Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-02-26T14:41:35-03:00
Estadão Conteúdo
Necessidade econômica

Reação do mercado de trabalho na pandemia depende de condição sanitária, diz IBGE

A população ocupada encolheu em 8,373 milhões de pessoas em um ano, enquanto o total de desempregados aumentou em 2,294 milhões.

26 de fevereiro de 2021
14:41
Carteira de trabalho brasileira
Carteira de trabalho brasileira - Imagem: Shutterstock

A recuperação do mercado de trabalho demandará tempo e dependerá da evolução da pandemia, segundo Adriana Beringuy, analista da Coordenação de Trabalho e Rendimento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Leia também:

A taxa de desemprego no País encerrou o quarto trimestre de 2020 em 13,9%, maior resultado para o período em toda a série histórica da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), iniciada em 2012.

"Foram perdas muito profundas. Reverter esse quadro vai demandar tempo, sim. Não apenas tempo só, mas é o que vai acontecer ao longo desse tempo, como a economia e as atividades econômicas vão operar e as questões do controle sanitário", explicou Adriana.

A população ocupada encolheu em 8,373 milhões de pessoas em um ano, enquanto o total de desempregados aumentou em 2,294 milhões. A taxa de desemprego só não foi ainda mais elevada porque a população inativa aumentou em 10,828 milhões de pessoas em apenas um ano.

O resultado, porém, é melhor do que o do trimestre encerrado em setembro de 2020, quando a taxa de desocupação estava em 14,6%.

"Uma reação de um trimestre não consegue repor tudo o que ocorreu ao longo do próprio ano. Então em 2021 a gente tem que ver como o mercado vai se comportar. A reação do mercado de trabalho num ambiente de pandemia não é autônoma, depende das condições sanitárias, como vai se relacionar", ressaltou Adriana.

A pesquisadora lembra que a pandemia afetou inicialmente os trabalhadores informais, mas depois também atingiu o trabalho com carteira assinada no setor privado. "A gente passa em 2019 de uma população ocupada recorde para em 2020 a menor população ocupada da pesquisa. Isso tudo em apenas um ano", lembrou.

Na média anual de 2020, a taxa de desemprego foi de 13,5%, ante 11,9% em 2019. A população ocupada encolheu em 7,336 milhões de pessoas, em média, para 86,053 milhões, menor patamar da série. Ao mesmo tempo, o total de desempregados aumentou em 840 mil pessoas, para um recorde de 13,415 milhões. A população inativa teve um crescimento médio de 9,902 milhões de pessoas, para um ápice de 74,971 milhões.

"O mercado de trabalho vai responder aos estímulos. As pessoas estão ofertando seus trabalhos, a desocupação tem aumentado. Resta saber se essa oferta de trabalho vai encontrar demanda (por trabalho)", disse Adriana.

O total de trabalhadores ocupados contribuindo para a previdência social subiu a 55,266 milhões em dezembro, ainda bastante aquém do ápice de 60,320 milhões alcançados ao fim de 2015.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

MANDOU BEM?

Mudanças no alto escalão da Ultrapar agradam — mas enquanto ações sobem 9%, analistas apontam que ainda é cedo para uma reclassificação

A Ultrapar parece realmente disposta a deixar os dias de dificuldade para trás e se fortalecer como uma empresa distribuidora de combustíveis e as recentes mudanças anunciadas na noite de ontem (22) indicam isso.  Em fato relevante, a companhia informou que Marcos Lutz irá substituir Frederico Curado como novo CEO do grupo a partir de […]

OCCUPY B3

MTST ocupa sede da B3 em protesto contra o governo e a desigualdade social

Militantes do movimento por moradia entraram no saguão da bolsa de valores em ato contra as altas no desemprego e na inflação

Balança, mas (ainda) não cai

Qual o destino da Evergrande? Veja quatro possíveis cenários para a crise da gigante chinesa

As ações da Evergrande subiram mais de 17% na bolsa de valores de Hong Kong após um acordo com credores. A situação, porém, está longe de ser resolvida. Saiba o que esperar

mercado cripto

Bitcoin e criptomoedas: XP e Rico lançam dois fundos, com investimento a partir de R$ 100

Com gestão passiva, produtos são voltados ao público geral, com taxa de administração de 0,5% ao ano, sem proteção cambial ou taxa de performance

Destaques da bolsa

Cyrela (CYRE3): ‘Sem razões para ânimo’ com o setor, Credit Suisse rebaixa recomendação para construtora e ações têm queda firme

Banco suíço, que rebaixou recomendação de “compra” para “neutra”, vê um cenário difícil para as construtoras nos próximos meses por causa da alta da inflação e da taxa básica de juros

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies