🔴 AS BIG TECHS ESTÃO ‘SUGANDO’ DINHEIRO DA BOLSA BRASILEIRA? – VEJA COMO SE PROTEGER

Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @Renan_SanSousa
AYUDA, HERMANOS

A motosserra de Milei ficou sem combustível? Entenda por que o dólar voltou a bater máximas na Argentina — e por que isso já era esperado

Ao mesmo tempo em que o mercado aumentou o apetite por dólares, Javier Milei, o presidente do país, virou capa da revista Time

Renan Sousa
Renan Sousa
23 de maio de 2024
12:55 - atualizado às 15:35
Javier Milei, novo presidente da Argentina
Javier Milei, novo presidente da Argentina - Imagem: Reprodução das redes sociais

O dólar paralelo na Argentina, também conhecido como blue, voltou a renovar máximas históricas nesta quinta-feira (23) depois de meses de calmaria. Perto das 12h, a cotação do blue atingia os 1.300 pesos, de acordo com o portal Ámbito Financeiro, uma alta de 1,96%. 

Vale lembrar que a Argentina adota múltiplas cotações para o dólar, sendo que a blue é aquela mais próxima da realidade do país.

Porém, mesmo a cotação do dólar oficial, aquela praticada por empresas no país, também vinha subindo desde o começo do ano, após o país afrouxar as regras sobre o câmbio. 

O principal motivo para ambos os casos está no passado. Isso porque o governo argentino liberou parcialmente o câmbio, em um sistema chamado crawling peg. Assim, as cotações ficam limitadas a um intervalo de oscilações, o que impede uma disparada brusca de preços. 

Contudo, um segundo fator também pesa para que o dólar tenha um novo recorde: a volta das atividades exportadoras.

Argentina voltando aos trilhos

Em primeiro lugar, vale lembrar que a Argentina vive um problema de escassez de dólares devido a problemas de exportação. O país não conseguiu dar vazão aos seus produtos, fazendo a economia entrar em uma espiral de inflação e baixas reservas. 

Para Federico Zirulnik, economista do Centro de Estudios Scalabrini Ortiz (CESO), em entrevista ao Ámbito, a liquidação de exportações é o fator que impulsiona o dólar contra o peso argentino hoje.

Isso porque, desde que a inflação começou a disparar no ano passado, os exportadores começaram a atrasar os pagamentos. 

Agora, com a relativa melhora das condições dos negócios — consequentemente, das exportações e importações —, há uma maior liquidez geral no mercado, que tende a migrar para uma moeda segura como o dólar norte-americano. 

Além disso, ele explica que o mercado deve começar a ver uma nova entrada de dólares assim que a nova safra de grãos começar a ser liquidada, o que tende a conter o rali. Porém, ela não deve ser suficiente para cobrir a recente valorização da moeda norte-americana.

Enquanto isso, Javier Milei…

Ao mesmo tempo em que o mercado aumentou o apetite por dólares, Javier Milei, o presidente do país, virou capa de revista. Literalmente. 

A mais recente edição da tradicional norte-americana Time traz na capa Milei com o título de “O Radical”.

O texto foi baseado em uma entrevista concedida pelo presidente ao veículo em 25 de abril e define o presidente como "o chefe de Estado mais excêntrico do mundo".

Segundo o jornal Clarín, outras personalidades argentinas que já foram capas da Time incluem o papa Francisco, o ex-presidente Carlos Menem — em quem Milei se inspira para compor sua política econômica —, a popular ex-primeira dama, “Evita” Perón, o jogador Lionel Messi e o revolucionário Ernesto "Che" Guevara.

VEJA TAMBÉM - ATÉ QUANDO O TRATAMENTO DE CHOQUE DE MILEI NA ECONOMIA DA ARGENTINA VAI DAR CERTO?

Compartilhe

PEDIU O MERCADO EM NAMORO?

De Powell, com amor (mas nem tanto): o que a decisão do Fed diz sobre os juros nos EUA

12 de junho de 2024 - 15:12

Em decisão amplamente esperada, o banco central norte-americano manteve a taxa referencial na faixa entre 5,25% e 5,50% ano — foi o gráfico de pontos que mandou a mensagem aos mercados

GUERRA COMERCIAL

Todos contra a China? União Europeia sai à caça dos elétricos chineses com aumento de impostos

12 de junho de 2024 - 14:38

Medida anunciada nesta quarta-feira (12) pelo bloco europeu vai elevar tarifas em até 38% para os EVs asiáticos e pode afetar a BYD e até a Tesla de Elon Musk

EM ANO DE ELEIÇÃO

Hunter Biden pode ser preso? Filho do presidente dos EUA é condenado por posse ilegal de arma — e o que isso significa para a campanha de Joe Biden

11 de junho de 2024 - 18:14

Hunter, de 54 anos, pode pegar até 25 anos e pagar US$ 750 mil em multas

Política Europeia

Decisão de Macron de dissolver Parlamento e convocar eleições antecipadas é aposta política de alto risco

10 de junho de 2024 - 11:13

Atitude de Macron vem após avanço do partido de extrema direita Reunião Nacional nas eleições do Parlamento Europeu

DEPOIS DO ULTIMATO

E agora, Netanyahu? Ministro de guerra de Israel renuncia ao cargo em meio a conflitos em Gaza

9 de junho de 2024 - 17:48

Benny Gantz deu um ultimato a Netanyahu em maio para que o gabinete de guerra adotasse um “plano de ação” para acabar com a batalha em Gaza

QUER PAGAR COMO?

Putin trocou o dólar pelo real? Rússia dá as costas para “moedas tóxicas” e abre espaço para o Brasil

7 de junho de 2024 - 20:00

Segundo o presidente russo, quase 40% do volume de negócios do país é agora em rublos, uma vez que a parcela realizada em dólares, euros e outras moedas ocidentais “não amigáveis” diminuiu

VAI CAIR OU NÃO VAI?

Juros nos EUA: a mensagem do principal relatório de emprego sobre o futuro das taxas que mexem com as bolsas do mundo

7 de junho de 2024 - 14:01

O mercado torceu o nariz para os dados mais fortes do que o esperado do chamado payroll referente ao mês de maio; entenda a reação e o que esperar agora

COMEÇO, MEIO OU FIM

Mais juros baixos pela frente? Por que o primeiro corte do BCE em 5 anos pode ser uma boa notícia para quem investe na bolsa — e o motivo não é óbvio

6 de junho de 2024 - 13:12

Em uma decisão incomum, o banco central da zona euro cortou os juros antes do Fed — entenda se o movimento é sinal de que uma taxa menor nos EUA está mais perto da realidade agora

Internacional

Na China, investidores migram para títulos públicos por falta de opção melhor para investir, derrubando as taxas

6 de junho de 2024 - 12:03

Banco Popular da China já alertou em relatório sobre investimento especulativo com títulos do governo

APÓS ELEIÇÕES

O “Tigre Maia” vai virar um gatinho? A primeira reação do mercado à nova presidente do México — e o que se pode esperar do futuro

6 de junho de 2024 - 6:20

Claudia Sheinbaum assumirá a presidência do país em outubro deste ano e já garantiu maioria esmagadora no Congresso

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar