🔴 3 ações para LUCRAR com a SELIC em alta: clique aqui e descubra quais são

2022-03-09T11:17:11-03:00
Carolina Gama
CADÊ MEU LANCHE?

Putin vai ficar sem Big Mac, Coca-Cola (COCA34) e café da Starbucks (SBUB34), mas ainda tem a Pizza Hut; entenda por que algumas empresas seguem na Rússia

Para estancar a saída dos mais de 230 conglomerados que deixam o país, legisladores russos já falam em nacionalização de companhias estrangeiras

8 de março de 2022
17:37 - atualizado às 11:17
Foto de um Big Mac sobre uma bancada de madeira
Imagem: Reprodução/Flickr

Dois hambúrgueres, alface, queijo, molho especial, cebola, picles, num pão com gergelim. A partir de agora, os russos só poderão cantar o jingle do Big Mac porque comer o lanche ficou mais difícil. O McDonald's (MCDC34) anunciou nesta terça-feira (08) que fechará temporariamente 850 unidades na Rússia por conta da invasão da Ucrânia. 

O CEO Chris Kempczinski escreveu em uma carta aos franqueados e funcionários dizendo que a rede interromperá todas as operações na Rússia. No entanto, continuará a pagar seus 62.000 funcionários.

Mas nem tudo está perdido após o anúncio do McDonald 's. O presidente russo, Vladimir Putin, ainda poderá comer uma pizza na Pizza Hut ou um frango frito no KFC. 

A Universidade de Yale, que mantém uma lista de empresas com presença significativa na Rússia, afirma que cerca de 230 anunciaram sua retirada do país desde a invasão da Ucrânia. Mas por que outras decidem ficar?

Sem Big Mac e Coca-Cola e café, mas com pizza

A maioria das empresas que já deixaram a Rússia ou anunciaram a suspensão de suas atividades no país tomou essa decisão por conta da dificuldade da realização de negócios com a enxurrada de sanções econômicas e financeiras impostas pelo Ocidente.

Além disso, boa parte delas - como é o caso do McDonald 's - está preocupada com a imagem corporativa em um momento de invasão à Ucrânia. 

Quem ficou na Rússia alega que as licenças impedem uma decisão coletiva de saída do país. É o caso da Yum! Brands, cujos mais de mil restaurantes KFC e 50 lojas Pizza Hut são de propriedade independente e operados sob licença ou franquia.

Gigantes como Burger King por enquanto ainda seguem no país e funcionam, na sua maioria, em regime de franchising, com muitos dos espaços na mão de outras empresas. 

A Coca-Cola, Pepsi e Starbucks, que estavam nesse grupo, anunciaram no fim da tarde de hoje que suspenderão as operações na Rússia e indicaram que continuará monitorando a situação no Ucrânia.

Conheça os desdobramentos da invasão russa à Ucrânia:

O caso do McDonald 's

Nos últimos dias, a gigante do fast-food famosa pelo seu Big Mac atraiu críticas por permanecer em silêncio sobre a guerra, devido à sua presença relativamente grande na Rússia.

Os restaurantes do McDonald's no país e na Ucrânia respondem por 2% de suas vendas em todo o sistema, cerca de 9% de sua receita e 3% de sua receita operacional.

O McDonald's também desempenhou um papel simbólico na Rússia. A rede abriu sua primeira loja na União Soviética há 32 anos, em Moscou, meses antes do colapso do Estado.

Diferente da Pizza Hut, do KFC e da Starbucks, cerca de 84% das unidades do McDonald's na Rússia são de propriedade da empresa, enquanto o restante é operado por franqueados. 

Nacionalização é o caminho?

Para driblar a fuga - ainda que temporária - das empresas, um membro sênior do partido no poder da Rússia propôs a nacionalização de fábricas de propriedade estrangeira.

Várias empresas, incluindo a General Electric (GE) que anunciou hoje também a saída do país, decidiram fechar lojas e fábricas para pressionar o Kremlin a interromper a invasão da Ucrânia. 

Em um comunicado publicado na noite de segunda-feira (07) no site do Rússia Unida, o secretário do conselho geral do partido no poder, Andrei Turchak, disse que o fechamento das operações era uma "guerra" contra os cidadãos da Rússia.

*Com informações da AFP e da Reuters

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

ELEIÇÕES 2022

Ô abre alas que Braga Netto vem aí! General da reserva é exonerado e tem caminho livre para ser vice de Bolsonaro

Bolsonaro havia confirmado no domingo (27) o nome de Braga Netto como seu vice na chapa que disputará a reeleição deste ano, causando um pouco de desconforto entre aliados que esperavam a escolha de Tereza Cristina (PP), ex-ministra da Agricultura

SEMANA EM CRIPTO

Bitcoin (BTC): o pior investimento do semestre tenta sobreviver aos dados de emprego nos EUA; confira o que mexe com as criptomoedas na próxima semana

Entre os destaques da semana, estão a liquidação de ativos da Three Arrows Capital, pechinchas no mercado cripto e mais

CAÇANDO MARRUÁ

Bitcoin (BTC) no cabresto? UE tenta domar o mundo das criptomoedas com marco regulatório; saiba como

O acordo é provisório e inclui uma proposta que cobre emissores de criptoativos não lastreados e também as chamadas stablecoins, bem como as plataformas de negociação e as carteiras nas quais os ativos digitais são mantidos

O MEDO DA RECESSÃO

Meta em crise: Mark Zuckerberg quer contratar menos funcionários e demitir mais gente a partir de agora

A dona do Facebook espera um segundo semestre de vacas magras e enfrentará um severo corte de gastos; por isso, a companhia prioriza equipes mais enxutas e agressivas

ELEIÇÕES 2022

É só mais essa! Líder nas pesquisas, Lula descarta tentar reeleição se derrotar Bolsonaro em outubro

Em entrevista, Lula disse que ‘daqui a 4 anos vai ter gente nova’, criticou o Congresso e prometeu retirar sigilos impostos por Bolsonaro

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies