🔴 SAVE THE DATE: 22/07 – FERRAMENTA PARA GERAR RENDA COM 1 CLIQUE SERÁ LIBERADA – CONHEÇA

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
QUE FINAL DE MÊS!

O céu é o limite para o dólar? O que está por trás da renovação de máximas da moeda norte-americana

Na contramão, o Ibovespa bate mínima na última sessão de agosto, um mês no qual o principal índice da bolsa brasileira conseguiu ficar no azul em apenas quatro sessões

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
31 de agosto de 2023
14:00 - atualizado às 18:36
dólar caro forte alto
Imagem: Shutterstock

Agosto é popularmente conhecido como o mês do cachorro louco e parece que tanto o dólar como o Ibovespa querem fazer jus a essa fama. Enquanto a moeda norte-americana renova máxima intradiária atrás de máxima intradiária, o principal índice da bolsa brasileira afunda. 

No caso do dólar, um combo de fatores influencia esse comportamento: a rolagem de contratos futuros, a formação da Ptax e a questão fiscal. 

A Ptax encerrou a última sessão de agosto cotada em R$ 4,9219, em alta de 1,16% em relação ao fechamento anterior. No mês, a taxa usada como referência para a liquidação de contratos futuros e elaboração de balanços corporativos subiu 3,80%.

Por volta de 13h45, o dólar à vista subia 1,48%, cotado a R$ 4,9414. A máxima intradiária da moeda norte-americana foi de R$ 4,9601. Confira a nossa cobertura ao vivo de mercados.

  • Como construir patrimônio em dólar? Estratégia de investimento desenvolvida por físico da USP possibilita lucros na moeda americana; conheça aqui

O dólar em agosto

Em agosto, a máxima intradiária do dólar foi de R$ 5,0012 — alcançada no dia 18. Desde então, a divisa acumula perdas de cerca de 1%, considerando a cotação atual. 

Mesmo assim, o dólar carrega ganhos de mais de 3% no mercado local devido à queda esperada de diferencial de juros interno e externo por conta do início de cortes da Selic e a saída de capitais da B3 — até o dia 29 houve a saída de R$ 12,9 bilhões em recursos estrangeiros da bolsa brasileira. 

Também entram nessa conta as incertezas fiscais sobre cumprimento da meta zero de déficit primário do governo em 2024, a piora da percepção de risco sobre a economia da China e apostas na manutenção de juros do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano).  

SEU DINHEIRO EXPLICA — Dá para pagar uma faculdade de medicina com o Tesouro Educa+? Fizemos as contas para você!

A questão fiscal, sempre ela…

A questão fiscal é sempre uma pedra no sapato dos ativos brasileiros e, com o dólar, não é diferente. Nesta quinta-feira (31), os investidores reagem à retomada do voto de qualidade do governo no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), chancelada pelo Senado ontem (30). 

O aval dos senadores está sendo considerado uma vitória para o Ministério da Fazenda, que busca zerar o déficit primário do governo federal em 2024. 

Na prática, o voto de qualidade assegura ao governo a possibilidade de desempatar votações sobre litígios no Conselho. A estimativa é que essa medida possa aumentar a arrecadação da União em até R$ 50 bilhões.

Do outro lado, a aprovação do projeto de lei que prorroga a desoneração da folha de salários para 17 setores da economia até 2027 está sendo vista como uma notícia negativa no âmbito fiscal — o impacto calculado é de R$ 7,2 bilhões anuais, segundo a Confederação Nacional de Municípios (CNM). 

O dólar lá fora

O dólar também avança no exterior nesta quinta-feira (31), com a divulgação de dados que mostraram um quadro misto da economia norte-americana.

Os gastos dos consumidores norte-americanos subiram em julho (+0,8%), mas a desaceleração da inflação reforçou as expectativas de que o banco central norte-americano manterá os juros inalterados no próximo mês. 

O índice de preços para gastos pessoais (PCE, a medida preferida do Fed para a inflação) subiu 0,2% no mês passado, igualando o ganho de junho. 

O dado surge depois de uma série de indicadores divulgados esta semana, incluindo uma queda nas vagas de emprego nos EUA para o nível mais baixo em quase dois anos e meio em julho, terem levantado preocupações de que a economia norte-americana está perdendo ímpeto.

Compartilhe

FRIGORÍFICOS

Problemas para a BRF (BRFS3) e a JBS (JBSS3)? Brasil suspende exportações de carne de aves para 44 países — e a China é um deles

20 de julho de 2024 - 12:19

O Ministério da Agricultura decidiu voluntariamente paralisar as exportações de carnes de aves e seus produtos, com restrições que variam de acordo com os mercados

DÁ O PLAY!

Agora vai? Por que a bolsa brasileira despertou em julho e o que esperar das ações agora

20 de julho de 2024 - 11:00

Ibovespa já acumula alta de 3% em julho, depois de quase perder os 120 mil pontos no último mês; mas as ações finalmente vão decolar, ou será mais um voo de galinha?

BOLSA NA SEMANA

Por que as ações do Pão de Açúcar (PCAR3) desabaram 13% e lideraram as perdas do Ibovespa na semana — enquanto Usiminas (USIM5) subiu 5%?

20 de julho de 2024 - 9:22

As ações do Pão de Açúcar atraíram os holofotes dos investidores na semana após uma sangria na bolsa brasileira. Veja o que está por trás da queda dos papéis

PERSPECTIVAS PARA OS PROVENTOS

Com R$ 2 bilhões entrando no caixa, a Eletrobras (ELET3) vai distribuir mais dividendos? Veja o que diz o Goldman Sachs

19 de julho de 2024 - 19:46

O banco acredita que a oferta irá aumentar a liquidez da companhia e potencialmente abrir espaço para proventos mais elevados no futuro

RANKING DA QUANTUM

Os reis das ‘penny stocks’: Americanas (AMER3), Oi (OIBR3) e outras ações com a maior sequência de pregões no patamar de centavos

19 de julho de 2024 - 16:41

Um estudo da Quantum mostra que companhias que enfrentaram processos de recuperação judicial dominam o ranking de penny stocks

GESTÃO EXPLICA

Fundo imobiliário com mais de 150 mil cotistas anuncia os menores dividendos em mais de dois anos; por que os proventos do ALZR11 estão em queda?

19 de julho de 2024 - 13:07

O histórico de distribuições de 2024 mostra que os valores depositados pelo FII recuaram cerca de 11,2% desde janeiro

REAÇÃO DAS BOLSAS

Apagão cibernético: ação da CrowdStrike, empresa que causou a pane nos sistemas da Microsoft e derrubou serviços no mundo todo, despenca em NY

19 de julho de 2024 - 12:08

Vale relembrar que, mais cedo, uma atualização nos sistemas da CrowdStrike causou uma pane generalizada nos sistemas da Microsoft

MERCADO FINANCEIRO

Renda fixa brilha no 1º semestre e impulsiona captação de fundos. Veja as 10 gestoras que mais levantaram dinheiro no período

18 de julho de 2024 - 18:38

No “Top 10” das empresas que mais levantaram dinheiro no período, a cifra chega a R$ 202,2 bilhões, de acordo com a Quantum Finance

DISPARADA DO CÂMBIO

Dólar bate os R$ 5,58 e fecha no maior patamar em duas semanas; confira o gatilho da alta de quase 2%

18 de julho de 2024 - 17:47

Mais cedo, o ministro da Fazenda disse ter recebido o sinal verde de Lula para avançar em estudos de corte no Orçamento, mas falas da ministra do Planejamento impulsionaram a moeda

OFERTA NA BOLSA

Fundo imobiliário VGIR11 anuncia emissão de até R$ 500 milhões e vai oferecer um ‘desconto’ nas cotas; confira os detalhes

18 de julho de 2024 - 14:59

O preço de emissão pago por quem decidir participar da operação, que é voltada a investidores no geral, será de R$ 9,85 por cada nova cota

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar