Menu
2021-01-06T13:32:14-03:00
Estadão Conteúdo
Ainda com efeitos da pandemia...

Varejo no Brasil deixará de faturar R$ 15,8 bi com feriados, diz FecomercioSP

A federação ainda prevê mais perdas financeiras para este ano, em parte influenciadas pela pandemia do novo coronavírus.

6 de janeiro de 2021
13:32
Varejo
Varejo -

O varejo no Brasil deixará de faturar R$ 15,8 bilhões com os 12 feriados nacionais do calendário oficial de 2021, aponta um levantamento da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). O montante, segundo a entidade, representa 0,8% do total que o setor vende ao longo de um ano.

A federação ainda prevê mais perdas financeiras para este ano, em parte influenciadas pela pandemia do novo coronavírus.

Antes da covid-19 chegar no Brasil, a estimativa atual era de crescimento de 7,1% em relação a 2020. Os novos hábitos e determinações decorrentes da luta contra o vírus, como o trabalho remoto, no entanto, reduzem a performance do comércio nos momentos de lazer ou de ida e regresso do trabalho, que estimulava o varejo com as chamadas "compras por impulso".

A entidade avalia que os supermercados serão os mais atingidos pelos feriados e registrarão um faturamento com queda de R$ 8 bilhões em comparação à projeção de 2020. Já considerando as variações, a maior perda será do setor de móveis e decorações, responsável por 20,9% a menos de faturamento previsto no ano passado. Em seguida, estão as lojas de roupas e calçados (-19,6%) e as farmácias e perfumarias (-9%).

Para o Estado de São Paulo, que conta com um feriado a mais no dia 9 de julho - data da Revolução Constitucionalista de 1932 -, o prejuízo será de R$ 6,4 bilhões, 5,2% a mais do que o previsto no início do ano passado. Na tendência dos dados nacionais, os supermercados no Estado também terão a maior queda, cerca de R$ 3,53 bilhões.

Para sobreviver à economia instável pelos feriados, a FecomercioSP indica o investimento nos serviços digitais, como a melhora do atendimento online e otimização dos espaços de compra pela internet.

Na contramão do varejo físico, a estimativa é que o comércio eletrônico cresça 6% em 2021, chegando a um faturamento anual de R$ 31,1 bilhões.

Já para o setor do turismo, a FecomercioSP orienta que os empresários do setor deem mais atenção ao deslocamento de famílias mesmo em período de home office, demanda crescente no cenário nacional durante o período da pandemia. Dessa forma, os empresários aconselham que as estadias sejam flexíveis e as tarifas atrativas.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

balanço do dia

Covid-19: casos sobem para 15,5 milhões e mortes, para 432,6 mil

O total de vidas perdidas durante a pandemia subiu para 432.628. Entre ontem e hoje, foram registradas 2.211 novas mortes.

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Mudaram as estações, mas nada mudou na bolsa

Quem olha para o saldo do Ibovespa na semana pode achar que os últimos dias foram um marasmo. O índice, afinal, ficou praticamente estável — uma quase desprezível queda de 0,13%. “Mas eu sei que alguma coisa aconteceu / tá tudo assim, tão diferente”, já dizia a música. E é verdade: nada mudou na bolsa, […]

Fechamento da semana

Inflação americana e minério de ferro vivem ‘dias de luta e dias de glória’, monopolizando a semana; dólar avança e bolsa recua no período

O minério de ferro puxou Vale e siderúrgicas para cima – mas depois derrubou. A inflação americana também assustou, mas conseguiu acalmar o ânimo dos investidores. Confira tudo o que movimentou a semana

Engordando o caixa

Petrobras gera US$ 2,5 bilhões com desinvestimentos em 2021; venda mais recente é para fundo árabe

E a estatal não deve parar por aí, pois o diretor financeiro da empresa já reafirmou a intenção de continuar com o programa de venda de ativos

Em evento do BofA

Presidente do BC revela preocupação com análise de autonomia no STF e planos para PIX internacional

Campos Neto e o ministro da Economia, Paulo Guedes, têm conversado com ministros da Corte sobre os questionamento acerca do tema

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies