Menu
2019-05-15T20:54:03+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Acusações contra o filho do presidente

MP do Rio aponta indícios de que Flávio Bolsonaro comprou 19 imóveis no Rio para lavar dinheiro

Informações do site VEJA apontam que, entre os anos de 2010 e 2017, o então deputado estadual lucrou R$ 3,089 milhões em transações imobiliárias

15 de maio de 2019
20:54
Flávio Bolsonaro
Imagem: Reprodução

O site Veja.com publicou na noite desta quarta-feira, 15, uma série de informações sobre o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro, que podem azedar de vez o humor dos investidores nesta semana.

De acordo com informações do Ministério Público do Rio de Janeiro, obtidas após a quebra de sigilo autorizada pelo juiz Flávio Itabaiana Nicolau, da 27º Vara Criminal, Flávio Bolsonaro teria se utilizado dos processos de compra e venda de imóveis para promover lavagem de dinheiro.

Desde cedo, boatos de que haveriam novas denúncias envolvendo a família Bolsonaro já circulavam no mercado financeiro. Os investidores passaram então a especular sobre a veracidade das informações.

Especula-se também se esses dados fariam parte do "tsunami" anunciado por Bolsonaro no começo da semana. O próprio irmão de Flávio, Carlos Bolsonaro, havia tuitado a respeito de notícias que, segundo ele, "podem derrubar o capitão eleito".

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Lucros extraordinários

A Veja aponta que entre os anos de 2010 e 2017 o então deputado estadual lucrou R$ 3,089 milhões em transações imobiliárias. O rendimento teria ocorrido pelo subfaturamento nas compras e superfaturamento nas vendas dos imóveis. Os dados da Justiça mostram ainda que, nesse mesmo período, Flávio teria investido R$ 9,425 milhões na compra de 19 imóveis.

O documento sigiloso do MP carioca afirma também que a suposta fraude teria como função "simular ganhos de capital fictícios". Esse processo serviria de fachada para “o enriquecimento ilícito decorrente dos desvios de recursos” da Assembleia Legislativa do Rio.

Em janeiro de 2018, a imprensa já havia circulado notícias sobre as transações envolvendo o nome de Flávio. Na época, o jornal Folha de S. Paulo publicou que o senador tinha realizado transações relâmpago com os mesmos 19 imóveis.

Caso a caso

O documento do MP divulgado pela Veja também detalha os casos em que teria havido uma valorização excessiva no preço dos imóveis.

Em 2012, Flávio comprou um imóvel em Copacabana por R$ 140 mil e, 15 meses depois o vendeu por R$ 550 mil - um lucro de 292%. Para se ter uma ideia, o índice Fipezap, que calcula os preços no mercado imobiliário, aponta que a valorização de imóveis no bairro foi de 11% no período.

Também em 2012, Flávio comprou outro imóvel em Copacabana por R$ 170 mil. Um ano depois, vendeu por R$ 573 mil (lucro de 237%).

Já entre dezembro de 2008 e setembro de 2010, Flávio efetuou a compra de dez salas comerciais na Barra da Tijuca por R$ 2,662 milhões.

De acordo com a Veja, em outubro de 2010 todos os imóveis foram vendidos para a empresa MCA Exportação e Participações por R$ 3,167 milhões de reais. Os promotores ressaltam que o comprador tem, entre os sócios, a Listel S.A., sediada no Panamá, um paraíso fiscal.

*Com informações do site Veja.com.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Nas ruas do país

Atos pró-Bolsonaro chegam a 93 municípios de 25 Estados e DF

Em São Paulo, a manifestação a favor do governo ocorre na Avenida Paulista e os participantes estão distribuídos por sete quarteirões

Entrevista

“Reforma tem boa chance de passar. Talvez não no prazo ideal”, diz Pedro Parente

Ex-ministro e atual presidente da BRF, Parente vê com naturalidade a atual desarticulação entre o presidente Jair Bolsonaro e o Congresso

Dia de manifestações

Bolsonaro posta no Twitter vídeos de atos pró-governo

A conta do presidente na rede social trouxe três vídeos de manifestantes nas cidades do Rio de Janeiro, em São Luís, no Maranhão, e em Juiz de Fora, no interior de Minas

Trabalho para os liberais

Kleber Bambam e o twitter de Bolsonaro: por que a economia não sai do paredão?

Para Adolfo Sachsida, secretário de política econômica do Ministério da Economia e fã do Big Brother Brasil, problema está no desajuste fiscal herdado das gestões petistas, e não nas polêmicas do Twitter

Das redes ao asfalto

Manifestações nas ruas testam apoio a Bolsonaro

Receio da equipe de Bolsonaro é de que, se não houver uma adesão de peso às manifestações, isso seja interpretado como um sinal de perda de popularidade

Armas

Novo decreto de Bolsonaro mantém brecha para compra de fuzis

Governo mudou texto para evitar venda de fuzis a civis, que fez as ações da Taurus dispararem na semana passada. Mas Procuradoria diz que novo decreto mantém essa possibilidade

Cannabusiness

O dia não tão distante em que os supermercados americanos venderão produtos feitos com planta de maconha

Todos querem sua fatia de uma indústria que deve ultrapassar os US$ 2 bilhões nos EUA até o próximo ano, uma vez que pesquisas vêm mostrando que os consumidores estão dispostos a pagar preços mais altos pelos produtos

Reduzindo os gargalos

Judiciário prepara pacote de medidas para acelerar recuperações judiciais

Em média, em São Paulo, são 567 dias (cerca de um ano e meio) entre a Justiça aceitar o pedido de recuperação de uma empresa e apreciar o plano de reestruturação

Seu Dinheiro no sábado

MAIS LIDAS: Esse filme eu já vi

Na semana em que o futuro pareceu repetir o passado, o assunto mais comentado não podia ser outro: o tsumani político que varreu Brasília. O enredo que incluiu derrotas do governo no Congresso, investigações do Ministério Público, manifestações de rua e investidores à beira de um ataque de nervos de fato me trouxe recordações recentes, […]

Pague pelo celular

Após avanço do Itaú, Mercado Pago amplia parcerias com lojas para pagamentos instantâneos

Empresa do site Mercado Livre fecha parceria com redes de farmácia e de alimentos para aceitar pagamentos pelo sistema de “QR Code”, que agora entrou na mira do Itaú

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements