🔴 3 ações para LUCRAR com a SELIC em alta: clique aqui e descubra quais são

2022-02-16T23:47:16-03:00
Ricardo Gozzi
AQUISIÇÃO SOLAR

Um ano depois do IPO, Intelbras (INTB3) faz a maior aquisição de sua história de olho no mercado de energia solar – e em rede de revendedores

Trata-se da maior aquisição realizada pela desenvolvedora de tecnologia desde sua estreia na bolsa, em fevereiro do ano passado

16 de fevereiro de 2022
12:01 - atualizado às 23:47
intelbras
Imagem: Divulgação

Um ano depois de levantar R$ 1,3 bilhão em sua oferta inicial de ações, a Intelbras (INTB3) anunciou a aquisição da Renovigi por R$ 334,336 milhões.

Trata-se da maior aquisição realizada pela desenvolvedora de tecnologia desde o IPO, em fevereiro do ano passado.

A Renovigi é uma fabricante de geradores fotovoltaicos fundada em 2012 em Chapecó, Santa Catarina. A Intelbras, por sua vez, ingressou no ramo de energia solar apenas em 2019.

Capilaridade da rede de parceiros

Além de ser uma das líderes no mercado nacional de geradores de energia solar, a Renovigi chamou a atenção da Intelbras pela capilaridade de sua rede de parceiros de revenda.

“A aquisição trará aos diversos canais de vendas e parceiros da companhia uma grande oportunidade de realização de negócios, ampliando a disponibilidade de produtos ao mercado local e fazendo com que toda a cadeia seja beneficiada”, explicou a Intelbras ao anunciar o negócio.

Os números da transação

A oferta da Intelbras pela Renovigi prevê o desembolso à vista de R$ 83,584 milhões, R$ 200,6 milhões em 17 parcelas mensais corrigidas pelo CDI depois de um período de carência de sete meses e um valor variável estimado no momento em R$ 50,15 milhões a ser liberado em três parcelas anuais.

A fabricante de geradores fotovoltaicos faturou R$ 799,5 milhões em 2021, auferindo um EBITDA de R$ 49,8 milhões.

O acordo ainda precisa ser ratificado tanto pelos acionistas da Intelbras quanto pelas autoridades regulatórias.

BTG vê vantagens para a Intelbras

Na avaliação dos analistas do BTG Pactual, o negócio é positivo para a Intelbras não só por se tratar de um setor com tendência de crescimento.

Além de proporcionar ganho de escala relevante para a Intelbras, a transação complementa a capacidade de distribuição da empresa por meio de canais de venda adicionais, segundo o BTG.

Desde o mês passado, quando o BTG recomendou compra de INTB3, com preço-alvo de R$ 35, as ações empresa já subiram 26%. Para o banco, o papel continua atraente, e a aquisição reforça sua confiança de que a Intelbras vai continuar a surpreender o mercado.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Mais uma vítima

Após tomar calote do 3AC, exchange Voyager Digital suspende saques, depósitos e negociações de clientes

Corretora de criptomoedas tomou calote de mais de US$ 670 milhões, mas, apesar de ter tomado empréstimos, precisou paralisar atividades

Bancões na área

Vão sobrar uns cinco ou dez bancos digitais, e o Next está entre eles, diz CEO do banco digital do Bradesco

Renato Ejnisman diz ainda que Next visa a mais aquisições e pensa ainda em internacionalização

No vermelho

Magazine Luiza (MGLU3) é a ação com o pior desempenho do Ibovespa no primeiro semestre de 2022; outras varejistas e techs também sofreram no período

Com queda acumulada de quase 70% no ano, ações do Magalu são as piores do Ibovespa no semestre que acaba de terminar

Proteção

Qual título público comprar no Tesouro Direto? Santander recomenda papel indexado à inflação para o mês de julho; veja qual

Recomendação do banco para o Tesouro Direto visa proteção contra a inflação e possibilidade de valorização

enxugando gelo

Alivia agora para apertar depois: corte de impostos sobre combustíveis e energia reduz estimativas de inflação para 2022, mas pressão volta em 2023

Economistas revisam suas projeções para o IPCA e alertam que fiscal e volta do PIS/Cofins podem voltar a bater na inflação no ano que vem

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies