Menu
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro

Como a Energisa dobrou seu valor de mercado desde 2017

Em 12 meses, as ações da empresa subiram quase 50%, bem acima do Ibovespa. Segredo está nas oportunidades de compras, que devem continuar

25 de janeiro de 2019
9:17 - atualizado às 9:36
Caminhões da Energisa, subsidiária
Energisa, subsidiária - Imagem: Divulgação/Energisa

Ao entrar na disputa dos últimos grandes negócios do setor elétrico - e sair vitorioso em alguns deles -, o grupo Energisa conseguiu mais do que dobrar seu valor de mercado de 2017 para cá, para R$ 17,6 bilhões. Há uma década, a empresa valia pouco mais de R$ 2 bilhões, segundo a Economática.

No ano passado, a companhia da família Botelho mirou as oportunidades de compra no setor de distribuição e os leilões de transmissão de energia. Ganhou o leilão de duas concessionárias da Eletrobrás e quatro projetos de linhas de transmissão. Em 12 meses, as ações da empresa subiram quase 50% - bem acima do Ibovespa.

Hoje, prestes a completar 114 anos, o grupo - criado em Cataguases (MG) - quer consolidar as aquisições feitas no último ano. Para isso, vai investir R$ 2,8 bilhões no setor em 2019, incluindo as melhorias nas empresas compradas da Eletrobrás.

O valor é quase 50% superior ao injetado nos negócios em 2018, afirma o presidente da empresa Ricardo Botelho. “Estamos entrando numa fase em que o foco serão os investimentos, especialmente nas duas distribuidoras adquiridas da Eletrobrás, que têm um padrão de eficiência muito baixo.”

Botelho explica que esse foi o mesmo caminho seguido pela empresa quando, em 2006, o grupo comprou as oito distribuidoras do Grupo Rede. Na época, a companhia desbancou CPFL e Equatorial, favoritas na negociação, e se transformou na sexta maior empresa de distribuição do País (hoje, ela é a quinta maior).

A exemplo das concessionárias adquiridas da Eletrobrás, as concessões do Rede exigiam vultosos investimentos. Este ciclo terminou no ano passado, quando quatro distribuidoras passaram pelo processo de revisão tarifária, o que permitiu que a empresa capturasse parte das melhorias feitas na área de concessão.

Com esse processo encerrado, a Energisa conseguiu buscar novos negócios. Em março de 2018, a empresa se arriscou ao fazer uma oferta hostil pela Eletropaulo, que vinha negociando com a Neoenergia. O movimento não deu certo e a distribuidora paulista acabou com a italiana Enel.

Depois da tentativa frustrada, focou seus esforços nas distribuidoras da Eletrobrás. Arrematou duas: Ceron (RO) e Eletroacre (AC). Foi mais um passo no processo de diversificação da companhia, que deu seus primeiros passos fora de Minas Gerais em 1996.

Analista do Santander, Thiago Roberto Luis da Silva diz que a Energisa é conhecida no mercado como uma empresa que sabe investir bem. “Eles têm fama de serem investidores que controlam bem os custos.”

O analista destaca que, no caso das distribuidoras do Grupo Rede, as revisões tarifárias da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) ficaram acima das expectativas do mercado.

Dívida

A fama se reflete na receptividade da empresa no mercado financeiro. Em 2016, a companhia levantou R$ 1,54 bilhão numa oferta pública na bolsa de valores de São Paulo.

Em dezembro de 2018, após as aquisições feitas, o Itaú fez um aporte de R$ 600 milhões para ficar com 12% do negócio.

Segundo Botelho, antes disso, a empresa já havia feito uma capitalização interna de R$ 480 milhões. Ele explica que as operações têm a finalidade de ajustar o perfil de dívida da empresa, que somava R$ 9,5 bilhões em setembro. Com as aquisições de Ceron e Eletroacre, esse valor subirá para R$ 11,4 bilhões.

“Ao contrário do que parece, a empresa é bastante pé no chão em termos de capitalização e aquisições. Eles se concentraram no negócio de distribuição e venderam os demais ativos para suportar o negócio”, afirmou o presidente da consultoria Thymos, João Carlos Mello.

*Com Estadão Conteúdo

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Poder

Congresso impõe agenda própria a Bolsonaro

Já são seis as iniciativas traçadas pelo Congresso para garantir maior influência e poder político após o abandono do presidencialismo de coalizão

Aviação

Segundo NYT, outro jato da Boeing pode ter problemas de segurança: o 787 Dreamliner

Segundo reportagem do New York Times, na fábrica do 787 na Carolina do Sul são comuns os casos de resíduos metálicos e ferramentas esquecidos dentro de aeronaves, além de peças defeituosas instaladas; até chiclete segurando o acabamento de uma porta já foi encontrado

O LEMA DE SÃO TOMÉ

Por que os gringos estão com o pé atrás em relação ao Brasil e à bolsa?

Apesar de o Ibovespa acumular alta em 2019, o fluxo de recursos estrangeiros para a bolsa no mercado à vista está negativo. Com a reforma da Previdência avançando aos trancos e barrancos, os gringos estão como São Tomé: só acreditam vendo

Transparência

Guedes defende mesma transparência do Copom para política de preços da Petrobras

Em entrevista, ministro voltou a defender que a estatal é livre para definir os preços

Petróleo

ANP nega mais prazo à Petrobras; campos terrestres irão para oferta permanente

Agência reguladora negou mais prazo para a estatal apresentar um plano de desativação de campos terrestres que não estão em produção há mais de seis meses

BOMBOU NA SEMANA

MAIS LIDAS: Siga o dinheiro

A vida dos milionários costuma fascinar as pessoas que ainda não chegaram e talvez nunca cheguem lá. Esse é o tipo de tema que costuma despertar as paixões humanas: admiração, inveja, raiva ou simplesmente a questão aspiracional. Quem não nasceu em uma família endinheirada certamente já pensou em como seria a sua vida se fosse […]

Atualização

Avianca cancela mais de 1.300 voos até dia 28

Guarulhos, Brasília e Galeão são os aeroportos mais prejudicados pelos cancelamentos. Já Congonhas e Santos Dumont parecem ter sido poupados

Piora nas contas

Déficit estrutural do setor público chega a 0,7% do PIB em 2018

Devido à deterioração das contas dos Estados e municípios, movimento de melhora das contas públicas pelo resultado oficial não aconteceu no estrutural, que apresentou piora no ano passado

Preço do diesel

Em áudio, Onyx diz que governo deu uma ‘trava na Petrobras’

Ministro da Casa Civil diz que os caminhoneiros podem ficar sossegados que o governo tem trabalhado para resolver o problema deles

Na mira de quem tem grana

Para que cidades os milionários estão se mudando?

Estudo mostra que Dubai, Los Angeles, Melbourne, Nova York, Sydney, Miami e São Francisco caíram nas graças dos endinheirados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

GUIA GRATUITO

Como declarar seus investimentos no IR 2019