🔴 +35 RECOMENDAÇÕES DE ONDE INVESTIR EM MARÇO – VEJA GRATUITAMENTE

Cotações por TradingView

Não está fácil para ninguém: O ciclo de alta de juros no mundo, prejuízo do IRB, Petrobras e outras notícias que mexem com os seus investimentos

A valsa internacional é capaz de ilustrar com grande precisão este momento no qual a economia global transita um terreno pantanoso entre a desaceleração e a recessão

22 de setembro de 2022
8:15
Arte mostrando uma lupa focalizando um símbolo de porcentagem; indicação para matérias envolvendo juros, Selic, Banco Central (BC), investimentos e outros
Imagem: Shutterstock

Já podemos afirmar que agora é oficial: não está fácil para ninguém! O banco central da Suíça elevou o juro no país pela primeira vez em 15 anos. No Japão, a autoridade monetária local optou por não mexer na taxa de juros, mas interveio no mercado de câmbio pela primeira vez desde 1998.

Pode até parecer banal. Mas tanto o Japão quanto a Suíça exportam a imagem de estabilidade econômica. E o que para uns pode parecer um paraíso, para outros representa um flerte com a calamidade.

Imagine o que deve ser para as populações desses países conviver, respectivamente, com índices de inflação de 3% e 3,5%. Ao ano, claro. Não há estágio em Brasil que resolva.

Mais especificamente, a decisão do banco central suíço colocou um ponto final à era de taxas negativas de juro na Europa.

São situações capazes de ilustrar com grande precisão este momento no qual a economia global transita um terreno pantanoso entre a desaceleração e a recessão.

Tudo isso apenas algumas horas depois de o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) ter elevado em 75 pontos-base a taxa básica de juros nos Estados Unidos. Foi a terceira alta de juro na mesma magnitude no país.

O mercado financeiro não digeriu bem a decisão do Fed. Isso porque, além de o banco central ter indicado que a taxa básica pode passar de 4% ao ano ainda em 2022, as projeções de crescimento da economia dos EUA passaram de 1,7% para 0,2% no ano.

Por aqui, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) deu uma pausa no aperto monetário. A decisão não foi unânime. Houve quem defendesse uma alta residual de 25 pontos-base. Mas a Selic ficou mesmo em 13,75% ao ano.

Em um ano e meio, a taxa básica de juro foi de 2,00% a 13,75%. E deve permanecer nesse nível até o meio do ano que vem antes de começar a baixar.

Numa tentativa de demonstrar que está em alerta na batalha contra o dragão da inflação, o Copom assegurou que não hesitará em voltar a elevar a Selic se assim julgar necessário.

Para ficar por dentro de como tudo isso afeta os seus investimentos, acompanhe a cobertura do Seu Dinheiro.

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua manhã". Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

O que você precisa saber hoje

ACABOU
Selic finalmente parou de subir e deve se manter em 13,75% por algum tempo. Como fica a renda fixa a partir de agora? A taxa básica de juros do Brasil chegou ao topo do ciclo de alta e lá deve permanecer até meados de 2023.

VEM INTERVENÇÃO POR AÍ?
Lula e Ciro querem mudar a política de preços da Petrobras, mas Tebet defende a autonomia da estatal. Candidatos são contra a privatização da petroleira, mas divergem sobre venda de subsidiárias e paridade internacional de preços. Confira os detalhes na nossa série sobre as propostas dos presidenciáveis que mexem com o seu bolso.

PRÉVIA DO BALANÇO
IRB (IRBR3) reduz prejuízo, mas permanece no vermelho em julho. Apesar do tropeço, a resseguradora ganhou fôlego por alguns meses com uma recente oferta de ações que levantou R$ 1,2 bilhão. Saiba como andam as finanças da companhia.

AGORA É OFICIAL
Justiça decreta falência da Itapemirim — e empresa deixa mais de R$ 2 bilhões em dívidas com empresários e União. Grupo ganhou destaque nacional ao paralisar as operações da unidade de transporte aéreo, a ITA, às vésperas da temporada de fim de ano.

RIQUEZA GLOBAL
Mundo ‘ganhou’ 46 mil super-ricos e Brasil passou a contar com 266 mil milionários em 2021. Segundo o relatório do Credit Suisse, o Brasil ocupa a 18ª posição entre os 20 países com maior número de super-ricos do mundo, à frente de Singapura e Holanda.

JORNADA MENOR
Semana de 4 dias passa no “teste” e pode se tornar definitiva no Reino Unido. Iniciada em junho, as empresas participantes já cogitam adotar permanentemente a jornada menor. O teste-piloto vai até dezembro; saiba os detalhes.

ESTRADA DO FUTURO
A Adobe acabou com sua maior ameaça, e mesmo assim as ações despencaram. Entenda o que aconteceu. Segundo o colunista Richard Camargo, a aquisição da Figma pela Adobe chamou a atenção pelo preço: a empresa pagou US$ 20 bilhões por uma concorrente que, nos últimos 12 meses, faturou pouco mais de US$ 200 milhões.

Uma boa quinta-feira para você!

Compartilhe

de repente no mercado

3 perguntas para a semana: onde investir em março? O Brasil pode finalmente ‘decolar’? Vou receber um ‘PIX’ nas próximas semanas?

3 de março de 2024 - 12:00

E mais: quais moedas podem subir junto com o bitcoin? E como planejar um ano sabático?

TRILHAS DE CARREIRA

Burnout ou mimimi? O perigo da banalização de termos médicos e a falta de empatia no trabalho

3 de março de 2024 - 8:00

A imprecisão no uso diagnósticos e a trivialização de temas de saúde mental não apenas minam a seriedade dessas questões, mas também obscurecem a importância da conscientização em saúde mental nos espaços corporativos

Especial IR 2024

Imposto de Renda 2024: Sou MEI há 5 anos e nunca declarei IR, mesmo sendo obrigado; posso me dar mal?

2 de março de 2024 - 8:00

O microempreendedor individual (MEI) pode ser obrigado a declarar como pessoa física! Veja o que fazer quando se deixa de entregar a declaração

SEXTOU COM O RUY

A Oi (OIBR3) é uma pechincha? Se você quer ter um sono tranquilo e bons lucros, olhe para outra empresa do setor

1 de março de 2024 - 6:05

Essa companhia distribuiu R$ 4,8 bilhões em dividendos e, como o grosso do investimento em fibra parece ter ficado para trás, a expectativa é de que esses proventos aumentem ainda mais

EXILE ON WALL STREET

Rodolfo Amstalden: Solução de quatro estados

29 de fevereiro de 2024 - 20:02

Como faremos para balancear extremos opostos por meio de um único instrumento mediano nos mercados financeiros?

Diário de Bordo

O que eu penso sobre o bitcoin?

28 de fevereiro de 2024 - 10:29

Diário de Bordo de 28 de fevereiro de 2024

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Campos Neto e Powell navegam em águas incertas: o que esperar dos próximos passos dos banqueiros centrais para os juros

27 de fevereiro de 2024 - 6:29

A trajetória das taxas de juros no Brasil e nos EUA será decisiva para as expectativas dos investidores e a direção dos ativos de risco

EXILE ON WALL STREET

Felipe Miranda: Qual o caminho mais rápido e efetivo para o sucesso no mercado?

26 de fevereiro de 2024 - 20:03

Seja lá qual for o caminho do sucesso, ele começa por uma boa educação. Nada é mais estruturante e transformacional.

LINHA D'ÁGUA

Por que FoFs de previdência privada serão os grandes vencedores das mudanças recentes na tributação

26 de fevereiro de 2024 - 18:46

Esse tipo de fundo mantem a mesma característica tributária de um exclusivo de previdência, mas, por ser um fundo coletivo, de varejo, não tem o limite de R$ 5 milhões de patrimônio

DE REPENTE NO MERCADO

Fênix à solta: Weg (WEGE3) ressurge como ‘fábrica de bilionários’; Oi (OIBR3) deixa de ser penny stock e Nvidia ‘fura’ a bolha da inteligência artificial

25 de fevereiro de 2024 - 12:00

E mais: estrategista-chefe recomenda 3 ações que estão em ‘raríssimo momento na bolsa’ e por que você deveria correr para comprar um imóvel logo

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies