🔴 AÇÃO QUE JÁ DISPAROU 1.200% E AINDA ESTÁ BARATA – VEJA QUAL

Leblon vs Faria Lima, quem ganha essa “batalha” de fundos de ações?

Acompanhe uma análise comparativa dos fundos de ações long only do Leblon e da Faria Lima, em termos de quantidade, tamanho, performance e portfólio consolidado das estratégias de cada região

10 de abril de 2023
12:36 - atualizado às 16:17
Escultura da Baleia na Avenida Faria Lima, ao lado da praia do Leblon
Escultura da Baleia na Avenida Faria Lima, ao lado da praia do Leblon - Imagem: Luiz Veiga-Divulgação-Flickr- montagem Brenda Silva

Você já sonhou em trabalhar em um escritório com vista incrível para o mar? É assim que a maior parte dos gestores de fundos de investimento no Rio de Janeiro vivem sua rotina diária de análise.

Com belas praias, uma vida boêmia e paisagens paradisíacas, os cariocas se encontram, sem dúvida, na “Cidade Maravilhosa” eternizada na música de André Filho.

Enquanto isso, os profissionais da Faria Lima transitam diariamente por sua “selva de pedra”, com ritmo acelerado, trânsito caótico e uma atmosfera poluída – coitada da Baleia instalada na região, a quilômetros de seu habitat natural.

Escultura da Baleia na Avenida Faria Lima, ao lado da praia do Leblon
Escultura da Baleia na Avenida Faria Lima, ao lado da praia do Leblon

Trabalhar com o “pé na areia” deve ser incrível. Mas como será que essa calmaria do Leblon reflete no dia a dia da gestão?

No Linha D’Água de hoje, comparo as principais informações de patrimônio, desempenho e carteira dos fundos de ações long only (que operam comprados em ações) do Leblon e da Faria Lima (metonímias para o Rio de Janeiro e São Paulo, respectivamente).

“Cariocax” vs “coletinhos”

Para o início da análise, os fundos de ações long only do Rio de Janeiro e de São Paulo foram divididos e consolidados em suas respectivas regiões, considerando os dados do fechamento de março de 2023.

Em São Paulo, foram selecionadas 78 estratégias únicas que, juntas, contemplam um patrimônio líquido consolidado de R$ 33,3 bilhões, representando o portfólio da Faria Lima.

As três principais estratégias na carteira são Núcleo (R$ 2,4 bilhões), Brasil Capital (R$ 2,0 bilhões) e BTG Absoluto (R$ 1,9 bilhões). 

No Rio de Janeiro, foram consolidadas 44 estratégias únicas, totalizando R$ 50,7 bilhões, representando o portfólio do Leblon – não confundir com a gestora carioca Leblon Equities.

O top 3 ficou para Atmos (R$ 10,2 bilhões), Dynamo (R$ 7,6 bilhões) e Absoluto Partners (R$ 5,0 bilhões).

Você pode conferir os portfólios completos aqui.

Já neste primeiro momento, percebe-se que o Rio tem uma relevância muito maior em valor financeiro, em que a maior estratégia possui quase cinco vezes o patrimônio da maior de São Paulo. Entretanto, em quantidade de gestores, a Faria Lima leva a melhor.

Batalha dos portfólios

Como será que uma carteira composta por cada um dos fundos em sua respectiva região teria se comportado nos últimos três anos?

A seguir, são comparadas as experiências de um investidor que tivesse aplicado igualmente em cada uma das estratégias do Leblon (RJ) e da Faria Lima (SP), no ponto mais baixo do Ibovespa (63.569 pontos, em 23/03/2020), até o fechamento de março de 2023.  O período foi escolhido considerando a data de início do fundo mais recente da amostra:

Gráfico, Histograma

Descrição gerada automaticamente

É interessante notar como o retorno dos três grupos caminham juntos. E não é só aparência: a correlação no período de ambos os portfólios com o Ibovespa é de 95% cada, enquanto a correlação dos portfólios entre si é de 99%.

Sabe-se que os fundos de ações long only brasileiros possuem uma correlação alta entre si (a maioria acima de 80%), o que sugere pouca diferenciação entre os fundos. Entretanto, a análise de risco mostra uma foto um pouco diferente.

Repare na comparação dos drawdowns (períodos de perda abaixo da última cota máxima) de cada portfólio e do Ibovespa:

Gráfico

Descrição gerada automaticamente

Piora a partir de 2021

Notadamente, os portfólios foram piores do que o índice no período de abertura de juros (local e global), no final de 2021 até hoje.

Essa diferença é derivada principalmente da maior exposição no Ibovespa a empresas de commodities e do setor financeiro. Esses segmentos são mais resilientes do que aqueles ligados a crescimento e tecnologia (nos quais a maior parte dos fundos estava alocado no período).

Considerando a eficiência (relação entre risco e retorno) dos portfólios, o gráfico abaixo sintetiza as duas informações e mostra o nosso vencedor desse quesito, entre Leblon e Faria Lima – apesar de ambos ficarem abaixo do índice:

Gráfico, Gráfico de dispersão

Descrição gerada automaticamente

No gráfico, quanto mais para cima (maior retorno anualizado) e para a esquerda (menor risco), melhor. O risco aqui é medido utilizando o Ulcer Index. Esse indicador avalia a média dos drawdowns de cada portfólio no período, com maior peso aos mais extremos.

Na comparação, percebe-se que o portfólio do Leblon obteve um retorno maior com menor risco no período compreendido entre março de 2020 e de 2023. Ou seja, apesar de a Faria Lima estar diversificada em mais estratégias, acabou perdendo em ambos os quesitos.

Retorno com consistência

Vale reforçar que a avaliação foi feita utilizando uma única janela de três anos e em um período curto, considerando a data de início do fundo mais recente na amostra.

Para fundos de ações, faz sentido avaliar um histórico de pelo menos cinco anos e considerar uma quantidade maior de janelas móveis, que podem nos dar indícios da consistência da estratégia no longo prazo.

Além disso, os fundos da amostra contemplam estratégias diversas — a maior parte não indicadas na série Melhores Fundos. Digo isso para trazer aquela velha história de que, se você investe em todos os fundos da indústria, acabará tendo um retorno mediano.

Individualmente, estes são os fundos que obtiveram os maiores retornos no período avaliado:

Tabela

Descrição gerada automaticamente

Mais importante do que esse período curto, por outro lado, é avaliar o maior histórico possível de cada um dos fundos, buscando aqueles que entregam retornos extraordinários complementados pela consistência de longo prazo e controle de riscos adequado. Aqueles gestores fora da curva e que se destacam entre os pares. 

A tabela abaixo consolida as informações de retorno, consistência e risco das cinco primeiras e cinco últimas estratégias da amostra, em janelas móveis de diferentes períodos – o que traz uma comparação mais justa e mitiga efeitos extremos pontuais no histórico. Os dados estão ranqueados em janelas móveis de 5 anos de retorno:

Tabela

Descrição gerada automaticamente

Tabela

Descrição gerada automaticamente

Tabela

Descrição gerada automaticamente com confiança baixa

Os quatro primeiros fundos são, inclusive, sugestões na série Os Melhores Fundos de Investimento. Os últimos cinco, como você deve imaginar, não fazem parte de nossas recomendações. 

No quesito de fundos individuais com performances de longo prazo extraordinárias, a Faria Lima obteve o pódio, com três dos cinco primeiros nomes do ranking.

Como investem os gestores de fundos do Leblon e da Faria Lima?

Aproveitando o tema – porém sem uma comparação direta nesse caso –, apresento a seguir as 20 maiores posições do portfólio de todos os fundos consolidados de cada região, Leblon e Faria Lima, assim como a carteira do Ibovespa. Os dados são referentes ao fechamento de dezembro de 2022, última carteira aberta disponível para os fundos:

Tabela

Descrição gerada automaticamente

Tabela

Descrição gerada automaticamente

No portfólio do Leblon, as posições principais ficaram para a Equatorial (EQTL3) e a Eneva (ENEV3). Já a carteira da Faria Lima possui suas duas principais alocações similares ao Ibovespa: Vale (VALE3) e Itaú (ITUB4).

O gráfico abaixo evidencia a diferença setorial entre as carteiras, com o Leblon com maior exposição aos setores de utilidades públicas e petróleo. Enquanto isso, a Faria Lima está com maior alocação aos setores financeiro e de materiais básicos:

Gráfico, Gráfico de barras

Descrição gerada automaticamente

Nenhum deles, entretanto, se equipara à exposição a commodities e ao setor financeiro do Ibovespa, já conhecido por ter a maior parte de sua carteira teórica nestes setores. O que fez com que o resultado dos fundos de ações fosse inferior ao índice no ano passado, no período de abertura de juros globais.

Essa diferença de alocação entre os fundos e o índice é também chamada de active share, como apresentado nas tabelas anteriores. Repare que o indicador é de 52% para o Leblon e 48% para a Faria Lima. Ou seja, metade do portfólio de ambos era diferente do Ibovespa.

Faria Lima vs Leblon: quem ganha essa “briga”?

Enquanto o Leblon foi vencedor no tamanho dos fundos de ações e na performance consolidada da carteira da região, a Faria Lima se destacou na quantidade de fundos da classe e na performance individual de longo prazo de algumas de suas principais estratégias.

Na realidade, esse estudo não passou de um exercício lúdico e como curiosidade. Não há como tirarmos conclusões para a alocação ou recomendação de um fundo baseado em sua região, especialmente em uma geração com tanto acesso à informação e tecnologia.

É claro que, quando se está próximo das empresas (ou gestoras) investidas, em relacionamento e fisicamente, pode-se adquirir vantagens competitivas na velocidade com que as informações públicas transitam, em um almoço ou cafezinho, por exemplo.

Entretanto, nossa análise precisa de critérios quantitativos e qualitativos bem definidos, justos e que fazem sentido para uma tomada de decisão bem embasada.

O que pensam os gestores de fundos do Leblon?

Dito isso, no final de março, visitamos dez gestoras cariocas, responsáveis por fundos multimercados, de ações e de crédito, para entender no detalhe como pensam e como têm se posicionado os maiores gestores de ações da região.

Em resumo, os gestores com quem conversamos estão bastante pessimistas, tanto com o cenário internacional quanto local.

Na renda variável, apesar de visualizarem níveis de valuation (valor justo) das empresas na bolsa bastante descontados, as perspectivas fiscais, políticas e monetárias para este ano ainda impedem a exposição a teses mais sensíveis à economia.

Portanto, a maior parte das casas segue com portfólios mais defensivos, com alocação relevante em empresas de utilidades públicas e pouca exposição a setores mais cíclicos, como o varejo. Além disso, muitos estão com um nível de caixa acima da média em relação aos próprios patamares históricos.

No lado do crédito, apesar de estarem com uma visão pouco construtiva a classe neste momento, que ainda pode demorar a atrair o interesse dos investidores e a ter mais liquidez, entendem que existe prêmio para debêntures de alta qualidade se você souber encontrar as boas oportunidades.

Os assinantes da série receberão amanhã (11) um relatório completo com os detalhes de cada uma das conversas que tivemos com as casas. E você é meu convidado para curtir uma das mais famosas praias cariocas e decidir por conta própria se gosta ou não da brisa do mar.

Um abraço,

Alê Alvarenga

Compartilhe

EXILE ON WALL STREET

Rodolfo Amstalden: Você leu o que o Fed escreveu para você?

22 de maio de 2024 - 20:05

O segredo para uma jornada de sucesso como investidor ou como empreendedor começa com algo bem simples… a leitura.

CRYPTO INSIGHTS

O mercado de criptomoedas está influenciando as eleições nos EUA? O que o ETF de ethereum (ETH) tem a ver com a política americana

21 de maio de 2024 - 20:05

Nesta semana uma votação crucial está prevista para acontecer em Washington e pode remodelar o panorama regulatório para os ativos digitais nos Estados Unidos

EXILE ON WALL STREET

Felipe Miranda: Dez anos de “O Fim do Brasil”

20 de maio de 2024 - 20:01

Dez anos de lançamento de “O Fim do Brasil” e, afinal, a que fim chegou a economia do Brasil? Estamos em queda livre em direção ao pior?

Especial IR

Me mudei para Portugal, mas não entreguei a Declaração de Saída Definitiva do País; como regularizar a situação?

18 de maio de 2024 - 8:00

Documento serve para encerrar as obrigações fiscais do contribuinte no Brasil, mas este leitor não a entregou e agora recebeu uma herança

SEXTOU COM O RUY

A Petrobras (PETR4) desabou mais uma vez: surge uma barganha na bolsa com dividendos bilionários?

17 de maio de 2024 - 6:04

Nas últimas várias trocas no comando da Petrobras, não tivemos grandes mudanças no dia a dia da companhia, o que inclusive permitiu ótimos pagamentos de dividendos nos últimos anos, mesmo com CEOs distintos — será que agora também vai ser assim?

CRYPTO INSIGHTS

Os sinais favoritos para entender o curto prazo do bitcoin (BTC)

14 de maio de 2024 - 19:17

A tendência macroeconômica é de expansão de liquidez, e os indicadores de curto prazo que mais gosto estão favorecendo a tese de que estamos próximos do fundo local para a mais recente correção do mercado

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Vai piorar antes de melhorar? Milei começa a arrumar uma Argentina economicamente destruída

14 de maio de 2024 - 6:01

Em poucos meses, Milei conseguiu diminuir inflação, cortar os juros e aumentar reservas do Banco Central da Argentina, mas custo social é alto

EXILE ON WALL STREET

Felipe Miranda: O real vai morrer aos 30?

13 de maio de 2024 - 20:01

A decisão do Copom na semana passada foi inequivocamente ruim. Quando você tem um colegiado dividido entre os “novos” e os “velhos”, alimentam-se os piores medos. O Copom deveria saber disso.

Especial IR

Dúvidas cruéis sobre declaração de ações no IR: isenção, retificação, mudança de ticker, prejuízos e investimento no exterior

11 de maio de 2024 - 8:00

A Dinheirista responde algumas das suas dúvidas mais cabeludas sobre como declarar ações no imposto de renda

SEXTOU COM O RUY

Bolsa barata não basta: enquanto os astros locais não se alinham, esses ativos são indispensáveis para a sua carteira

10 de maio de 2024 - 6:07

Eu sei que você não tem sangue de barata para deixar todo o patrimônio em ações brasileiras – eu também não me sinto confortável em ver os meus ativos caindo. Mas há opções para amenizar as turbulências internas.

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar