O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

Exile on Wall Street
Lais Costa
2022-01-21T11:26:51-03:00
EXILE ON WALL STREET

Gaiola de investimento: não existe blindagem perfeita, mas é possível construir um portfólio robusto e uma carteira forte

Para construir uma carteira, são necessárias três decisões: alocação estratégica, alocação tática e a seleção dos fundos. Na série Os Melhores Fundos de Investimento você verá o resultado das carteiras recomendadas que inspiram os fundos de fundos (FoFs) da Vitreo

21 de janeiro de 2022
11:26
Proteção contra o mau tempo nos mercados
Imagem: Shutterstock

Não sei quantos de vocês já pararam para pensar sobre por que quando um avião é atingido por um raio, os passageiros em seu interior não são afetados pela descarga elétrica. 

Da mesma forma, por que quando você está dirigindo um carro durante uma tempestade, o melhor lugar para se proteger de um raio é no interior do próprio carro?

Sem nos aprofundarmos nos conceitos de eletromagnetismo, a razão para isso é que, quando uma descarga elétrica atinge um corpo metálico condutor, as cargas elétricas se distribuem por sua superfície gerando uma resultante de campo elétrico nulo no seu interior.

Essa é a razão pela qual as pessoas não são afetadas pela descarga elétrica nos exemplos anteriores.

Em 1836, o físico inglês Michael Faraday provou essa teoria submetendo-se pessoalmente a um experimento. O verdadeiro “skin in the game”. 

Gaiola de Faraday

Faraday entrou em uma espécie de gaiola metálica com sapatos de borracha e sentou-se em uma cadeira feita de material isolante, enquanto diversas descargas elétricas foram aplicadas à superfície da gaiola. 

Ao sair ileso, o cientista demonstrou o fenômeno da blindagem eletromagnética.

A gaiola de Faraday, como ficou conhecida, é usada para blindar diversos sistemas de interferências eletromagnéticas e descargas elétricas e, por isso, a sua aplicabilidade é muito ampla.

Blindagem perfeita não existe

Ao contrário do que acontece no campo da física, a blindagem perfeita simplesmente não existe no mundo dos investimentos, apesar de ser o principal objetivo de alguns investidores.

A verdade é que “a segurança completa não é viável nem mesmo desejável”. Prover garantia irrestrita, uma blindagem perfeita para todos, gera comportamentos inadequados. (“This time is different.”)

Por isso, o que deve ser o objetivo do investidor é a busca por um portfólio robusto com uma relação risco-retorno adequada para seus objetivos de rentabilidade e para o seu horizonte de investimento.

Três decisões para construir um carteira

No que diz respeito ao portfólio de fundos de investimento, a construção de uma carteira passa por três decisões: alocação estratégica, alocação tática e a seleção dos fundos propriamente ditos.

A alocação estratégica é a decisão de diversificação entre as classes de ativos (renda fixa, renda variável, alternativos, etc.). 

O retorno gerado por essa decisão é medido a partir da performance dos benchmarks de cada fundo (Ibovespa, IBX, IMA-B, etc.), seguindo o peso neutro determinado para cada ativo da carteira.

A alocação tática é expressa pelo desvio do ponto neutro. Em outras palavras, é a decisão de ficar sobrealocado ou subalocado em uma classe e expressa os vieses otimistas ou pessimistas do gestor para cada classe.

Finalmente, a seleção dos fundos é a diferença entre uma carteira puramente passiva, isto é, composta apenas pelos benchmarks, e a performance entregue dos fundos ativos escolhidos para representar aquela classe.

Os melhores fundos

Na publicação da série Os Melhores Fundos de Investimento desta semana, trouxemos o resultado das carteiras recomendadas pela série que inspiram os fundos de fundos (FoFs) da Vitreo. 

Nela, detalhamos, com total transparência, as decisões de alocação implementadas durante o ano de 2021 e os resultados da nossa busca por retorno ajustado ao risco no longo prazo.

E, claro, não somos apenas teóricos de fundos. Aqui todos têm skin in the game. Nosso patrimônio também está em jogo em cada decisão de alocação.

Os FoFs da Vitreo, que replicam as nossas carteiras recomendadas, são a forma mais prática de se expor a essas decisões. Contudo, em certa medida, é possível replicar a carteira de forma independente, ou mesmo criar um portfólio diferente que seja ainda mais alinhado com os seus objetivos e perfil de risco.

De todo modo, a nossa recomendação é a mesma: não busque uma forma perfeita de se blindar, não construa uma gaiola de investimento. Nessa estratégia, no melhor dos cenários, a resultante será zero.

Um abraço,
Laís

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

PORTFÓLIO DE BILHÕES

Aposta contra a Apple (AAPL34)? Veja as mudanças que Warren Buffett, Michael Burry e investidores de elite fizeram nas carteiras

Esses pesos-pesados do mercado financeiros tomaram decisões surpreendentes no primeiro trimestre; confira as mudanças mais significativas que eles fizeram no período

DO BRASIL PRO MUNDO

Guedes tem encontro com Escobari, da General Atlantic, e vai a jantar do BTG; confira a agenda do ministro em Davos

O banqueiro André Esteves, que em abril voltou ao comando do conselho do BTG Pactual, está participando do evento na Suíça

UMA TECH ATRAENTE

É hora da Locaweb? Saiba por que o Deutsche Bank vê ponto de entrada para as ações LWSA3

Banco alemão atualizou a recomendação para a empresa de neutra para compra e vê potencial de valorização de mais de 50% para os papéis

O QUE VEM POR AÍ

Ata do Fed e IPCA-15: confira a agenda de indicadores da semana aqui e lá fora

Nos Estados Unidos, a segunda prévia do PIB no primeiro trimestre também é destaque; na Europa, o PIB da Alemanha é o principal dado

CAMINHO DO MEIO

Menor rejeição e apoio interno no MDB dão vantagem a Simone Tebet; veja os rumos da senadora da terceira via

Maior desafio, segundo marqueteiros, é torná-la popular: 46% do eleitorado desconhece Simone Tebet, segundo pesquisas recentes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies