🔴 [TESTE GRÁTIS] NOVO APP PODE GERAR ATÉ R$ 680 POR DIA COM 3 CLIQUES – CONHEÇA

Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @Renan_SanSousa
FIM DO RELACIONAMENTO

Coinbase suspende negócios com banco ‘amigo’ de criptomoedas Silvergate e aumenta volume negociado após crise da FTX

De acordo com dados da Kaiko, a fatia de mercado ocupada pela Coinbase saiu de 40% para 50% nos Estados Unidos após a queda da FTX

Renan Sousa
Renan Sousa
2 de março de 2023
13:13 - atualizado às 12:51
Logo da exchange Coinbase em tela de celular ao lado do símbolo do bitcoin

O rali de começo de ano do mercado de criptomoedas parece ter perdido um pouco do vapor. Mas enquanto o bitcoin (BTC) segue lateralizado, as empresas do setor precisam se movimentar para manter as receitas e evitar novos desastres como o da FTX.

E nesta quinta-feira (02) a Coinbase, maior corretora de criptomoedas (exchange) dos Estados Unidos, suspendeu os negócios com o Silvergate, um banco de investimentos conhecido pela simpatia por ativos digitais.

Em janeiro deste ano, o Silvergate ficou ainda mais conhecido: a quebra da exchange FTX enxugou mais de US$ 1 bilhão em liquidez da instituição — e o medo de uma insolvência fizeram a Coinbase saltar fora do barco.

“A Coinbase facilitará transações de clientes institucionais com outros parceiros bancários e tomou medidas proativas para ajudar a garantir que os clientes não sofram nenhum impacto com essa mudança”, disse a exchange no Twitter hoje.

Criptomoedas dando prejuízo

A crise que levou à falência da FTX deixou alguns rastros pelo mercado. Outras empresas do setor de criptomoedas, como Genesis, Gemini, BlockFi e outras plataformas, sentiram os impactos da queda daquela que chegou a ser a segunda maior exchange do planeta.

Com o Silvergate não poderia ser diferente: o banco vendeu parte das suas operações tradicionais e passou a focar no oferecimento de criptomoedas aos clientes.

Os depósitos em ativos digitais representam mais de 90% do total que o banco recebe. E a FTX, juntamente com outras empresas do mesmo grupo liderado por Sam Bankman-Fried, o SBF, eram responsáveis por cerca de US$ 1 bilhão desse montante.

Enquanto uns choram…

A disputa por fatias do mercado de criptomoedas está cada vez mais acirrada com o crescimento do setor. E a saída da FTX limpou o espaço para as outras corretoras abocanhar uma fatia do mercado.

É claro, nem tudo foi para as exchanges. O crescimento do uso de carteiras (wallets) privadas mostrou que os usuários já não confiavam mais no antigo modelo de corretoras centralizadas.

Mas nem todos fugiram e a Coinbase foi a que mais aproveitou para aumentar o volume em dólares negociado na plataforma. De acordo com dados da Kaiko, a fatia de mercado ocupada pela corretora saiu de 40% para 50% nos Estados Unidos.

Globalmente, quem domina o setor é a Binance, mas a divisão da Binance.US também não ficou para trás. A sua fatia cresceu de 13% para 23% após a queda da FTX.

Compartilhe

CRYPTO INSIGHTS

Estamos apenas no começo de um novo ciclo do bitcoin (BTC)? 6 gráficos para entender o momento atual do ‘bull market’ — e onde estamos agora

18 de junho de 2024 - 15:56

O BTC já atingiu seu all time high esse ano e segue próximo dessa faixa sem mesmo o FED ter começado o corte de juros nos Estados Unidos

SOMBRA DO GAVIÃO

Bitcoin (BTC) se aproxima de “nível crítico” e pode cair ainda mais; veja o que movimenta a semana das criptomoedas

17 de junho de 2024 - 10:49

Os investidores internacionais reagem ao comunicado da semana passada do Federal Reserve (Fed, o Banco Central dos Estados Unidos), além de analisar dados on-chain

CHEGAMOS AO FIM

Acabou: Laboratório responsável pela Terra (LUNA) pagará US$ 4,5 bilhões para SEC e encerrará atividades — como fica “nova” criptomoeda agora?

13 de junho de 2024 - 19:15

Chris Amani, CEO da Terraform Labs, publicou no X, antigo Twitter, que, a partir de agora, a comunidade da criptomoeda Terra é quem cuidará do protocolo

MELHORES DO ANO

Enquanto EUA celebram primeiros ETFs de criptomoeda, Brasil tem 11 fundos do tipo — que tiveram o melhor desempenho de 2024 até agora; veja

13 de junho de 2024 - 6:22

Só em 2024, o bitcoin avançou cerca de 60%, enquanto os ETFs brasileiros também têm variações positivas, na casa dos dois dígitos — vão de 14% e chegam a 69%

RALI EM CRIPTO

Bitcoin (BTC) passa pelo primeiro teste de fogo e mira os US$ 70 mil, mas segundo round pode ser ainda mais difícil de superar; entenda

12 de junho de 2024 - 11:03

O começo eletrizante dos negócios nesta quarta-feira (12) se deve à divulgação do índice de preços ao consumidor (CPI, em inglês) dos EUA

CRYPTO INSIGHTS

Até quando o bitcoin (BTC) vai ficar de lado?

11 de junho de 2024 - 19:31

Não estamos ainda no auge do bull market, pois o fator fundamental para isso (liquidez) ainda está em níveis não favoráveis para as conhecidas e tão desejadas alavancadas de preço

NEGATIVO

Entenda os dois fatores que fizeram o bitcoin (BTC) cair quase 4% hoje e derrubam o mercado de criptomoedas

11 de junho de 2024 - 11:03

No caso das criptomoedas, as liquidações nas últimas 24h cresceram mais de 200%, atingindo o patamar de US$ 195,41 milhões, segundo o CoinGlass

EM ALTA

Bitcoin (BTC) supera fase de consolidação de preços e toca os US$ 71 mil; ethereum (ETH) e outras criptomoedas sobem hoje

4 de junho de 2024 - 15:10

O último grande evento do mercado havia sido a aprovação dos primeiros ETFs de ethereum (ETH) à vista (spot) dos Estados Unidos

SEM LASTRO NEM RASTRO

A incrível história da ‘rainha cripto’ que deu um golpe de mais de R$ 20 bilhões — e hoje ninguém sabe se ela está escondida ou morta

3 de junho de 2024 - 16:06

Conhecida como rainha cripto, Ruja Ignatova não é vista desde 2017 — e especula-se que isso tenha relação com seu suposto envolvimento com um mafioso búlgaro

FIM DE SEMANA EM CRIPTO

O que a aprovação do primeiro ETF de ethereum (ETH) à vista dos EUA tem a ver com o bitcoin (BTC) na Zona da Banana; entenda aqui

1 de junho de 2024 - 15:37

A maior criptomoeda do mundo “estacionou” no patamar próximo dos US$ 68 mil, enquanto as demais moedas também tem valorizações modestas

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar