Menu
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Bolsa e dólar hoje

Após altos e baixos, Ibovespa dispara no final e fecha em alta

A falta de notícias concretas sobre temas fiscais foi um dos motivos para os ativos andarem “de lado” e com liquidez reduzida

16 de janeiro de 2019
10:16 - atualizado às 19:14
Petrobras chegou a bater máximas durante a tarde, mas a queda de alguns bancos limitou um melhor desempenho do Ibovespa - Imagem: Seu Dinheiro

A Bolsa de valores de São Paulo teve um dia de montanha russa, subindo e descendo a todo momento. A falta de notícias concretas sobre temas fiscais, em especial a reforma da Previdência, foi um dos motivos para os ativos terem andado "de lado" e com liquidez reduzida nesta quarta-feira. A ação ordinária da Petrobras chegou a bater máximas durante a tarde, mas a queda de alguns bancos, como o Itaú Unibanco PN, limitou um melhor desempenho do Ibovespa, que tentou se firmar acima dos 94 mil - o que só aconteceu nos últimos suspiros do pregão. No finalzinho, o Ibovespa deu uma estilingada e fechou na máxima do dia, com alta de 0,36%, a 94.393 pontos. O dólar fechou a quarta-feira em alta de  0,08%, negociado a R$ 3,73.

A little help from my Fed

O que ajudou na disparada final do Ibovespa ao 48 do segundo tempo foi o Livro Bege do Federal Reserve (Fed). O banco central americano destacou que a maioria dos 12 distritos dos EUA apresentou modesto a moderado crescimento no setor não financeiro, embora alguns deles apontaram que a expansão neste segmento produtivo desacelerou. "O setor de energia avançou em ritmo menor e baixos preços de energia contribuíram para um recuo das expectativas de investimentos da indústria." O investidor considerou o comentário bem positivo e fez comprinhas de  última hora.  Isso fez disparar algumas blue chips, como Petrobras ON, que subiu 0,81%, Vale ON, com alta de 0,57% e Bradesco PN, com 0,48%.

Bancos

No bloco financeiro, o resultado foi ruim: Banco do Brasil ON fechou em queda de 0,95%, Itaú PN ficou com baixa de 0,29% e as units do Santander encolheram 0,64%. Glauco Legat, analista chefe da corretora Necton Investimentos, disse que o mercado está na expectativa da divulgação dos balanços relativos ao quarto trimestre do ano passado. "Estou confiante de que os bancos terão uma boa performance, mas só não aposto na compra porque isso já está embutido no preço. Revisarei as estimativas se houver uma melhora ainda maior do que eu esperava".

Posto Ipiranga

Maior alta do Ibovespa, as ações da Cosan subiram 4,90%. Os investidores repercutem a informação divulgada na imprensa de que o controlador da empresa, Rubens Ometto, estaria lançando uma versão do Alipay para processar pagamentos (de combustível ou de gás) e transferência via smartphone. Seria uma aposta que poderia poupar o grupo do pagamento de milhões em taxas e ainda melhorar a sua posição no cenário das fintech, em expansão do Brasil. "É um negócio diferente do que a companhia está habituada", afirmou um operador.

Suzano

Outro destaque entre as maiores altas foi a Suzano ON, que ampliou o rali da véspera (8,46%) e subiu 4,40%. Bruno Madrugada, sócio e chefe de renda variável da Monte Bravo, explica que a perspectiva para a empresa é "muito positiva, após a conclusão da fusão com a Fibria, uma vez que ela ganha mercado em um momento de projeção de recuperação do preço da celulose no mercado internacional". A projeção é que o preço da celulose, atualmente em torno de US$ 640 a tonelada, suba US$ 100 até o final de 2019.

Embraer

As ações da Embraer tiveram queda de 1,19% depois da empresa ter anunciado uma piora nas estimativas para 2018 de sua receita líquida, Ebitda, Ebit e margem Ebit (operacional), além de diminuição nas entregas de jatos executivos, em relação ao previsto anteriormente, em março do ano passado. No entanto, a queda foi limitada, uma vez que a empresa informou também que deverá pagar aos acionistas dividendo de aproximadamente US$ 1,6 milhão após o término da operação com a Boeing.

Blindadas?

Os papéis de siderúrgicas não sofreram impacto significativo, após a União Europeia aprovar a imposição de novas barreiras contra o aço brasileiro e de outros exportadores, com um total de 26 produtos siderúrgicos taxados. De acordo com Sabrina Cassiano, analista da Coinvalores, a notícia não impacta fortemente as empresas do setor, já que "elas exportam pouco para a Europa". Segundo ela, a medida pode até beneficiar as empresas no curto prazo, "uma vez que o preço do aço deve subir", mas destaca que essas taxas no longo prazo poderia prejudicar o desempenho como um todo. As ações ON da CSN subiam 3,33%, as PNA da Usiminas avançaram 2,57%.

Tiro no pé

Após recuarem com força na sessão anterior, as ações da Taurus...

...continuaram recuando com toda força hoje. Tudo porque aconteceu o que os investidores que compraram os papéis da companhia jamais imaginavam: o governo de Jair Bolsonaro quer a quebra do "monopólio" da Taurus, a principal fabricante de armas no País. Além disso, hoje pela manhã, a empresa informou que ontem, o seu controlador, a Tauruspar Participações, vendeu quase 1,2 milhão de ações da companhia em uma operação que superou R$ 7 milhões. As ações cairam mais de 25% hoje.

Varejistas

Papéis de varejistas se destacam entre as maiores altas, seguindo o bom humor de dados de varejo divulgados ontem. A ação ON da B2W ON, por exemplo, ganhou 3,59%. Lojas Renner subiu 2,21%. "Indicadores de varejo acima do esperado pelo mercado divulgados ontem continuaram influenciando hoje porque refletem uma melhora no consumo", aponta Sandra Peres, analista da Coinvalores.

Cemig, Sabesp e Copasa

As ações de Cemig e Sabesp figuraram entre as maiores quedas do Ibovespa, com baixa de 1,23% e 2%, enquanto os papéis da Copasa perdem 2,21%, depois que o Citigroup cortou a recomendação de neutra para venda das três empresas e reduziu o preço-alvo das duas companhias de saneamento.

 *Com Estadão Conteúdo

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
Conteúdo patrocinado por Startse

Milionária sem sair da cama

O caso da inglesa que ficou milionária trabalhando de pijama no quarto – e o número de brasileiros que querem enriquecer da mesma forma.

Tentou, mas não deu

Mesmo com salto de 138% no lucro do 4º trimestre, Cyrela fecha ano com prejuízo de R$ 84 milhões

Crescimento do lucro trimestral está relacionado ao aumento dos lançamentos e das vendas, com avanço da receita e diluição de custos

Live

Bolsonaro: Prisão de autoridades reflete a forma de buscar a governabilidade

Em transmissão no “Facebook”, presidente fala sobre prisão de chefes do Executivo, mas não menciona Michel Temer diretamente

Perspectiva é negativa

S&P livra rating da Vale de observação e reafirma sua nota em BBB-

Agência levou em consideração os esforços da empresa para reparos sobre o desastre de Brumadinho e o “colchão de liquidez” para choques futuros

Mais dados sobre a organização

Lava Jato revela R$ 1,8 bilhão em propina no esquema Temer

Grupo criminoso é investigado pelo recebimento de propina o parcelamento dessa propina por vários e vários anos

Seu Dinheiro na sua noite

Tem que manter isso?

No aniversário de Bolsonaro, prisão de Temer agita Brasília e a Faria Lima

Amigo de Michel Temer

Coaf revela tentativa de depósito de R$ 20 milhões para empresa do Coronel Lima

Coronel foi preso nesta quinta-feira ao lado de Temer e outros investigados por propinas em obras da Eletronuclear para a Usina de Angra 3

Pegou mal no Congresso

Governo errou ao dar tratamento diferenciado a militares, diz líder do PSL na Câmara

Delegado Waldir fez duras críticas sobre o projeto que reestrutura as carreiras das Forças Armadas

Longo caminho pela frente

180 deputados estão dispostos a aprovar a reforma da Previdência, mas com ajustes, diz pesquisa

Levantamento aponta que apenas 61 parlamentares votariam a favor da proposta sem sugerir qualquer alteração

dia 80

À sombra do ex

Prisão de Michel Temer é evento político do dia, mas não deve ser novo “Joesley Day” para a Previdência

Batalha da Comunicação

Reforma da Previdência elevará a renda dos mais pobres

A afirmação é do Ministério da Economia, que apresentou mais um estudo para defender a proposta do governo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu