US$ 34 bilhões em dólar futuro e cupom cambial. Na ponta de compra, seguem os estrangeiros, com US$ 34,9 bilhões. Em 10 de dezembro, essa posição bateu recorde a US$ 41,7 bilhões.

Os bancos deixam de ser relevantes nesse mercado, após um firme ajuste de posições iniciado no fim do ano passado. A posição líquida é vendida em apenas US$ 2,885 bilhões, depois de passar de US$ 17 bilhões em meados de dezembro.

Os bancos também carregam uma expressiva posição vendida no mercado à vista, na casa dos US$ 25 bilhões, reflexo do fluxo cambial negativo do fim do ano passado somado às atuações do BC no mercado via leilões de linha com compromisso de recompra.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Seu Dinheiro na sua noite

Insiste em zero a zero e eu quero um a um

Você disse que não sabe se não. Mas também não tem certeza que sim. Se Djavan fosse um analista de mercado, representaria o sentimento dos investidores sobre o que vai acontecer com as taxas de juros no país. Para muita gente, não é mais uma questão de “se”, mas de “quando” a Selic vai cair. […]

Tá liberado!

Governo amplia setores autorizados a trabalhar aos domingos e feriados

A partir de hoje, 78 setores estão autorizados a funcionar nesses dias. Entre os novos segmentos está o comércio em geral

Agora vai?

Leilão de ativos da Avianca Brasil acontecerá no dia 10 de julho

Colegiado de desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo liberou a decisão sobre a na manhã de ontem

Preenchendo a vaga

À espera de aprovação do nome de Montezano, BNDES nomeia presidente interino

Nome do atual diretor de finanças da instituição, José Flávio Ferreira Ramos, foi indicado para ocupar o posto provisoriamente

O rombo em forma de dados

Mansueto: dos 26 Estados mais DF, 14 gastam acima do limite de 60% com pessoal

Percentual abordado pelo secretário o Tesouro Nacional foi estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal

Olha eles aí outra vez

Deputados favoráveis à reforma da Previdência defendem volta da capitalização e de Estados

Sessão para debates sobre o relatório na comissão especial da reforma da Previdência na Câmara contou com várias defesas dos pontos retirados

negócio fechado

Embraer assina cooperação estratégica com a Elta para desenvolver P600 AEW

Com o acordo, as duas empresas criam um novo segmento de mercado, o de AEW; aeronave de última geração foi concebida para atuar em um novo segmento do mercado

acelerou! (um pouquinho)

Preço médio dos imóveis residenciais sobe 0,29% em maio em 10 capitais, diz associação

A Abecip avaliou, em nota, que as altas nos preços dos imóveis residenciais na maioria das capitais ainda não resultam em uma recomposição dos valores dos imóveis em termos reais.

temos um impasse

Virtualmente demitido, presidente dos Correios diz que só deixa o cargo com pedido formal

Bolsonaro disse na última sexta-feira que demitiria o presidente dos Correios pelo comportamento “sindicalista”; mas ele não deixou o cargo: ontem foi trabalhar normalmente e disse, em palestra, que só sai com formalização da demissão

Blog da Angela

Nativos e gringos soltam o verbo e mercados comemoram

Discurso afinado de relator sobre capitalização na Previdência anima; Draghi levanta a bola e Trump corta com categoria – para o Federal Reserve

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements