Menu
2019-10-09T07:25:32-03:00
sem conversa

CVM rejeita proposta de acordo do BTG Pactual Holding para evitar processo

Empresa queira desembolsar R$ 200 mil para evitar processo por não ter informado à controlada PPLA Participations negociações referentes à sua participação na companhia

9 de outubro de 2019
7:25
trading floor btg pactual

O BTG Pactual Holding propôs o pagamento de R$ 200 mil à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para evitar ser alvo de um processo administrativo sancionador por não ter informado à controlada PPLA Participations a realização de negociações relevantes referentes à sua participação na companhia. O acordo foi rejeitado pelo colegiado do órgão regulador do mercado de capitais, acompanhando orientação do seu Comitê de Termo de Compromisso.

O caso chegou à Superintendência de Relações com Empresas (SEP) a partir de reclamações encaminhadas por acionistas à CVM. O BTG Pactual Holding passou a ser alvo de uma série de denúncias após anunciar a intenção de descontinuar o Programa BDR (Brazilian Depositary Receipts) da PPLA. Entre outras coisas, foram apontadas inconsistências no Laudo de Avaliação da operação, manipulação de mercado, insider trading e infração às regras de divulgação de informações relevantes.

Nesse caso específico, entrou no radar a ausência de informações sobre negociações que levaram o BTG a ultrapassar os patamares de 15%, 20%, 25% e 30% de participação em BDRs classes A e B da PPLA. Após uma série de questionamentos à BTG, a área técnica da CVM concluiu que apesar de a holding ter afirmado que realizou devidamente e dentro dos prazos exigidos a comunicação à PPLA, isso não ficou comprovado. A PPLA é a unidade de investimentos da BTG Pactual Holding constituída nas Bermudas.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Nesta terça, comunicado ao mercado da PPLA informava que a participação do BTG Pactual na companhia passou a ficar abaixo de 35%, passando a deter 34,67% das Units. A PPLA afirma que não tem conhecimento de que os papéis vendidos foram adquiridos por acionistas que já possuíam ou passaram a possuir mais de 5% dos BDRs classe A ou B, que compõem as Units.

O Comitê de Termo de Compromisso da CVM foi contra o acordo levando em conta a gravidade da conduta, a existência de outros processos administrativos envolvendo a PPLA e o BTG Pactual Holding, o nível de visibilidade do caso e seus efeitos no mercado. A proposta de oferta do BTG gerou uma série de controvérsias com os acionistas.

No dia 4 de outubro, a PPLA Participations, unidade de investimentos do BTG Pactual Holding, anunciou em fato relevante ter desistido da oferta pública de aquisição (OPA) de Units e BDRs ao apontar erros materiais e inconsistências no segundo laudo de avaliação da companhia, elaborado pela Urca Capital Partners após questionamentos de minoritários.

O BTG afirmou que o laudo elaborado pela Urca Capital Partners - indicada após questionamentos dos minoritários - incorreu em "erros materiais (para além da escolha de premissas que embasaram o referido laudo) que resultaram em uma grave distorção do preço por Unit indicado no Novo Laudo de Avaliação. "A Ofertante entende que o resultado do Novo Laudo de Avaliação não reflete adequadamente o valor da companhia".

O grupo informou ainda que continuará avaliando alternativas para fazer frente à sua situação econômico-financeira e de liquidez, assim como da PPLA Investments e que avalia, em especial, o processo de capitalização.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Novos recordes à vista?

Gestores de fundos falam em Ibovespa em até 250 mil pontos em 2022

Desde o início do atual ciclo de alta, a bolsa brasileira praticamente triplicou de valor. Mas o movimento ainda pode estar longe do fim, segundo os gestores

A Bula do Mercado

IPCA e payroll dividem atenção com guerra comercial

Dados de inflação no Brasil e emprego nos EUA devem agitar o mercado financeiro hoje, que segue atento ao noticiário sobre a guerra comercial

OLHO NO RATING

Mansueto evita dizer que agências de rating estão atrasadas, mas cita indicadores

Ele lembrou que a única agência que divulgou relatório mais recentemente foi a Fitch, que trabalhava com déficit nominal de 7% do PIB e déficit primário de 1,9%.

EUA X China

EUA e China seguem em negociação comercial, mas ainda há discordâncias

O governo dos EUA quer que Pequim declare publicamente seus planos de compra, e não os condicione às circunstâncias do mercado ou às obrigações comerciais da China, disseram fontes familiarizadas com as discussões

Otimismo na bolsa

Firme e forte: Ibovespa engata a quarta alta seguida e chega a mais um recorde

O Ibovespa aproveitou-se da ausência de fatores negativos e do bom desempenho das ações da Petrobras para fechar em alta e cravar mais um recorde

DE OLHO NO GRÁFICO

Bitcoin indica alta e 12 criptomoedas alternativas para ficar de olho

Fausto Botelho fala sobre a alta recente do S&P, que está em sinal amarelo, sobre a tendência de alta do bitcoin e outras 12 altcoins para ficar de olho

Ganhando tração

Conversas sobre potencial venda da rede móvel da Oi estão acelerando, diz presidente da Tim

Segundo Labriola, uma eventual avaliação da compra da Oi só vai ocorrer caso o ativo seja formalmente colocado à venda, o que ainda não ocorreu

Novo recorde

O maior IPO da história: a Saudi Aramco vai levantar US$ 25,6 bilhões com sua abertura de capital

A petroleira Saudi Aramco, considerada uma das companhias mais rentáveis do mundo, divulgou há pouco os detalhes finais de sua oferta pública inicial de ações. E, pelos números reportados pela estatal saudita, não estamos falando de um IPO qualquer: trata-se da maior operação do tipo já feita na história. As ações da Aramco foram precificadas […]

Oferta da XP

CVM diz que fundo brasileiro pode captar recursos para investir em IPO nos EUA

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) informou hoje que fundos de investimento podem captar recursos de investidores brasileiros para investir em ofertas de ações fora do país. “Em tese, não há restrição para que um ‘fundo brasileiro capte recursos de investidores brasileiros para investir em ofertas públicas no exterior’”, disse a CVM, em nota. Eu […]

OLHO NA CONSTRUÇÃO

PIB da construção deve crescer 2% em 2019 e 3% em 2020, dizem Sinduscon-SP e FGV

O avanço do PIB da construção neste ano está sendo puxado, essencialmente, pelo consumo das famílias, enquanto as atividades empresariais ficaram em segundo plano

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements