Menu
2019-04-22T15:05:20-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Maquininhas de cartão

Ações da Cielo e Stone desabam com decisão da Rede de zerar taxa para antecipar recebíveis

Com queda de hoje, papéis da Cielo anulam ganho que tinham no ano na B3, enquanto a Stone perde 20% do valor de mercado na Nasdaq. Quem também sente o baque é a PagSeguro, que tem ações listadas na Nyse

18 de abril de 2019
11:20 - atualizado às 15:05
Maquininhas de cartão em guerra
Maquininhas de cartão de Stone, Rede, Cielo e PagSeguro - Imagem: Montagem Andrei Morais/Seu Dinheiro

O mais novo round da batalha das maquininhas de cartão acertou em cheio a Cielo e a Stone. As ações de ambas as companhias despencam hoje com a notícia de que a Rede, do Itaú Unibanco, zerou as taxas aos lojistas que anteciparem os recebíveis das vendas realizadas nas compras com cartão de crédito à vista. Os papéis da PagSeguro também sentem o baque.

Depois de um tombo de quase 60% no valor de mercado no ano passado, a empresa controlada por Banco do Brasil e Bradesco ensaiava uma recuperação com a visão de que a nova gestão da companhia, liderada pelo ex-presidente do BB Paulo Caffarelli, conseguiria estancar a sangria da perda de mercado para as novas concorrentes.

A Stone é uma das novatas que abocanharam parte do mercado da Cielo e da Rede, que dominavam o setor antes da abertura determinada pelo Banco Central. A empresa abriu o capital no ano passado em uma oferta badalada na Nasdaq que atraiu figurões do mercado como o bilionário Warren Buffett.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

A estratégia das empresas para ganhar mercado que ainda é liderado pela Cielo tem sido derrubar as várias taxas cobradas dos lojistas. Além de uma taxa cobrada a cada venda realizada nos cartões de crédito ou débito, as maquininhas ganham ao antecipar o dinheiro que os lojistas só recebem em um prazo de 30 dias após a venda.

O negócio de antecipação é (ou era) uma mina de ouro para as maquininhas. Em uma operação com risco praticamente zero, já que o devedor da operação é o banco emissor do cartão, as taxas de juros cobradas dos lojistas nos tempos "áureos" chegavam a 5% ao mês.

A expectativa é que o movimento da Rede afete mais uma fonte de receita e, por consequência, os resultados de Cielo, Stone e PagSeguro.

As ações da Cielo fecharam em forte queda de 7,3% e anularam o ganho que ainda acumulavam em 2019. Na Nasdaq, os papéis da Stone desabaram mais de 20%. Os papéis da PagSeguro, que são listados na Nyse, recuaram 10%. Confira a cobertura completa dos mercados hoje.

A redução das taxas pela Rede enfureceu os concorrentes e vai ser investigada pelo Cade. A grande questão é saber se o Itaú está se valendo do seu poder de fogo para prejudicar os competidores.

Os bancos têm uma vantagem natural contra as empresas que operam apenas com as maquininhas, como Stone e PagSeguro, porque operam em toda a cadeia de cartões. Ou seja, o Itaú, em tese, poderia "perder" dinheiro na operação de maquininhas, onde há maior competição, e compensar em outras áreas.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Lula solto impacta mais ainda eleições, diz Doria

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vai impactar ainda mais o cenário eleitoral depois de ser colocado em liberdade, avalia o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Em entrevista ao Estadão/Broadcast, Doria disse que para o petista é uma “questão de honra” lançar uma chapa competitiva para disputar a Prefeitura de São […]

Melhora da economia interrompe perda de popularidade de Bolsonaro, diz Datafolha

O otimismo em relação à atividade econômica nos próximos meses aumentou para 43%, ante 40% em agosto e 50% no início do governo

NOVO RACHA

PSDB terá candidato à presidência em 2022, garante Bruno Araújo

João Doria prepara sua própria candidatura à sucessão de Jair Bolsonaro. Enfrenta, porém, um concorrente interno: Eduardo Leite, governador do RS

Saiba três formas de investir nas ações ou ganhar dinheiro com o IPO da XP

Você pode investir diretamente nas ações da XP lá fora abrindo conta em uma corretora americana, via fundos ou comprando papéis de um banco aqui no Brasil

O que você precisa saber sobre o IPO da XP na bolsa americana Nasdaq

Eu conto para você se vale a pena se tornar sócio da empresa responsável por inaugurar no Brasil o modelo de plataforma aberta de investimentos para o público de varejo

A terceira onda. Um novo milagre econômico vem por aí?

Tudo indica que um novo bull market das commodities esteja começando. E, como das outras vezes, isso será extremamente benéfico para o Brasil

Oxford Economics eleva previsão de crescimento do PIB do Brasil em 2020 para 2%

Casa avalia que as recentes tarifas sobre o aço e alumínio brasileiro não devem atrapalhar a recuperação da atividade, que vem ganhando fôlego

Marfrig confirma oferta subsequente de ações que pode somar R$ 3,3 bi

A oferta será primária e inclui um lote secundário, para a venda de ações detidas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES)

BLACK WEEK

MAIS LIDAS: Quem bombou na Black Friday?

Meus vizinhos se empolgaram na Black Friday. E não foram só eles: os números do varejo mostram um crescimento considerável na edição deste ano

Ex-presidente da Bayer no Brasil cria startup de cannabis

Em voo solo, há quase um ano e meio, empresário prepara-se para voltar ao setor, desta vez em um segmento em franco crescimento

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements