Menu
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco) e “Abandonado” (Geração).
Bancos x corretoras

Santander lança site para plataforma de investimentos Pi

Lançamento foi compartilhado em rede social pelo presidente do banco, Sérgio Rial, mas o site de cadastro dos interessados em testar plataforma não faz referência ao banco

6 de dezembro de 2018
15:36 - atualizado às 9:49
Sérgio Rial, presidente do banco Santander, na sede do banco em São Paulo. - Imagem: Murillo Constantino/Quartetto

Com direito a divulgação em rede social do presidente Sérgio Rial, o Santander lançou nesta semana a Pi, sua plataforma de investimentos. O acesso por enquanto é restrito a quem se cadastrar no site www.sejaumpioneiro.com.br.

Quem acessar a página de lançamento e cadastro não vai encontrar nenhuma referência ao Santander. A marca nem sequer traz a tradicional cor vermelha do banco.

Eu fiz o meu cadastro na tarde de hoje, e recebi em seguida um e-mail que me orientou a aguardar pelo convite para a versão beta da Pi. O nome da plataforma é uma referência ao número matemático que representa a razão entre o perímetro e o diâmetro de uma circunferência.

Para os chamados "pioneiros", os primeiros a testar os serviços, a Pi vai oferecer apenas produtos de renda fixa de instituições financeiras. Entre eles, certificados de depósito bancário (CDB) e letras de crédito imobiliário (LCI) e do agronegócio (LCA).

Mas, com a evolução da plataforma, a Pi promete ampliar a prateleira para ter fundos de investimentos, tesouro direto e ações.

Bancos em campo

O Santander criou a Pi do zero e detém 100% do capital, mas a plataforma vai operar de forma independente, inclusive da corretora do banco. O projeto é comandado por Felipe Bottino, ex-diretor da Icatu Seguros.

O Santander foi o último dos três maiores bancos privados brasileiros a se posicionar nesse mercado.

O Itaú foi o pioneiro a abrir a prateleira do banco para produtos de terceiros na plataforma 360, voltada aos clientes do segmento Personnalité. E foi além ao adquirir uma participação de 49,9% no capital da XP Investimentos, pela qual pagou R$ 6,3 bilhões.

O Bradesco contra-atacou remodelando a corretora Ágora, que havia comprado em 2008, como plataforma de investimentos.

Na entrevista que concedeu para mim na estreia do Seu Dinheiro, Rial disse que não é tarde para o banco ingressar na disputa pelos investidores.

"Nunca é tarde. Tarde é não fazer. Esse é um mercado onde ainda tem muito para acontecer", ele me disse, na ocasião.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu