🔴 RECEBA ANÁLISES DE MERCADO DIÁRIAS: CLIQUE AQUI E SIGA O SEU DINHEIRO NO INSTAGRAM

2022-02-14T17:43:03-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
ETFs de Treasuries

Lucrando com a alta dos juros nos EUA: primeiros ETFs de renda fixa internacional estreiam na B3 e permitem investir nos Treasuries

B3 e BlackRock lançam seis BDRs de ETFs estrangeiros lastreados em títulos do Tesouro americano, cujos retornos vêm subindo com a iminência do aperto monetário nos EUA

14 de fevereiro de 2022
17:42 - atualizado às 17:43
Federal Reserve
Investimento em BDRs de ETFs de Treasuries ainda é restrito a investidores qualificados. - Imagem: shutterstock

A iminência do início do ciclo de alta dos juros nos Estados Unidos tem impulsionado os retornos dos Treasuries, os títulos do Tesouro americano, tornando-os mais atrativos perante a renda variável, dado que são considerados os investimentos mais seguros do mundo.

Se quiser diversificar suas aplicações em renda fixa nesse momento de aperto monetário global, o investidor brasileiro agora tem uma opção dentro da própria B3, sem a necessidade de abrir conta no exterior.

A B3 e a BlackRock, maior gestora de recursos do planeta, anunciaram, nesta segunda-feira (14), o lançamento de mais seis BDRs (Brazilian Depositary Receipts) de ETFs (fundos de índice), desta vez lastreados em Treasuries.

Os ETFs são fundos que replicam o desempenho de índices de mercado (como o Ibovespa, de ações, ou os IMAs, de renda fixa) e têm cotas negociadas em bolsa, como se fossem ações.

A BlackRock tem grande expertise nesse tipo de investimento e é gestora da série iShares, presente na bolsa brasileira, da qual faz parte o BOVA11, ETF de Ibovespa mais conhecido do mercado brasileiro.

Os seis novos ETFs que a BlackRock está trazendo para o Brasil são todos americanos, listados em bolsas dos EUA, o que requer que eles sejam negociados por aqui na forma de BDRs, recibos de ativos originalmente negociados em bolsas gringas.

No caso, cada BDR é lastreado num ETF que segue um índice de títulos públicos americanos, isto é, um indicador composto por Treasuries de determinados vencimentos.

Há, por exemplo, ETFs de títulos de curto prazo, de títulos com vencimento entre sete e dez anos, de papéis com vencimento entre três e sete anos, de Treasuries com mais de 20 anos de prazo, entre outros.

Infelizmente, o investimento nos BDRs de ETFs de Treasuries está restrito, a princípio, a investidores qualificados, que são aqueles que têm, no mínimo, R$ 1 milhão em aplicações financeiras.

Veja a lista dos BDRs de ETFs de títulos públicos americanos da série iShares, que estrearam hoje na B3:

Código do ETFNomeCódigo do BDR
GOVT US EquityiShares US Treasury Bond ETFBGOV39
IEF US EquityiShares 7-10 Year Treasury Bond ETFBIYT39
IEI US EquityiShares 3-7 Year Treasury Bond ETFBIEI39
SHV US EquityiShares Short Treasury Bond ETFBSHV39
SHY US EquityiShares 1-3 Year Treasury Bond ETFBSHY39
TLT US EquityiShares 20+ Year Treasury Bond ETFBTLT39

80 BDRs de ETFs estrangeiros

Hoje a B3 conta com 80 BDRs de ETFs da marca iShares, incluindo estes seis novos de renda fixa. Os 74 restantes são de renda variável. Do total de BDRs de ETFs, 65 podem ser negociados por qualquer investidor, sem restrição a investidores qualificados.

Para investir em ETFs ou BDRs (de ETFs ou de qualquer outro ativo), o investidor precisa ter conta aberta em uma corretora de valores e acesso ao home broker.

Na bolsa, as cotas são negociadas entre os investidores, e o processo de compra e venda está sujeito aos mesmos custos da negociação de ações, como corretagem e custódia da corretora (se for o caso) e os emolumentos cobrados pela B3.

A venda de cotas de ETF ou BDRs de ETF com lucro está sujeita à cobrança de imposto de renda no valor de 15% sobre o ganho líquido.

Assim como ocorre com a negociação de ações e fundos imobiliários, o investidor é o responsável por manter o controle das quantidades e dos preços de compra e venda, pela apuração dos ganhos (quando houver), recolhimento do imposto de renda via DARF e compensação de prejuízos, conforme o caso.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

A UM PASSO DA REGULAÇÃO

Parecer da lei de criptomoedas retira propostas que dão mais segurança ao investidor; confira mudanças no texto

5 de julho de 2022

O texto precisa ser aprovado em sessão no plenário da Câmara; sem maiores alterações, vai para a sanção presidencial

É CEDO OU TARDE DEMAIS…

UBS vê potencial de valorização menor para Hapvida — será que é hora de dar adeus à HAPV3?

5 de julho de 2022

O banco cortou o preço-alvo das ações, de R$ 15,40 para R$ 9,00, o que representa um potencial de valorização de 49% em relação ao fechamento de segunda-feira (05)

O MEDO SE ESPALHA

Por que o petróleo tomba mais de 10% e arrasta as ações da Petrobras (PETR4) e PRIO (PRIO3) hoje

5 de julho de 2022

A projeção pessimista vem em um momento em que as cotações estão sob pressão. Desde o início do ano, quando as tensões entre Rússia e Ucrânia se intensificaram, o preço do barril saltou mais de 40%

SEM ACORDO

Greve do BC termina na data marcada; paralisação durou 95 dias

5 de julho de 2022

Os servidores do Banco Central cruzaram os braços em abril e reivindicavam reajuste salarial e reestruturação da carreira — demandas que não foram atendidas a tempo

ELEIÇÕES 2022

Pode isso, Arnaldo? Lula critica orçamento secreto enquanto oposição discute divisão das verbas em 2023

5 de julho de 2022

O orçamento secreto envolve a distribuição, sem transparência, de recursos federais a redutos eleitorais de deputados e senadores. O governo usa os pagamentos para comprar apoio político no Congresso.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies