Menu
2019-05-13T22:49:31+00:00
Natalia Gómez
Natalia Gómez
Dois anos depois do "Joesley Day"

Lucro da JBS mais que dobra no primeiro trimestre com câmbio favorável

Resultado do frigorífico controlado pela família Batista foi de R$ 1,09 bilhão, alta de 116% ante o primeiro trimestre de 2018

13 de maio de 2019
22:49
JBS
Imagem: shutterstock

Passados quase dois anos do "Joesley Day", como ficou conhecido o dia da revelação da bombástica delação premiada do dono da JBS, os negócios da empresa vão muito bem, obrigado. A JBS teve lucro líquido de R$ 1,09 bilhão no primeiro trimestre de 2019, alta de 116% ante o mesmo período de 2018.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

O resultado foi ajudado pelo efeito do câmbio sobre as operações no exterior e sobre as exportações. O lucro veio acima do esperado pelos analistas, que previam lucro líquido de R$ 464,5 milhões, de acordo com a Bloomberg.

A receita líquida da empresa de alimentos controlada pela família Batista avançou 11,5% para R$ 44,3 bilhões no trimestre, com avanço em todas as unidades de negócios, tanto no exterior quanto no Brasil. Segundo a companhia, a desvalorização média do real frente ao dólar no primeiro trimestre foi de 14%.

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação) somou R$ 3,19 bilhões, alta de 14,4% frente aos primeiros três meses do ano passado. A margem Ebitda foi de 7,2%, ligeiramente acima da margem de 7% do primeiro trimestre de 2018.

Dívida e investimentos

A dívida líquida da JBS fechou março em R$ 48,7 bilhões, 7% acima da dívida líquida de R$ 45,5 bilhões de um ano antes. A alavancagem (relação entre dívida líquida e Ebitda ficou em 3,20 vezes, enquanto no ano anterior era de 3,24 vezes.

No final do primeiro trimestre, a empresa tinha R$ 14,8 bilhões em disponibilidades, incluindo as linhas de crédito pré-aprovadas. Este valor representa quase cinco vezes o endividamento de curto prazo, segundo a JBS.

Os investimentos realizados (capex) no primeiro trimestre atingiram R$ 754,1 milhões.

Fatiando os resultados

Olhando os resultados da JBS por diferentes negócios, o destaque ficou por conta do crescimento da receita em todas as operações, inclusive no Brasil.

Os negócios da Seara registraram uma alta de 5,6% na receita líquida, para R$ 4,19 bilhões. Segundo a empresa, o avanço se deve ao aumento dos preços de venda tanto no mercado doméstico quanto no mercado internacional, que foi de 16,6%, em média.

O Ebitda da Seara no atingiu R$ 278 milhões, queda de 15,8%. O custo dos produtos vendidos cresceu 4%.

JBS Brasil foi bem

A operação da JBS Brasil mostrou aumento de 7,4% na receita líquida do primeiro trimestre, chegando a R$ 6,76 bilhões. Segundo o relatório divulgado hoje, o crescimento foi mais impulsionado pelas vendas no mercado externo, que responderam por 44% das vendas da unidade e cresceram 14% em receita líquida, com ajuda de melhores volumes e preços.

Já no mercado doméstico o crescimento da receita foi de 2,7%.

O Ebitda desta operação foi de R$ 195 milhões, revertendo Ebitda negativo de R$ 100,9 milhões um ano antes. O custo dos produtos vendidos pela JBS Brasil subiu 2,8%.

E as operações no exterior?

A operação da JBS de carne bovina nos Estados Unidos, Austrália e Canadá apresentou receita líquida de R$ 18,8 bilhões, alta de 15% na comparação anual. O Ebitda da JBS USA Beef foi de R$ 986,6 milhões, queda de 3,6%, enquanto o custo dos produtos vendidos subiu 16,3%.

De acordo com a companhia, os resultados nos Estados Unidos foram afetados por eventos climáticos que impactaram as atividades de entrega e abate de bovinos em algumas de suas unidades.

A empresa destacou, no entanto, que a demanda continua crescendo enquanto a capacidade da indústria permanece estável, o que cria um cenário positivo para os próximos trimestres nos Estados Unidos. Sobre a operação australiana, a JBS destacou maiores exportações para China e Coreia do Sul.

No segmento de suínos nos Estados Unidos, a receita líquida somou R$ 5,03 bilhões, alta de 5,9% na comparação anual. O Ebitda cresceu 32,7% para R$ 588,5 milhões, enquanto o custo dos produtos vendidos subiu 2,2%.

Já a Pilgrim’s Pride teve receita líquida de R$ 10,2 bilhões, alta de 15,3%, também beneficiada pelo efeito cambial.

Bola cantada

Assim como outras empresas do setor já anteciparam, a JBS também espera colher os efeitos positivos do surto de febre suína africana na China. Segundo a empresa, já foi possível capturar aumentos de preço no final do trimestre, e os efeitos devem se intensificar nos próximos meses, atingindo todas as proteínas animais produzidas pelo Brasil, tanto no mercado interno quanto externo.

No primeiro trimestre, as notícias sobre a febre suína promoveram um aumento no preço à vista e futuro dos animais vivos no período também nos Estados Unidos, de acordo com o relatório da JBS.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Disputa com Centauro

Magazine Luiza contra-ataca e eleva oferta pela Netshoes para US$ 93 milhões

A varejista decidiu elevar a oferta pelo site de produtos esportivos para US$ 3,00 por ação depois que a Centauro entrou na disputa com uma oferta hostil lançada na quinta-feira

Nas ruas do país

“Pergunta para o povo”, diz Bolsonaro, sobre manifestações

Perguntado sobre a quantidade de pessoas nas ruas, Bolsonaro declarou que as “imagens valem mais do que mil palavras”

Nas ruas do país

Atos pró-Bolsonaro chegam a 93 municípios de 25 Estados e DF

Em São Paulo, a manifestação a favor do governo ocorre na Avenida Paulista e os participantes estão distribuídos por sete quarteirões

Entrevista

“Reforma tem boa chance de passar. Talvez não no prazo ideal”, diz Pedro Parente

Ex-ministro e atual presidente da BRF, Parente vê com naturalidade a atual desarticulação entre o presidente Jair Bolsonaro e o Congresso

Dia de manifestações

Bolsonaro posta no Twitter vídeos de atos pró-governo

A conta do presidente na rede social trouxe três vídeos de manifestantes nas cidades do Rio de Janeiro, em São Luís, no Maranhão, e em Juiz de Fora, no interior de Minas

Trabalho para os liberais

Kleber Bambam e o twitter de Bolsonaro: por que a economia não sai do paredão?

Para Adolfo Sachsida, secretário de política econômica do Ministério da Economia e fã do Big Brother Brasil, problema está no desajuste fiscal herdado das gestões petistas, e não nas polêmicas do Twitter

Das redes ao asfalto

Manifestações nas ruas testam apoio a Bolsonaro

Receio da equipe de Bolsonaro é de que, se não houver uma adesão de peso às manifestações, isso seja interpretado como um sinal de perda de popularidade

Armas

Novo decreto de Bolsonaro mantém brecha para compra de fuzis

Governo mudou texto para evitar venda de fuzis a civis, que fez as ações da Taurus dispararem na semana passada. Mas Procuradoria diz que novo decreto mantém essa possibilidade

Cannabusiness

O dia não tão distante em que os supermercados americanos venderão produtos feitos com planta de maconha

Todos querem sua fatia de uma indústria que deve ultrapassar os US$ 2 bilhões nos EUA até o próximo ano, uma vez que pesquisas vêm mostrando que os consumidores estão dispostos a pagar preços mais altos pelos produtos

Reduzindo os gargalos

Judiciário prepara pacote de medidas para acelerar recuperações judiciais

Em média, em São Paulo, são 567 dias (cerca de um ano e meio) entre a Justiça aceitar o pedido de recuperação de uma empresa e apreciar o plano de reestruturação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements