🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView

E a bolsa ainda pulsa: os grandões do Ibovespa brilham e puxam o índice — mas e as demais empresas?

Além do ciclo aquecido das commodities e da entrada de recursos estrangeiros, também vale lembrar o desconto nos ativos domésticos

22 de janeiro de 2022
10:12 - atualizado às 10:13
Montagem do touro de ouro da B3 com olho roxo e estrelinhas de tontura em cima da cabeça
Confira o que foi destaque esta semana no Seu Dinheiro. Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock / Flaticon

Caro leitor,

O mesmo Ibovespa que amargou uma queda de 12% em 2021 já acumula ganhos de quase 4% em janeiro — e sem qualquer tipo de novidade no cenário político-econômico doméstico que justifique uma injeção de otimismo na bolsa.

Pelo contrário: no exterior, o clima é cada vez mais pesado para os mercados de ações. E esse desempenho surpreendente foi o tema do podcast Touros e Ursos desta semana.

Eu, a Julia Wiltgen e o Vinicius Pinheiro debatemos a fundo os fatores que dão força ao Ibovespa neste início de ano. Mas, antes de entrarmos nos detalhes em si, eis uma ressalva: se, por um lado, o índice como um todo vai bem, não se pode estender o bom desempenho para a bolsa como um todo.

Enquanto os setores com mais peso na composição do Ibovespa estão subindo forte — especialmente as ações de empresas ligadas às commodities e ao segmento financeiro —, outros papéis têm mostrado um comportamento bem menos intenso. É o caso dos ativos mais ligados ao mercado doméstico e dependentes do cenário de juros.

Ou seja: o Ibovespa ir bem não quer dizer que a bolsa toda esteja subindo. As chamadas blue chips — empresas de grande porte, como Petrobras, Vale e os bancões — começaram o ano com tudo e puxam o índice para cima; já as small caps, companhias de porte menor e mais ligadas à dinâmica local, enfrentam turbulências.

Uma matéria publicada pelo Seu Dinheiro nesta semana explicou com detalhes os motivos por trás do bom desempenho do Ibovespa em janeiro, mas o podcast Touros e Ursos deu alguns passos além, trazendo percepções de gestores e outros players do mercado financeiro sobre o atual momento da bolsa.

Além do ciclo aquecido das commodities e do intenso fluxo de entrada de recursos estrangeiros no mercado acionário do país, também vale lembrar que os preços dos ativos domésticos estavam bastante deprimidos — especialmente quando convertidos para dólar. Assim, em meio à incerteza global, o Brasil apareceu como uma boa oportunidade para quem buscava uma alocação maior em ações.

Mas é claro que a força do Ibovespa não foi o único tema importante desta semana. Então, vamos aos destaques dos últimos dias:

1. Short em Nubank

O banco do cartão roxo chegou em Wall Street com tudo: precificado a US$ 9 no IPO, o Nubank ganhou as manchetes ao atingir um valor de mercado superior ao do Itaú. Mas a Empiricus recomenda cautela com toda essa empolgação.

Para os analistas, as ações do banco estão caras, mesmo após a queda recente nas cotações. E, em relatório, a casa recomenda uma operação short (vendida) em Nubank — os detalhes estão nesta matéria.

2. Onde investir em 2022

O podcast Touros e Ursos falou tudo sobre o Ibovespa, mas há muitas outras classes de ativos a serem consideradas por você. Renda fixa, criptomoedas, fundos imobiliários, dólar, BDRs... A lista é extensa.

Por isso, o Seu Dinheiro preparou um guia com expectativas para os diversos mercados e dicas de investimentos para os próximos meses. É só clicar aqui para ter acesso ao livro.

3. O fim da Lojas Americanas?

A sexta-feira marcou o último pregão das ações da Lojas Americanas (LAME3 e LAME4); a partir da próxima segunda, os papéis serão tirados de circulação.

Mas, como assim? Bem, tudo faz parte de um plano de reorganização societária do grupo, cuja base acionária passará a se concentrar na Americanas S.A. (AMER3). Neste texto, explicamos melhor as movimentações e o que acontecerá com os detentores dos papéis da empresa.

4. Série de terror na Netflix

Lá fora, a temporada de balanços do quarto trimestre teve a sua primeira grande decepção: a Netflix frustrou o mercado ao projetar um crescimento bastante fraco da base de assinantes — e suas ações desabaram. Clique aqui e entenda mais sobre a má fase da gigante de streaming.

5. A semana nos mercados

Na B3, os últimos dias foram de continuidade na tendência de ganhos: o Ibovespa fechou a semana com alta de 1,88% e encostou nos 110 mil pontos. O dólar à vista, por sua vez, caiu mais de 1% e foi aos R$ 5,45. Confira tudo o que movimentou os mercados domésticos na semana.

Um bom sábado e um ótimo fim de semana a todos!

Compartilhe

BRIGA PELO TRONO GRELHADO

Acionistas da Zamp (BKBR3) recusam-se a ceder a coroa do Burger King ao Mubadala; veja quem rejeitou a nova oferta

21 de setembro de 2022 - 8:01

Detentores de 22,5% do capital da Zamp (BKBR3) já rechaçaram a nova investida do Mubadala, fundo soberano dos Emirados Árabes Unidos

FECHAMENTO DO DIA

Inflação americana segue sendo o elefante na sala e Ibovespa cai abaixo dos 110 mil pontos; dólar vai a R$ 5,23

15 de setembro de 2022 - 19:12

O Ibovespa acompanhou o mau humor das bolsas internacionais e segue no aguardo dos próximos passos do Fed

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Cautela prevalece e bolsas internacionais acompanham bateria de dados dos EUA hoje; Ibovespa aguarda prévia do PIB

15 de setembro de 2022 - 7:42

As bolsas no exterior tentam emplacar alta, mas os ganhos são limitados pela cautela internacional

FECHAMENTO DO DIA

Wall Street se recupera, mas Ibovespa cai com varejo fraco; dólar vai a R$ 5,17

14 de setembro de 2022 - 18:34

O Ibovespa não conseguiu acompanhar a recuperação das bolsas americanas. Isso porque dados do varejo e um desempenho negativo do setor de mineração e siderurgia pesaram sobre o índice.

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Depois de dia ‘sangrento’, bolsas internacionais ampliam quedas e NY busca reverter prejuízo; Ibovespa acompanha dados do varejo

14 de setembro de 2022 - 7:44

Os futuros de Nova York são os únicos que tentam emplacar o tom positivo após registrarem quedas de até 5% no pregão de ontem

FECHAMENTO DO DIA

Inflação americana derruba Wall Street e Ibovespa cai mais de 2%; dólar vai a R$ 5,18 com pressão sobre o Fed

13 de setembro de 2022 - 19:01

Com o Nasdaq em queda de 5% e demais índices em Wall Street repercutindo negativamente dados de inflação, o Ibovespa não conseguiu sustentar o apetite por risco

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas internacionais sobem em dia de inflação dos EUA; Ibovespa deve acompanhar cenário internacional e eleições

13 de setembro de 2022 - 7:37

Com o CPI dos EUA como o grande driver do dia, a direção das bolsas após a divulgação dos dados deve se manter até o encerramento do pregão

DANÇA DAS CADEIRAS

CCR (CCRO3) já tem novos conselheiros e Roberto Setubal está entre eles — conheça a nova configuração da empresa

12 de setembro de 2022 - 19:45

Além do novo conselho de administração, a Andrade Gutierrez informou a conclusão da venda da fatia de 14,86% do capital da CCR para a Itaúsa e a Votorantim

FECHAMENTO DO DIA

Expectativa por inflação mais branda nos Estados Unidos leva Ibovespa aos 113.406 pontos; dólar cai a R$ 5,09

12 de setembro de 2022 - 18:04

O Ibovespa acompanhou a tendência internacional, mas depois de sustentar alta de mais de 1% ao longo de toda a sessão, o índice encerrou a sessão em alta

novo rei?

O Mubadala quer mesmo ser o novo rei do Burger King; fundo surpreende mercado e aumenta oferta pela Zamp (BKBR3)

12 de setembro de 2022 - 11:12

Valor oferecido pelo fundo aumentou de R$ 7,55 para R$ 8,31 por ação da Zamp (BKBR3) — mercado não acreditava em oferta maior

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies